CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

FUNDO

COMO SUPORTAR AS PROVAÇÕES (parte 1)



COMO SUPORTAR AS PROVAÇÕES (Tiago 1.2–12)

PARTE I

por John MacArhtur  
Tradução: Thiago Mancini  


formiga com peso john macarthur
     Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações;
     Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência.
     Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma.
     E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça – a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser – lhe – á dada.
     Peça – a, porém, com fé, em nada duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte.
     Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa.
     O homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos.
     Mas glorie – se o irmão abatido na sua exaltação,
     E o rico em seu abatimento; porque ele passará como a flor da erva.
     Porque sai o sol com ardor, e a erva seca, e a sua flor cai, e a formosa aparência do seu aspecto perece; assim se murchará também o rico em seus caminhos.
     Bem – aventurado o homem que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam. ”               
( Tg 1.2 – 12 ).


     Como eu mencionei a vocês esta manhã, eu estou sempre sendo questionado pelas pessoas sobre como é que as pessoas podem enfrentar os problemas da vida. Os problemas da vida vêm como ondas, e parece que, nenhum de nós pode realmente escapar dos problemas da vida.

     E como vocês bem sabem, o Senhor tem trabalhado na minha própria vida através dos anos me refinando através das provações. Quando eu ainda era apenas um jovem garoto eu sofri um acidente automobilístico no qual eu fui gravemente ferido e terminei três meses na cama.

     Do ponto de vista físico, outras doenças que vêm e que vão das nossas vidas tem o propósito de nos testar quanto à nossa fé e quanto à nossa confiança em Deus.
     Eu tenho atravessado um certo número destas provações na minha vida ao longo dos tempos, mesmo recentemente quando eu cheguei muito perto da morte por causa dos coágulos de sangue nos meus pulmões.

     Nosso filho, Mark, quando era um estudante universitário no Master College foi descoberto que tinha um tumor no cérebro,  e o Senhor nos levou a passar por isto, e também o levou a passar por isto.
     E foi há seis anos atrás, no último verão que eles me disseram que deveriam levar a vida da minha esposa Patrícia quando ela quebrou o pescoço. E não muito tempo depois a minha irmã morreu e uma semana atrás a minha mãe também morreu.

     E é este o jeito como a vida segue o seu curso. E a vida é preenchida não somente com tristezas e lamentações pessoais, mas também por que nós que somos cristãos devemos suportar as cargas uns dos outros, às vezes também temos tristeza com aqueles que se entristecem, não temos? 
E chorar com aqueles que choram. Nós temos de partilhar a dor daqueles que estão decepcionados e daqueles que fracassam e que perdem todas as coisas, por que todas estas coisas são parte da vida.

     E a pergunta que vem agora é esta... 
Como lidar com as provações? 
Como lidar com as tribulações? 
Como lidar com todas estas decepções assustadoras e com a realidade da antecipação do que é inevitável à todos nós?

     Abram suas Bíblias na epístola de Tiago, capítulo 1.

     Eu creio que talvez, tanto quanto em outros lugares da Escritura, este texto de  Tiago 1 aborda a questão de como suportar as provações de uma forma muito instrutiva e positiva.

     Tiago 1, começando no versículo 2, vai diretamente ao ponto dizendo que o cristão deve considerar com toda a alegria quando é encontrado diante de várias tribulações e prossegue dizendo que a prova da fé produz a esperança: ( Tg 1.2 – 12 ).

     O último versículo, é realmente a suma de toda a questão sobre como suportar as provações: 

     Bem-aventurado o homem que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam.” ( Tg 1.12 ).
   
  Tg 1.12 é uma bem-aventurança e bem-aventurança é uma bênção. Bem-aventurado e abençoado é o homem que persevera diante da provação.

     A provação então produz bênção, por que sendo provados receberemos a coroa da vida que o Senhor tem prometido àqueles que amam a Deus: (Tg 1.12).

     Como transformar a tribulação em bênção? Esta é a grande questão aqui. E é justamente sobre isto o que vamos falar hoje e nas próximas duas semanas aonde esperamos caminhar através deste texto maravilhoso.

     Um joalheiro dá ao diamante verdadeiro um dos testes mais firmes, o teste da água. Eu não sei se você já viu algum joalheiro fazer isto com um diamante.
     Uma pedra de imitação de um diamante, na superfície, é aparentemente brilhante como uma pedra genuína de um diamante verdadeiro; e se os seus olhos não forem experientes o suficiente para detectar a diferença, a água vai ajudar.
     Um diamante genuíno normalmente brilha debaixo da água enquanto a imitação é praticamente extinta. Se o joalheiro aplicar o teste da água colocando dois diamantes debaixo da água, um falso e um verdadeiro, a diferença entre os diamantes verdadeiro e falso vai aparecer imediatamente.
     Jovens senhoras, quando um homem lhe der um diamante... ( risada... )... bem aqui tome um copo de água para verificar... ( mais risadas )... e verifique se o diamante é verdadeiro ou não.

     Bem, há tantas pessoas que podem estar confiantes de sua fé na superfície que acham que quando vão sob as águas da tristeza e da aflição perdem todo o seu brilho, revelando, de fato, uma imitação. Enquanto que, por outro lado, o verdadeiro filho de Deus brilha como um diamante genuíno mesmo nas águas da adversidade.

     A epístola de Tiago está preocupada com tais questões. Tiago está preocupado com tais questões, tanto que no versículo 3, que às vezes a fé do cristão é testada ou provada: “Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência.” (Tg 1. 3).
     
 E com a fé posta à prova, o teste da fé vai revelar a força ou a fraqueza da fé.
      
A vida está cheia destes testes, e todos nós sabemos disto.

     No livro de Jó, no capítulo 5 e no versículo 7 está escrito que assim como as faíscas se levantam para voar, o homem nasce para a tribulação:

     “ Mas o homem nasce para a tribulação, como as faíscas se levantam para voar. ” ( Jó 5.7 ).

     Em outras palavras, as faíscas sempre voam para cima do fogo e o homem sempre nasce em problemas.
    

     No décimo quarto capítulo do livro de Jó e no primeiro versículo está escrito que mesmo um ser humano que acaba de nascer já está cheio de problemas:

     “O homem, nascido da mulher, é de poucos dias e farto de inquietação.” ( Jó 14.1 ).

     Em Salmos 22.11 o rei Davi pede a Deus em oração para que Deus não se afaste por que o problema está muito perto:

     “Não te alongues de mim, pois a angústia está perto, e não há quem ajude. ” (Sl 22.11).

     Isaías 8.22 registra Deus falando através do profeta Isaías, falando sobre o Seu julgamento deixado ao mundo para os homens:

     “E, olhando para a terra, eis que haverá angústia e escuridão, e sombras de ansiedade, e serão empurrados para as trevas.” ( Is 8.22 ).

     Você sabe, o que a vida realmente é, escuridão, tristeza e angústia para a maioria das pessoas.

     Escrevendo o livro de Eclesiastes, Salomão amuou um pouco à respeito da vida. E no capítulo 2 e no versículo 17 Salomão disse o seguinte:

     Por isso odiei esta vida, porque a obra que se faz debaixo do sol me era penosa; sim, tudo é vaidade e aflição de espírito.” ( Ec 2.17 ).
     “Porque todos os seus dias são dores, e a sua ocupação é aflição; até de noite não descansa o seu coração; também isto é vaidade.” (Ec 2.23).

     A vida pode parecer preenchida com nada mais do que problemas e vazios. E mesmo para os cristãos, mesmo para aqueles que pertencem a Deus a vida é constante problema e provações que vem no nosso mundo decaído.

     O salmista, e nós relembramos estes salmos e os lemos nas manhãs de domingo, repetidamente o salmista fala sobre como ele está em problemas... problemas depois de problemas depois de problemas... e celebra o fato de que o Senhor o livra de problemas.
     O salmista nunca diz que o Senhor o mantém longe dos problemas, mas o salmista sempre diz que o Senhor o livra nos problemas.

     O melhor da vida é o casamento. E é por isto que o casamento é chamado de a graça da vida. E mesmo no casamento, que muito embora seja o melhor da vida, a realização do sonho da vida, a graça da vida, o melhor presente que Deus já deu para a alegria terrestre por que é no casamento que encontramos o cumprimento da realização, e encontramos amor e família e intimidade e todas as riquezas da vida.
     Todavia, mesmo assim, mesmo no casamento, I Coríntios 7.28 diz que aí há problema:

     “Mas, se te casares, não pecas; e, se a virgem se casar, não peca. Todavia os tais terão tribulações na carne, e eu quereria poupar-vos.” (I Co 7.28).

     Aqui em I Co 7.28, o apóstolo chama os problemas do casamento de tribulações na carne.
     E francamente, nenhum problema é tão doloroso quanto os problemas que ocorrem na família. As pessoas que são mais próximas a você, a esposa, os filhos, os netos, os parentes, pai e mãe, a dor mais aguda é infligida em você quando eles sofrem, com o sofrimento deles, com a decepção e com a morte deles.

     Até mesmo Jesus entendeu os problemas humanos. Ele sofre em todos os aspectos da vida assim como nós sofremos, todavia sem pecado. Ele gemeu. Ele chorou. Ele chorou pela morte de Lázaro, chorando juntamente com a família de Lázaro. Ele chorou pela cidade de Jerusalém. A sua alma esteve em angústia e em aflição muitas e muitas vezes.

     O Apóstolo Paulo que provavelmente seria reconhecido pela maioria das pessoas como o mais forte de todos os cristãos, um homem que parecia praticamente inexpugnável, foi profundamente e frequentemente movido emocionalmente a grandes sentimentos até mesmo como tristeza, melancolia e pesar.

     E Jesus disse que no mundo os cristãos terão tribulação [veja Jo 16.33], e a tribulação anda juntamente com a vida aqui. Então, nós precisamos esperá-lá.

     Qualquer ser humano, e mesmo o próprio Cristo aqui na terra, enfrenta tribulação, problema na família, problema com os amigos, problema no trabalho, problema na escola, problemas econômicos, crítica, perseguição, doença física, enfermidades, e finalmente a morte e a separação.
      Mas o apóstolo Tiago nos diz aqui que o problema é um teste. O problema é um teste e o versículo 12 diz que se o cristão perseverar no teste vai ser abençoado e receber a coroa da vida:

     Bem-aventurado o homem que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam. ” (Tg 1.12).

     Agora note que no versículo 2 o apóstolo Tiago também entende que os problemas vem de muitas maneiras.

     O apóstolo Tiago diz que o cristão deve ter por motivo de grande alegria enfrentar várias provações:

     “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações.” (Tg 1.2 - ARA)– ( ARA ).
     Aqui em Tg 1.12, a palavra “várias” vem do grego “poikilos” que significa multi-colorido, múltiplos tipos de problemas. E enfatiza não o número de provações, mas sim a diversidade de provações.
     Ou seja, as provações podem vir de todas as maneiras, como eu mencionei, nos relacionamentos, no aspecto financeiro, na saúde.

     Tudo isto são os diferentes tipos de provações, de tentações e de problemas.
     Nós nem sequer sabemos quais são os problemas que estavam acontecendo entre as pessoas às quais o apóstolo Tiago escreveu. As pessoas às quais o apóstolo Tiago escreveu eram crentes judeus que tinham sido dispersados, e como o versículo 1 afirma, foram dispersados para todos os tipos de lugares:

     “Tiago, servo de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, às doze tribos que andam dispersas, saúde.” (Tg 1.1).

     E na dispersão no Mundo Gentio, os crentes judeus estavam sofrendo muitas lutas. Nós sabemos que alguns deles estavam sendo perseguidos. Alguns deles não estavam sendo pagos pelos trabalhos que estavam fazendo.
     Eles estavam sendo hostilizados pelos ricos, como é indicado no capítulo 5 [ver Tiago 5.1 – 6], e alguns deles estavam tão debilitados estando tão fracos ao ponto de precisarem  ir aos anciãos para serem ajudados.
     Não é realmente este o ponto em que o apóstolo Tiago define estas coisas bem especificamente, simplesmente para dizer que em todas as formas e maneiras possíveis a vida é exposta à problemas.

     E a questão é... como lidar com isto?

     O apóstolo Tiago nem mesmo distingue entre os problemas internos e os problemas externos. Na vida cristã este tipo de distinção não pode ser feita, e nem precisa ser feita.
     Os problemas vêm em ambas as formas.  Alguns dos problemas estão fora de nós, enquanto que alguns problemas estão dentro de nós.
    
     Alguns dos nossos problemas mais profundos não têm nada a ver com ninguém mais. 
Tem a ver somente com os nossos desapontamentos pessoais. 
Tem a ver apenas com a nossa insatisfação pessoal. 
Tem a ver com amor não correspondido. 
Tem a ver com emoções que parecem que nunca são capazes de serem resolvidas. 
Tem a ver com medos e com ansiedades e com preocupações e com cuidados e com frustrações e com mal entendidos, com sonhos que nunca foram realizados, com expectativas que nunca foram alcançadas, com solidão e com perda.
      E há as coisas externas como a crítica e a perseguição e os maus entendidos e os conflitos e as mentiras e o que for que seja... esta é a vida.

     Agora, o apóstolo Tiago diz como reagir à isto, e o versículo 3 diz que isto é um teste. E é um teste da nossa fé:

     “sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança.” (Tg 1.2 - ARA).

     Você vê que no fim, a maneira como você responde à todas as dificuldades da vida é, na verdade, um teste da sua fé. E mostra para onde aponta o medidor da sua fé, para o fraco ou para o forte.
     Você tem que olhar para as provações desta maneira. As provações são testes para demonstrar a sua fé.
     E idealmente, você vai atravessar este teste e vai sair no versículo 12:

     Bem – aventurado o homem que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam. ” ( Tg 1.12 ).

     Ou seja, você será abençoado por que você perseverou. Você suportou. Você resistiu. Você passou através das provações e você foi abençoado e você vai receber a coroa que é a vida.
     É aonde Deus quer que toda a coisa termine, com bênção e com recompensa eterna. A coroa que é a vida simplesmente fala de uma recompensa eterna... bênção presente e um aumento da recompensa eterna.

     Agora foque isto na sua mente. O propósito das provações na vida é para que você, e não Deus (Ele sabe aonde está a sua fé), para que você possa conhecer a força ou a fraqueza da sua fé de modo a suportar as provações para que você seja abençoado nesta vida e seja recompensado na próxima vida.

     Deus tem a intenção de, através das tribulações, nos garantir a graça e a bênção eterna.

     Agora, a pergunta que vem é a seguinte... 

Como resistir à estas provações e como suportar estas provações para que no fim nós recebamos a bênção e a recompensa eterna? 

Como ser capaz de fazer isto?

     Eu acredito que o texto revela cinco coisas que são necessárias... cinco coisas, e esta é a nossa receita para perseverança, esta é a nossa receita para suportar as provações.

     E eu espero que esta pequena lista possa grudar na sua mente, que você possa escrever isto e voltar a este texto sempre que for necessário, por que este texto realmente é a chave da perseverança que é a chave para ser abençoado que é a chave para a recompensa eterna.

     Número um, a primeira coisa a ser cultivada no meio da tribulação é uma atitude alegre... uma atitude alegre. E é justamente aqui que o apóstolo Tiago começa.

     “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações. ” (Tg 1.2 - ARA).

    “ Meus irmãos ” aqui em Tiago 1.2 indica que o apóstolo Tiago está falando para os crentes, os cristãos, bem como está falando para aqueles a quem é feita referência no versículo 12 que amam a Deus.

     Nós estamos falando aqui de pessoas que amam a Deus, pessoas que conhecem a Deus, pessoas que são nossos irmãos e irmãs em Cristo.

     E pelo jeito, o apóstolo Tiago gosta de utilizar o termo “irmãos”, tanto que o apóstolo Tiago utiliza o termo “irmãos” aproximadamente 10 vezes nesta epístola tão curta. Ou seja, o apóstolo Tiago realmente identifica os seus leitores como crentes.

     Então, a ideia de que de alguma forma quando você se torna cristão você é livre dos problemas, não é verdadeira. 
A ideia de que de alguma forma quando você se torna cristão se a sua fé é forte o suficiente... então você não vai ter dificuldades na vida, você não vai falhar, você vai experimentar um sucesso imensurável, um preenchimento de saúde, riqueza e prosperidade, e etc... isto simplesmente não é verdade.

     Nós estamos falando aqui sobre cristãos que estão atravessando problemas e, que em primeiro lugar e antes de qualquer coisa, o apóstolo Tiago diz que o cristão deve considerar tudo isto com alegria:

     “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações.” (Tg 1.2  - ARA).

     Isto é uma... isto é uma declaração... na forma do verbo eu acredito que o apóstolo Tiago está dando um mandamento do tipo de uma vez por todas.
     Em outras palavras, você precisa estar comprometidamente consciente de que em algum ponto da sua vida quando você entrar por um processo de provações você precisa estar comprometido a lidar com isto com alegria.

     Agora, “considerar” é uma palavra muito importante. Me permita por um minuto tentar desdobrar esta palavra para você.

     Se você realmente pensa sobre isto, apenas tome isto em um sentido genérico, se você realmente pensa sobre alguma coisa, se você realmente processa o que é que está acontecendo, você começa a chegar não somente ao entendimento do efeito que as provações estão tendo em você, mas também para onde as provações estão levando você.

     Você não pode processar algo na sua mente sem processar as suas implicações. E isto é muito importante. Na verdade, você poderia traduzir a palavra grega “pense para frente”. E no processo do sofrimento pelo qual você está passando, olhe para os benefícios que estas provações trarão, e saia do trauma momentâneo por que não há alegria na dor imediata.

     Pensando sobre a perda da minha mãe esta semana, foi muito difícil encontrar alegria refletindo sobre a morte dela. Pensando nela tendo uma hemorragia cerebral e caindo ao chão, pensando que ela já não vai mais estar por perto e eu já não a verei mais e preso naquele momento, eu me encontrei quase que esmagado pela tristeza da perda da minha mãe.

     E como você pensa sobre isto de uma perspectiva cristã, não é um longo caminho até você começar a pensar mais além e começar a pensar sobre o fato de que além de tudo o que acontece há o céu e é lá que ela está e aonde ela vai estar quando eu chegar.

     Você começa a pensar sobre os momentos passados de dor e de alegria e começam a quebrar em você assim como a luz da aurora vai dissipando a escuridão.

     Quando você encontra variadas provações na vida, aonde quer que elas aconteçam, meus irmãos, comecem a pensar um pouco mais além, não fiquem presos em... não fiquem presos neste momento.

     A vida... e eu relembro o meu pai novamente, ele sabe isto muito bem, ele pregou isto toda a vida dele... mas eu me lembrei que a vida dele é como um vapor que aparece por um pouco de tempo mas que logo depois é dissipado.
     É uma breve respiração, esta vida, e quando você pensa mais além você pensa em reuniões e você pensa nas glórias do céu e você pensa na vida eterna, e você pensa em ser feito como Cristo, em glória e em bênção eterna.

     Então, aonde quer que você encontre estas provações, você começa a pensar mais além na alegria da realidade que está por trás disto. E você não somente pensa no caso da morte, mas pensa também no caso das enfermidades. E ao invés de ficar preso na tristeza da experiência imediata, você começa a pensar mais além... e a pensar em quê?... pensar no que Deus está produzindo através disto.

     E acho que as palavras do apóstolo Paulo que... que poderia pensar além da sua própria dor, há tantas coisas que ele poderia dizer que quando eu estou sofrendo eu estou também recebendo o conforto de Deus no meu sofrimento para que eu aprenda que eu serei capaz de confortar você no seu sofrimento [ver II Co 1.3 – 4].

     Neste processo de atravessar um período de dor estes dias, eu estou sendo preparado para que no futuro eu seja capaz de ajudar você a lidar com a sua dor.

     Neste processo de frustração e de dor e de sonhos que não foram cumpridos e de planos e de objetivos que nunca foram realizados, não conseguindo o trabalho que eu quero, a educação que eu quero, a posição que eu quero, não conseguindo o que eu desejo no meu casamento ou na minha família, ou em qualquer lugar que seja, eu entendo que mesmo no meio do sofrimento Deus está queimando um pouco do meu orgulho, um pouco da minha ambição e Deus está reformando a minha obstinação e me movendo para o tipo de sofrimento que me refina e que me faz mais parecido com o meu Salvador.

     E isto é olhar mais à frente não é? Não ficar preso no meio da dor e da experiência de alegria. Você tem que caminhar para frente. Você sabe o que é mais triste sobre ser... sobre não ser um cristão, é que não há nenhum caminho para frente. 
Se você não é um cristão, então não há Deus para mover você para frente, não há esperança de vida eterna, não existe um propósito soberano no desdobramento da sua vida.

     O plano é um pouco diferente do que você planejou, mas é exatamente o que tem que ser. Não há um caminho para a esperança nisto, para confiar nisto, para ter confiança nisto. Não há um caminho para acreditar que de alguma forma isto vai elevar o nível da sua vida espiritual, a um nível de bênçãos e de recompensas eternas que nunca deveriam ocorrer caso o sofrimento não tivesse vindo. É apenas um em branco. Difícil de ir além da dor.

     Esta é a razão pela qual as pessoas que não tem esperança são tão profundamente tristes. Mas mesmo tendo esperança em Deus nós cristãos também nos entristecemos exatamente como as pessoas que não tem esperança, não nos entristecemos? E nos entristecemos por que pensamos além de praticamente tudo.

     Não importa qual é o sofrimento que está invadindo as nossas vidas, e não importa quais são as dificuldades quem vem contra a nossa vida. Momentaneamente, nós não gostamos das provações.

     Você se lembra de Hebreus 12? 

Quando o Senhor nos castiga por um momento, isto é motivo de tristeza, não é mesmo? É isto o que nós dizemos. E não é bom quando isto está acontecendo. É entristecedor.

     E, na verdade, toda a correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por  ela.” (Hb 12.11).

     E se tudo o que você faz é olhar para o momento, você vai estar preso aí: “E, na verdade, toda a correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela.”

     O que Deus quer fazer na sua vida é produzir justiça e retidão e justiça e retidão são as coisas gloriosas que você pode possuir e é também a coisa maior e mais maravilhosa a ser desfrutada. Se você olhar para frente você vai ver justiça e retidão. Mas se você permanecer preso na sua dor, você não vai conseguir tirar os olhos da própria dor, ao que apenas parece ser triste.

     As provações nos cercam. Às vezes, as provações parecem nos colocar tão pra baixo a ponto de nos afogar e de nos engolir. E não há maneira alguma de não enfrentar as tribulações. A única maneira de evitar as provações, é enfrentando as provações.

     Mas ainda assim, o apóstolo Tiago escreve que os crentes devem considerar com toda a alegria enfrentar as provações, olhando para frente para ver o que é que Deus está fazendo:

     “Meus irmãos, sintam-se felizes quando passarem por todo tipo de aflições. Pois vocês sabem que, quando a sua fé vence essas provações, ela produz perseverança.” (Tg 1.2-3 – NTLH).

     Por que... e o nosso Senhor seria o grande exemplo disto... por que é que nós podemos ser tão confiantes sobre o que é que pode sair disto? 

Olhe para Jesus.

     “olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus. ” ( Hb 12.2 – ARA).
    

     Você quer resistir às dificuldades? 
Você quer suportar as provações? 

Pois então olhe fixamente para Jesus: 

olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus. ”   

      Para resistir às dificuldades e suportar as provações, olhe firmemente para Jesus, o autor e consumador da fé... e escute isto... que pela alegria que lhe estava proposta, suportou... suportou o quê?... a cruz, não fazendo caso da vergonha e agora está assentado à destra do trono de Deus.

     Eu quero dizer, Cristo estava na mesma situação. 
No Jardim do Getsêmani, quando olhou que seria o portador imediato dos pecados, Jesus disse ao Pai, para passar dEle o cálice: 

“E, indo um pouco mais para diante, prostrou – se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres. ” (Mt 26.39).

     Eu não penso que posso suportar isto. Ser pendurado na cruz: 
“Oh Deus, Meu Deus, por que me abandonaste? ”:

     “E, à hora nona, Jesus exclamou com grande voz, dizendo: Eloí, Eloí, lamá sabactâni? que, traduzido, é: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? ” (Mc 15.34).

     A tristeza, a dor e o pesar seriam absolutamente indescritíveis do ponto de vista humano. A agonia de Cristo foi tão grande no Jardim do Getsêmani que Jesus transpirou, grandes gotas de sangue, os vasos capilares de Jesus se romperam e Ele começou a transpirar sangue... a agonia foi tão severa, e a angústia mental tão grande que apareceram no corpo de Cristo.
     A agonia da cruz foi inexplicável. E ainda assim, foi pela alegria que lhe estava proposta que Ele suportou tudo isto: “olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus.”

     A alegria não estava nisto, a alegria estava fora disto, a alegria estava através disto. A alegria já estava definida quando Cristo estava assentado à mão direita do trono de Deus.
     Jesus Cristo disse em Lucas 22.28 aos Seus discípulos que os discípulos haviam permanecido com Cristo nas aflições de Cristo: 

“E vós sois os que tendes permanecido comigo nas minhas tentações.” (Lc 22.28).

     Jesus Cristo nunca procurou as provações; as provações vieram até Ele. E Ele sempre as aceitou. E mesmo a provação da cruz aonde Cristo poderia ver através da glória de Deus, e Ele suportou a cruz com alegria.

     Não poderia haver uma provação maior que a privação da cruz, poderia? 
Aquele que é sem pecado, carregando os pecados dos pecadores. 
O inseparável segundo membro da Trindade de alguma forma separado dos outros dois membros? 

Isto é impensável. 

Mas Ele suportou tudo isto pela alegria que Lhe estava proposta:

     “olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus. ”

     Agora, o apóstolo Tiago não apenas diz… eu desejo que vocês tenham apenas um pouco de alegria neste processo. 
O apóstolo Tiago diz: 
“Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações.” (Tg 1.2 – ARA).

       Nós podemos perguntar:

 “O que você quer dizer com isto apóstolo Tiago que o cristão deve ter por motivo de grande alegria quando passar por diversas provações? ”

     Ora o que o apóstolo Tiago quer dizer quando afirma que o cristão deve ter por motivo de toda alegria quando passar por diversas provações é muito simples.

     Tendo uma decisão definitiva e convencida de encarar as provações como uma fonte de pura alegria, de alegria sem mistura, de alegria completa, de alegria transcendente, de alegria compreensiva, de alegria total, de alegria compartilhada, da alegria de poder contar com o privilégio de poder sofrer por saber que as provações e o sofrimento trazem a bênção divina e a glória eterna.

     Certamente o apóstolo Paulo aprendeu isto, não aprendeu? 
Ele aprendeu que qualquer que seja o estado em que ele está, ele deve estar... estar o quê?... contente, por que ele sabe que no meio da mais profunda provação, vem a bênção.

     Ele diz em Filipenses 1.18, e ele era um prisioneiro no tempo em que disse isto, ele estava sendo impiedosamente criticado pelos outros pregadores, então ele estava sofrendo fisicamente, sofrendo assaltos, sofrendo perseguição física e mental... então ele diz:

     “Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda.” (Fp 1.18).
    
     Aqui há um homem com uma convicção firme e inabalável. Eu não sei o que é que poderia ser feito, ou se é que alguma coisa poderia ser feita para levar embora a alegria do apóstolo Paulo. O apóstolo Paulo estava determinado a se alegrar no meio das provações por que ele podia ver além do sofrimento em si.

     O capítulo 12 de II Coríntios versículo 10, diz assim: 

Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte.” (II Co 12.10 ).

     O que o apóstolo Paulo está dizendo é que, quando Deus o quebra através das provações então Deus o fortalece com a força da sua graça eterna.

     Foi a alegria de Jó que o levou a dizer isto. E Jó sofreu. Você sabe, é tão inimaginável o que Jó enfrentou. Eu quero dizer, eu medito tantas e tantas vezes na história de Jó e a história de Jó está com tanta frequência na minha mente, que este pobre homem enfrentando tantas provações na vida, um homem justo, tão justo como não havia ninguém mais no mundo.

     E é por causa disto que Deus o utilizou como prova de Seu ponto de argumento contra Satanás, quando Satanás veio e disse a Deus que a única razão de Jó servir a Deus são as bênçãos de Deus:

     “Então respondeu Satanás ao Senhor, e disse: Porventura teme Jó a Deus debalde?
     Porventura tu não cercaste de sebe, a ele, e a sua casa, e a tudo quanto tem? A obra de suas mãos abençoaste e o seu gado se tem aumentado na terra.
     Mas estende a tua mão, e toca – lhe em tudo quanto tem, e verás se não blasfema contra ti na tua face.” (Jó 1.9 – 11).

     E Deus está provando para Satanás e Deus prova que a verdadeira fé salvadora não pode ser quebrada nem mesmo pelas provações mais severas e que a confiança de um verdadeiro filho de Deus não pode ser quebrada. É uma coisa eterna.

     Então Deus permitiu Satanás provar Jó: 

“E disse o Senhor a Satanás: Eis que tudo quanto ele tem está na tua mão; somente contra ele não estendas a tua mão. ” (Jó 1.12).
     E então Satanás foi atrás de Jó. Todos os filhos de Jó morreram. Toda a sua colheita foi embora. Todos os seus animais morreram. Jó foi reduzido à miséria. Tudo o que Jó tinha era uma mulher que o atormentava dizendo para o marido blasfemar na face de Deus e morrer [ver Jó 1.13 – 22].
    
     A vida de Jó estava tão miserável que ele tinha feridas por todo o corpo e alguma espécie de enfermidade que o fez se assentar em uma pilha de lixo com um pedaço de caco de telha quebrada para se coçar e para raspar o pus das feridas do seu corpo [ver Jó 2.1 – 8].

     E para piorar ainda mais as coisas, Jó tinha alguns amigos estúpidos, sem inteligência e maus conselheiros que foram até Jó e disseram à Jó todas as respostas erradas para os dilemas de Jó... o que foi também um outro tipo de sofrimento causado pelas acusações de pecado de Jó dizendo que a razão pela qual Jó estava em problemas era por causa dos seus próprios pecados pessoais e nada mais.
     E Jó continuava dizendo... Não, Não é não!
     E ainda assim alguns psicólogos cristãos modernos ainda diriam nos dias de hoje... Óh, Jó está em um processo de grande negação pessoal.

     Bem, Jó estava em um processo de negação pessoal por que ele tinha todo o direito de estar. Jó disse assim no capítulo 23 e no versículo 10: 

Porém ele sabe o meu caminho; provando-me ele, sairei como o ouro.” ( Jó 23.10 ).

     Isto não é fantástico? 
Você pensa que já teve problemas? 

Pois bem, você não perdeu todas as pessoas da sua família e nem perdeu todas as suas posses do dia para a noite como Jó perdeu.

     Mas tudo bem, diz Jó por que enquanto Deus estou atravessando as provações eu estou olhando para frentes e vendo que Deus está me purificando como ouro:

     Porém ele sabe o meu caminho; provando-me ele, sairei como o ouro. ” (Jó 23.10 ).

     Ou seja, é olhando para frente nos momentos de provação que podemos encontrar razão para a alegria:

     “Meus irmãos, sintam-se felizes quando passarem por todo tipo de aflições. Pois vocês sabem que, quando a sua fé vence essas provações, ela produz   perseverança.” ( Tg 1.2-3 – NTLH ).

     Em segundo lugar, não somente a perseverança através das provações requer uma atitude alegre, mas também um entendimento mental... um entendimento mental.

     Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência.” ( Tg 1.3 ).

     A palavra “sabendo” aqui em Tg 1.13 é uma palavra chave.

     Se a palavra chave em Tg 1.2 é “alegria”, então a palavra chave aqui em Tg 1.3 é “sabendo” [do grego “ginosko”], por experiência própria e pessoal.

     O conhecimento pessoal nos dá a informação necessária para avaliar as nossas provações para que possamos olhar para frente com alegria.

     O quê é que você precisa saber? 
O quê é que você realmente precisa saber? 

Bem, eu vou dizer a você aonde é que eu estou ancorado. 
Há um número de coisas que eu preciso saber e que se eu não as souber eu não posso olhar para frente e ter aquela alegria no meio das provações. 
Se eu não souber estas coisas é impossível!

     E o fato que o apóstolo Tiago aponta aqui e que resume tudo isto, que resume tudo o que você precisa saber é que você precisa saber que o teste da sua fé produz perseverança: 

Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência.” ( Tg 1.3 ).

     Isto é o que você precisa saber. Este teste [do grego dokimon] é a mesma palavra para provar que Deus tem um propósito, e este propósito é tonar você mais forte e produzir em você o poder da permanência.
     Eu amo isto, “hupomone”, que significa que você pode estar sob pressão e permanecer firme durante as provações e suportar. É esta tenacidade de espírito que nos mantém firma quando estamos sob pressão. Este é o tipo de coisa geral.

     O que você precisa saber é que Deus está trabalhando na sua vida.  Isto é o que você precisa saber. 
E o trabalho que Deus está fazendo na sua vida é desenvolver a sua força espiritual para que você seja mais útil, mais abençoado e receba uma grande e eterna recompensa. Este teste está produzindo. Está atingindo o seu alvo. Está alcançando o seu objetivo.

     Então, você sabe o quê é que eu preciso saber? 

Permita – me desmembrar este argumento em algumas partes. Eu preciso saber isto, que quando eu estou atravessando as provações, Deus está permitindo que eu atravesse estas provações, ok? 

Eu preciso saber isto. Eu preciso saber isto. Deus está permitindo que eu atravesse estas provações.
      
Você se lembra que em II Coríntios 12 o apóstolo Paulo foi até Deus através das orações por três vezes pedindo um livramento:

     “E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar.

     Acerca do qual três vezes orei ao Senhor para que se desviasse de mim.” (II Co 12.7 – 8).
 
     E a resposta de Deus para as orações do apóstolo Paulo foi não, foi que não haveria de tirar o espinho da carne, mas que ao invés de tirar o espinho o daria graça para suportar as provações por que Deus queria realizar uma obra na vida dele:

     “E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. ” ( II Co 12.9 ).

     Você vê, isto é muito importante saber. Você precisa saber isto. E eu preciso saber que estas coisas não acontecem nas nossas vidas ao sabor do acaso. Elas não acontecem nas nossas vidas desordenadamente, elas não acontecem nas nossas vidas por sorte. Não é apenas um dia mau. É a soberania de Deus trabalhando na vida de todo cristão propositadamente para atingir o fim e o objetivo que Deus deseja.

     Eu preciso saber disto. 
Se eu não entender isto sobre o meu Deus, então eu realmente vou muito dificuldade em olhar para frente e encontrar alegria em tempos de provação. Se eu acreditasse nisto... como as últimas ondas teológicas estão nos dizendo, este novo processo teológico... eles estão ensinando que Deus não é quem a Bíblia diz que Deus é, Ele é um trabalho em processo. E Ele está em um tipo de processo como todos nós também estamos tentando resolver o problema e se desenvolver naquilo que deveria ser. Eu não estou interessado em um Deus assim. Eu não quero um Deus que está lá em cima tentando descobrir a Si mesmo, classificando o Seu trabalho em alguma... em alguma escada espiritual para se tornar o que deveria ser.

     Deus não está em um processo para se tornar em alguma coisa na qual Ele não é agora. 
As Escrituras dizem que Deus é quem Ele é e que Ele é imutável. 
Deus não precisa mudar, Deus não tem que mudar, Deus nunca vai mudar.
Eu tenho que saber quem é o meu Deus. 
Eu preciso deste parecer teológico. 
Eu preciso ter um parecer de entendimento da natureza, e da imutabilidade, que é uma palavra que significa que Deus não muda, que significa que Deus é imutável, que significa que Deus não é mutável, que significa que Deus não muda e que significa que Deus não sofre alteração.
     O caráter de Deus é fixo e estabelecido. 
Eu preciso saber não somente que Deus é imutável, mas eu também preciso saber que Deus é soberano. 
E isto quer dizer que não existe poder algum que possa frustrar os esforços de Deus.
     Eu quero dizer que, e isto seria algum muito importante a dizer... Bem, Deus tem um plano. 
Deus sabe de todas as coisas. 
Deus tem um plano. 
E Deus realmente gostaria de realizar este plano na sua vida, mas Deus realmente está tendo problemas para fazer com que este plano seja bem sucedido.
    
     Eu realmente fico estressado quando ouço pregadores dizerem assim: “Você sabe, Deus quer fazer isto; mas, garoto, Ele não pode fazer isto por que Satanás está frustrando a Deus.”

Apenas se lembre de que Satanás é um servo de Deus. Satanás não parou Deus de atingir os Seus propósitos. Satanás não é soberano sobre Deus.

     Então, você vê, eu preciso saber que as provações são um teste designado por Deus para me tonarem mais forte, para desenvolverem a tenacidade de espírito que me fortalece e que me mantém firme quando eu enfrentar pressões futuras e faz a mim uma bênção para outras pessoas e uma força para eles e uma honra para o nome de Deus.

     Eu preciso saber que o meu Deus tem um plano e eu sei... eu preciso saber que o meu Deus é poderoso o suficiente para realizar este plano. E eu preciso saber que o meu Deus é sábio o suficiente e tem o plano certo.

     Outra coisa que eu preciso saber é que Deus ao efetuar este plano nunca vai me colocar em uma posição na qual eu tenha que lidar com algo do qual eu não seja capaz de lidar.
      
Você se lembra de I Coríntios 10.13? 

Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.” (I Co 1013).

     Não, Deus tem um plano, Ele é soberano o suficiente para realizar este plano. Deus é sábio o suficiente para que nós sejamos confiantes de que o plano de Deus é o plano certo. E Deus nunca vai nos colocar através de uma provação na qual Ele próprio não nos dê também a graça para suportar esta provação.

     Você vê, é na minha confiança no meu Deus que eu me ancoro. E eu preciso saber isto. Eu preciso saber que eu não sou um pedaço de madeira flutuando por aí, eu não sou um pedaço de pau descendo pelas águas de uma cachoeira que apenas segue a correnteza das águas. Eu não sou um pedaço de madeira que fica flutuando pelo mar e que depois é encontrado na areia. Eu não algo descartável que é jogado ao mar e que fica flutuando pelo mar e que depois é encontrado na areia.

     Há um Deus, um Deus vivo, soberano e eterno que está no controle de cada detalhe da minha vida. Deus está intimamente envolvido em todas as coisas. E se eu não sei disto, então a minha vida toma um rumo completamente diferente.

     Me permita dizer à você o quão longe eu pretendo ir com isto. Eu nunca culpo a Satanás pelas minhas tribulações... nunca. E não é Satanás que vai colocar nas provações. É Deus quem vai permitir Satanás trazer uma tribulação contra a minha vida para os fins dos propósitos santos de Deus.
     Satanás é um servo de Deus. E eu nunca culpo a Satanás pelas minhas provações. Satanás não pode me tocar mais do que poderia tocar em Jó se Deus não lhe houvesse permitido. E no caso de Jó, Deus permitiu Satanás tocar em Jó para testar a fé de Jó.
     E você se lembra que a fé de Jó nunca vacilou. Jó disse que ainda que Deus o matasse violentamente ainda assim, Jó confiaria em Deus:

     “Ainda que ele me mate, nele esperarei; contudo os meus caminhos defenderei diante dele. ” (Jó 13.15).

     E no fim Deus abençoou a Jó e deu a Jó outra família e ainda mais animais e mais terras e mais safras derramando uma enxurrada de bênçãos na vida de Jó. Jó passou no teste.

     Eu nunca culpo a Satanás pelas minhas provações. Deus é quem está por trás das minhas provações.

     Agora em II Coríntios 12 você se lembra quando nós estudamos isto, o apóstolo Paulo fala sobre um espinho na carne. Você se lembra o que ele disse, que foi lhe dado um espinho na carne, um mensageiro de Satanás.

     “E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar. Acerca do qual três vezes orei ao Senhor para que se desviasse de mim. ” ( II Co 12.7-8).

     Isto está certo, literalmente foi dado ao apóstolo Paulo uma vara, uma haste, um eixo, uma lança justamente para dirigi-lo e conduzi-lo, e era muito doloroso, por que era um mensageiro de Satanás, mas foi dado ao apóstolo Paulo por quem? Por Deus!

     E é justamente por isto que o apóstolo Paulo vai até Deus em oração e pede a Deus que remova este espinho na carne.

     “E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi – me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar. Acerca do qual três vezes orei ao Senhor para que se desviasse de mim. ” ( II Co 12.7 – 8 ).
    
     E Deus disse não, Eu quero que este mensageiro de Satanás perfurando a sua carne para que ao invés de estar orgulhoso você seja humilde, o apóstolo Paulo diz, por que ele tinha tido tantas visões que ele poderia se orgulhar destas visões se Deus não utilizasse o próprio Satanás e o mensageiro de Satanás para perfurar a sua carne por que de outra maneira ao invés de estar humilde ele estaria orgulhoso:

     “E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. ” (II Co 12.9).

     Você precisa saber isto. Você precisa saber que até mesmo Satanás é servo de Deus. Então, quando a provação vem, a quem é que você atribui a provação? Deus... Deus. E é a provação que produz, de acordo com o versículo 3, a a resistência, ou a paciência ou a perseverança:

     Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações; Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência.” ( Tg 1.2-3 ).

     Então, o que você precisa saber, veja, é o propósito na sua provação. Você precisa entender e saber que Deus tem um plano e que Deus tem o poder para realizar este plano, a sabedoria para desenhar o plano correto e a compaixão e a graça para nunca colocar você em uma provação que você não pode suportar.

     À medida em que você passa pelas provações você desenvolve a perseverança, e você adquire uma força maior para enfrentar as próximas provações. À medida em que você passa pelas provações você vai ter uma resistência muito maior para enfrentar as próximas provações. E pouco a pouco, passo a passo, Deus está produzindo uma força cada vez maior para sua própria bênção e utilidade e para a Sua grande glória.

     Em Hebreus capítulo 11 há uma boa ilustração disto. No caso de Moisés ele cresceu nisto, e o versículo 24 diz que Moisés recusou ser chamado filho da filha de Faraó:

     “Pela fé Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó.”  (Hb 11.24).

     Isto quer dizer que Moisés recusou tomar todos os privilégios que ele poderia ter tido como príncipe no Egito. Moisés realmente não estava interessado nisto.
     Ele era uma criança muito bela, como é dito no versículo 23, ele era um homem extraordinariamente notável. E, é claro, ele foi muito favorecido na corte de Faraó:

     “Pela fé Moisés, já nascido, foi escondido três meses por seus pais, porque viram que era um menino formoso; e não temeram o mandamento do rei.” (Hb 11.23).

     Mas o versículo 25 diz que Moisés escolheu suportar os maus tratos juntamente com o povo de Deus do que desfrutar dos prazeres passageiros do pecado:

     “Escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado.” (Hb 11.25).

     Ao invés de desfrutar dos prazeres passageiros do pecado Moisés preferiu tomar toda a dor juntamente com o povo de Deus por que ele olhou adiante e viu que havia coisa muito melhor por vir:
    
 “Tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa.
     Pela fé deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como vendo o invisível.” (Hb 11.26 – 27 ).

Tomando os prazeres transitórios do pecado agora, o que é que nos aguarda na frente? Julgamento. Tome a repreensão de Cristo agora, e o que é que vai lhe aguardar no caminho? Bênção e recompensa eterna.

     Você vê, Moisés considerou de acordo com o versículo 26 o vitupério de Cristo como uma riqueza muito maior do que os tesouros do Egito, por que ele estava procurando por algo, e aqui está a chave, estava procurando... o quê?... a recompensa.

     “Tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa.” (Hb 11.26).

     Agora isto é básico. Você não deve olhar para o sofrimento passado, para a tristeza passada, para os desapontamentos passados, para as desilusões passadas, para os sonhos não realizados, para as enfermidades, para a morte, para a perda e para a separação. Moisés olhou para a recompensa que seria produzida por suportar o teste da sua fé fielmente.

     Ele acreditava em Deus. E ele acreditava que Deus era poderoso e que Deus tinha um plano e que Deus iria realizar este plano sabiamente e compassivamente e trazer à ele um fim glorioso.

     Perseverança então é o resultado de uma atitude alegre e de um correto entendimento.
     Em terceiro lugar, e eu apenas estou indo para a introdução do fim e então a próxima vez nós vamos cavar um pouco mais fundo nesta questão, uma vontade submissa... uma vontade submissa. Estes são todos os tipos de componentes misturados aqui... uma vontade submissa.

     Isto deveria ser bastante óbvio, de acordo com o versículo 4: “Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma.” (Tg 1.4).

     Deixe acontecer, deixe ir, seja submisso, e a palavra grega “hupeiko” aqui está no presente ativo imperativo, de modo que significa: deixe acontecer, deixe ir, não brigue, não resista, não seja prejudicado por isto.

     Se você tentar fazer isto, você pode trazer sobre você mesmo o castigo de Deus. Não lute contra isto. Não brigue contra isto. Deixe o trabalhar de Deus tomar lugar, abrace isto, entre em acordo com isto como o apóstolo Paulo fez. Ele disse: “Eu me alegro e me alegrarei não importa o sofrimento, não importa a dor.”

     Simplificando, você nunca deveria ficar relutante em permitir que Deus realize o Seu trabalho perfeito. Não diga para Deus: “Você sabe, o que eu realmente quero, Senhor, fora deste negócio é um vida livre de problemas.”

     Você sabe, você coloca a si mesmo em uma boa posição para uma disciplina especial. E ainda assim existem pessoas indo por aí e prometendo coisas do tipo, que você sabe, que o Cristianismo é uma entrada para uma vida livre de problemas.

     Você não quer pedir ao Senhor por uma vida livre de problemas. Você deveria pedir ao Senhor isto:

     “ Senhor, realize a Sua obra no meu coração, e não me dê uma provação maior do que eu posso suportar. Me mostre graça e compaixão, o Senhor conhece as minhas fraquezas e as minhas fragilidades. Eu desejo ver o Seu amor bondoso mas eu também quero que o Senhor realize o Seu trabalho. Eu quero que o Senhor realize a Sua obra perfeita. Eu desejo que o Senhor faça o que tenha de ser feito na minha vida para me tornar no que o Senhor quer que eu seja. ”

     Você precisa entrar em acordo com isto. Você precisa ser capaz de dizer isto. E eu acredito que provavelmente, para muitos cristãos isto é apenas... isto poderia ser muito, eu acredito, eu quero dizer, que realmente e honestamente dizendo, o que quer que seja que o Senhor precise fazer na minha vida, oh Deus, faça com que eu queria ser, faça isto... e isto é algo muito forte.
   
     Salmos 131, apenas um pequeno e breve Salmo, de três versículos:

     “SENHOR, o meu coração não se elevou nem os meus olhos se levantaram; não me exercito em grandes matérias, nem em coisas muito elevadas para mim.
     Certamente que me tenho portado e sossegado como uma criança desmamada de sua mãe; a minha alma está como uma criança desmamada.
     Espere Israel no Senhor, desde agora e para sempre. ”(Sl 131).
     Eu sou apenas uma pessoa simples, está dizendo o salmista, eu sou apenas uma simples pessoa do campo. E certamente eu tenho composto e aquietado a minha alma como uma criança desmamada descansa na sua mãe, a minha alma está como uma criança desmamada dentro de mim:
     Certamente que me tenho portado e sossegado como uma criança desmamada de sua mãe; a minha alma está como uma criança desmamada. ” (Sl 131.2)
   
  Isto é tão bonito.
    
 Você sabe o que é que o salmista está dizendo? 

Está dizendo que só quer se achegar e descansar no Senhor. 
Eu não posso descobrir tudo isto. 
Eu não sou capaz de descobrir tudo. 
Eu não quero nem tentar descobrir tudo. 
Eu só quero fazer como uma criança desmamada faz.

     Agora, o que é uma criança desmamada? Bem, usualmente uma criança é desmamada em qual idade? Em alguns lugares, a criança é desmamada entre um e dois anos de idade, ou três anos no máximo. E uma criança desmamada encontra um grande conforto e um grande contentamento nos braços da sua mãe, de sua mãe.

     O salmista está dizendo que ele realmente não precisa de todas as respostas, por que ele é como que uma criança desmamada. E as crianças desmamadas não precisam de todas as respostas. As crianças desmamadas não precisam saber para onde é que suas vidas estão indo. As crianças desmamadas não tem que ter todas as grandes questões da vida respondidas. As crianças desmamadas estão realmente muito mais contentes em apenas sentar no colo da mãe e descansar. 
E este sou eu. 
E eu realmente comprometo a minha vida a Ti, Senhor, eu me entrego a Ti e permito que o Senhor me segure e me guie.

     Permita que a perseverança tenha o seu resultado perfeito. Permita que Deus faça o que Deus quer fazer. 
Não resista à vontade de Deus. 
Não brigue contra a vontade de Deus. 
Apenas deixe Deus agir.
     Talvez as palavras do Salmo 37 sejam uma ajuda.

     “Descansa no Senhor, e espera nele; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos.
     Deixa a ira, e abandona o furor; não te indignes de forma alguma para fazer o mal.” (Sl 37.7 – 8)

     Apenas descanse... apenas descanse. Um pouco mais cedo no versículo... no capítulo, versículo 3:

confie no Senhor; 

versículo 4: se deleite no Senhor; 

versículo 5: se comprometa com o caminho do Senhor; 

então o versículo 7: descanse no Senhor.

     Confia no Senhor e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado. ” (Sl 37.3).
     Deleita – te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração. ” (Sl 37.4).
     Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará. ” (Sl 37.5).
     Descansa no Senhor, e espera nele; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos. ” (Sl 37.7 ).

     Esta é a ideia.

     Paciência é se mover em direção à perfeição, você vê. E ela tem um resultado perfeito, “teleion”.

     Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações;
     Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência.
     Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma. ” (Tg 1.2-4).

     Agora escute, isto não significa perfeição sem pecado nesta vida, isto significa apenas maturidade. 

Isto significa maturidade espiritual, espiritual... você quer se tornar um homem, completamente maduro ou uma mulher adulta com todas as faculdades e capacidades fortalecidas. Você quer crescer. 

E este termo grego “teleion” é utilizado para descrever as pessoas que estão plenamente crescidas e desenvolvidas, para descrever as pessoas que são maduras.

     E isto é o que o apóstolo Tiago está dizendo aqui. 
Você precisa permitir que Deus conduza você à esta maturidade. E você nunca vai chegar lá sem maturidade, você nunca vai chegar lá sem algum sofrimento ao longo do caminho.

     A fé então está sendo testada para trazer à nós uma maior dependência de Deus, uma maior resistência no processo de Deus nos conduzir à maturidade. E o apóstolo Tiago até repete isto no fim do versículo 4, que você pode ser perfeito e completo, sem faltar nada:

     Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma.” (Tg 1.4).

     Perfeito é “telei”? novamente, “teleion”, “teleion”?, Qualquer um. 

Completo é uma palavra que simplesmente significa inteiro... inteiro, tudo está lá, não falta nada, e esta é a ideia compreensiva aqui. E você precisa se render ao processo do trabalhar de Deus para que isto aconteça.

     E sempre pergunto esta questão... “Senhor, por favor me mostre o que é que o Senhor está realizando. Senhor, através disto, me torne mais parecido com Cristo. Através disto me aproxima de Ti mesmo.”

     As provações nos levam à inteireza, à completude. As provações nos levam à maturidade. As provações nos levam à maturidade espiritual. E juntamente com isto vem a força e o caráter e a virtude. E este é o propósito de Deus. isto nos leva à estabilidade. Isto é o que é a vida adulta, a estabilidade, o equilíbrio.

     Primeira Pedro capítulo 5 versículo 10: 

“E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus nos chamou à sua eterna glória, depois de havemos padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoe, confirme, fortifique e estabeleça.” (I Pe 5.10).

     Como Ele faz... como Ele faz isto? Depois de você ter sofrido um pouco: 

“E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus nos chamou à sua eterna glória, depois de havemos padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoe, confirme, fortifique e estabeleça.” (I Pe 5.10).

     Eu vou terminar com uma ilustração. Vamos voltar para Jeremias 48 e vamos pegar o restante disto na próxima mensagem.

     Jeremias 48, esta é uma grande porção das Escrituras e é uma porção muito facilmente não seria notada.
     Jeremias 48, versículo 11. Esta é uma profecia de julgamento nesta seção contra Moabe.

     Moabe esteve descansado desde a sua mocidade, e repousou nas suas borras, e não foi mudado de vasilha para vasilha, nem foi para o cativeiro; por isso conservou o seu sabor, e o seu cheiro não se alterou.” ( Jr 48.11 ).

     Os moabitas, obviamente, que são pessoas familiares a qualquer estudante da Bíblia, eram pagãos e pessoas idólatras que viviam do outro lado do Mar Morto na parte Sul daquela área, a Leste das terras de Israel.
     E Deus pronunciou um julgamento contra Moabe, um julgamento divino. E aqui no versículo 11 de Jeremias 48, debaixo da inspiração de Deus, o profeta Jeremias identifica qual era o problema de Moabe que tem estado descansando desde a sua mocidade: 
Moabe esteve descansado desde a sua mocidade, e repousou nas suas borras, e não foi mudado de vasilha para vasilha, nem foi para o cativeiro; por isso conservou o seu sabor, e o seu cheiro não se alterou.” (Jr 48.11).

     Você sabe o que tornou Moabe tão fraca moralmente? Uma vida fácil... uma vida fácil. Moabe está tranquila, sem ser perturbada, diz o versículo 11, descansando desde a sua mocidade:Moabe esteve descansado desde a sua mocidade, e repousou nas suas borras, e não foi mudado de vasilha para vasilha, nem foi para o cativeiro; por isso conservou o seu sabor, e o seu cheiro não se alterou.” (Jr 48.11).

     Está é uma passagem muito vívida. Me permita dizer à você sobre o que eles estão falando eu tenho que dizer isto da minha leitura; não da minha experiência pessoal por que eu realmente não poderia saber isto. Mas isto tem a ver com a fabricação de vinho. E agora você sabe por que eu não poderia entender nada sobre isto. Mas isto tem a ver com a fabricação de vinho. Quando o vinho é fermentado inicialmente há uma combinação do que é doce e do que é amargo.

     Tipicamente, o vinho era feito desta maneira ou de uma maneira semelhante. 
O líquido era vertido da casca da uva e era deixado no lagar por um bom tempo. 
O que poderia acontecer é que a parte mais amarga começaria a ir para o fundo e se tornar o que chamamos de resto ou escória.
     Depois de um período de tempo o que estava na superfície era então despejado em outro lagar e se esperava mais uma vez o tempo passar para se produzirem ainda mais resíduos. 
Depois de algum tempo derramado em outro lagar e ainda mais resíduos seriam produzidos até que finalmente não haveria mais resíduos a serem produzidos por que todos os resíduos já haviam sido removidos no processo. E o que você tinha no final era o vinho puro... o vinho puro.

     O problema com Moabe é que Moabe nunca foi despejada de tribulação em tribulação em tribulação em tribulação para que então todas as suas amarguras saíssem.

     Eu não sei à respeito de você, mas eu não quero estar nesta situação, eu não quero na situação de uma vida de facilidades. Se assim como o vinho Deus necessita me despejar de vasilhas em vasilhas em vasilhas até que todos os resíduos de pecaminosidade da minha vida sejam eliminados e o quer for deixado seja a pureza, o doce vinho da justiça, então que assim seja, amém? 

Nós queremos deixar Deus realizar a Sua obra, não queremos?

     Se nós vamos permitir a Deus realizar o Seu propósito nas nossas vidas, nós vamos ter que ter uma atitude de alegria. Nós vamos ter que ter um entendimento mental e uma vontade submissa. E isto é o começo. E como você sabe, por que nós vamos para o versículo 12, ainda há muito mais por vir.

     Bem-aventurado o homem que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam.” (Tg 1.12).

     Nós nunca cessaremos de sermos entusiasmados e abençoados e encorajados pela Tua Palavra, óh Pai, que apenas é extraordinariamente rica e instrutiva e que sempre será isto para nós.

     Obrigado Senhor, pela maneira que o Senhor trabalha nas nossas vidas para realizar os seus fins gloriosos, e eles não são somente para a Sua glória, eles são também para a nossa bênção e glória na Sua presença eterna.

     Nós somos privilegiados, Senhor, não apenas por sermos salvos, mas também por sermos santificados, por sermos assim como o vinho derramados de provações em provações e em provações até que todos os resquícios de impureza sejam abandonados.

     Realize o Seu trabalho nas nossas vidas, Senhor. Nos dê a visão mais ampla para olhar para o futuro com alegria nos momentos de provação. Nos dê um entendimento mental que confie no Seu plano e no Seu poder e na Sua compaixão e na Sua sabedoria.

     Nos dê uma vontade submissa que vai até mesmo estar ávida por permitir que as provações nos tragam a maturidade espiritual que vai nos recompensar com bênçãos nesta vida e com glória na vida por vir.

     E nós te agradecemos Senhor, por que o Senhor está trabalhando todas estas coisas em nós por que o Senhor nos ama como um pai ama os seus próprios filhos.

     Amém.


3 comentários :

  1. Verdadeiro bálsamo para o coração esta mensagem, muito consoladora e extremamente instrutiva, que Deus seja engrandecido!

    ResponderExcluir
  2. Muito instrutiva a parte aonde o autor fala de como Deus tratou com Moabe e a questão do vinho como as provações da nossa vida. Esta leitura foi uma benção de Deus na minha vida e vou recomendar a mais pessoas!

    ResponderExcluir
  3. TRIBULAÇÕES

    Você costuma maldizer as tribulações que a vida lhe oferece?
    Muitas vezes costumamos reclamar das adversidades pelas quais passamos, sem refletir nas lições de que são portadoras.
    Aqueles que dizem crer em Deus jamais deveriam maldizer as situações que se apresentam no caminho, antes, deveriam aceitá-las como uma oportunidade de aprendizagem.
    Uma semente, por exemplo, passa pela solidão, no interior da terra, para que a flor e o fruto possam surgir, enriquecendo a vida.
    A fonte passa sobre o lodo e as pedras para que os campos não sejam reduzidos à esterilidade.
    A lâmpada suporta a carga de força que gradativamente a consome, para dissolver as trevas.
    Assim acontece também em todos os campos de edificação e do sentimento.
    Se a criança não se desenvolvesse, transformando-se em adulto, a ingenuidade jamais daria lugar à experiência.
    Se a cultura não crescesse, não haveria progresso.
    Se a teoria não avançasse para a realização, nunca passaria de um montão de palavras.
    Dessa forma, entendamos transposição, atrito, provas e desafios como condições de melhoria e aperfeiçoamento, ajuste e elevação.
    À vista disso, aceitemos em paz as tribulações que a existência nos imponha.
    Se as lutas e tropeços, conflitos e lágrimas não nos visitassem os corações, nosso Espírito se deteria preso na ilusão e na insensatez, nas sombras da ignorância e do primitivismo.
    Agradeçamos os obstáculos que nos chegam em forma de alteração ou mudança, quebrando-nos a inércia e renovando-nos a vida.
    Recordemos a águia recém-nascida.
    Não fosse o rompimento do invólucro que a constringe, não desenvolveria as próprias asas para ganhar as alturas.
    E sem os empurrões da águia mãe talvez o filhote não encontrasse coragem suficiente para se lançar penhasco abaixo e descobrir as maravilhas de poder voar, livre, pela imensidão dos ares.
    Não fossem os tombos, na tentativa dos primeiros passos, não aprenderíamos a nos sustentar sobre as próprias pernas.
    Sem as enfermidades que apodrecem a nossa tola vaidade, não desenvolveríamos a salutar humildade.
    Se não existisse o sofrimento, que arrebenta a concha do nosso egoísmo, não encontraríamos o caminho que conduz à felicidade efetiva.
    Observando a vida sob esse ponto de vista, não mais reclamaremos das tribulações, mas saberemos retirar de cada uma delas, as lições necessárias ao nosso crescimento.

    O sol brilhará novamente amanhã, na seara onde você trabalha.
    Procure receber todas as dificuldades com fervorosa confiança em Deus, que o identifica pelas qualidades de serviço, abnegação e renúncia.
    Mantenha, assim, o ideal do bem hoje e sempre, acima de todas as vicissitudes, porquanto, se o corpo transitório marcha para o túmulo, o Espírito, nas lutas que o vitalizam, lentamente se renova no rumo da vida imortal.
    Pense nisso!
    -----------------------------------------------------------------------
    Redação do Momento Espírita com base no cap. 14, do livro Rumo certo, pelo
    Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. Feb
    e no cap. 57, do livro Legado kardequiano, pelo Espírito
    Marco Prisco, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.
    FORMATAÇÃO E PESQUISA: MILTER - 31-07-2016 -ADDE

    ResponderExcluir

OBSERVAÇÃO:
NEM TODAS AS POSTAGENS TRADUZEM, NECESSARIAMENTE, A OPINIÃO DO SITE MATÉRIAS DE TEOLOGIA

Soli Deo Gloria