CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

FUNDO

JESUS EM ISAÍAS 53 (parte 2)

JESUS CRISTO EM ISAÍAS, CAPÍTULO 53

jesus em isaias

por John Piper 
Tradução: Thiago Mancini  

Parte II: Como Um Cordeiro Que É Levado Ao Matadouro ( Is 53.7 – 9 )
 
  "Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.
Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido.
E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca."


             ( Is 53.7 – 9 )   

Hoje e na próxima semana nós vamos continuar olhando para o Servo do Senhor no capítulo 53 do livro do profeta Isaías.

     Semana passada, a última mensagem estava baseada em Is 52.13 – Is 53.6

     A"canção do servo"como algumas vezes é chamada começa da seguinte forma:

    "Eis que o meu servo procederá com prudência; será exaltado, e elevado, e mui sublime." (Is 52.13).


     E nós dissemos que o "Servo" aqui nesta canção não pode ser o povo de Israel e também não pode ser o profeta Isaías, por que o Servo está servindo a ambos, ao povo de Israel e ao próprio profeta Isaías.

     Vejamos Isaías 53.4:

    "Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido." (Is 53.4).

     O Servo está carregando os sofrimentos e as dores do povo da nação de Israel e do profeta Isaías; e então, o Servo é alguém mais, que não seja o povo da nação de Israel e que não seja o profeta Isaías.

O Que o Profeta Isaías Sabe Sobre a Vinda do Servo?

     Mas o profeta Isaías não compreende plenamente quem é o Servo. Ainda assim, na última semana nós vimos que o profeta Isaías sabe pelo menos 5 coisas sobre a vinda deste Servo.

1] O profeta Isaías sabe que todos nós somos pecadores rebeldes contra o nosso pastor, rei e Deus:
    "Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos." (Is 53.6).

2] O profeta Isaías sabe que Deus está enviando o seu Servo que vai ser rejeitado pelos pecadores rebeldes:

    "Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum." (Is 53.3).

3] O profeta Isaías sabe que sendo rejeitado, o Servo não estava falhando em sua missão; mas estava se tornando resgate e substituto para os pecadores rebeldes:

    "Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados." (Is 53.5).

4] O profeta Isaías que as nações e os reis que não conhecem ou não entendem nada acerca destes assuntos vão ser aspergidos pelo Servo e as suas visões serão restaurados para verem o Servo como o Servo é:

    "Assim borrifará muitas nações, e os reis fecharão as suas bocas por causa dele; porque aquilo que não lhes foi anunciado verão, e aquilo que eles não ouviram entenderão." (Is 52.15).

5] E finalmente, o profeta Isaías sabe que o resultado final de tudo isto será que o Servo vai ser grandemente exaltado e magnificado de modo que todos os reis da Terra irão calar a boca diante do Servo em um silêncio reverente:

    "Eis que o meu servo procederá com prudência; será exaltado, e elevado, e mui sublime." (Is 52.13).

    "Assim borrifará muitas nações, e os reis fecharão as suas bocas por causa dele; porque aquilo que não lhes foi anunciado verão, e aquilo que eles não ouviram entenderão." (Is 52.15).

     E na última mensagem nós vimos mais além que isto é tanto a revelação quanto é também a validação da revelação. É a revelação por que revela coisas sobre Deus e a forma divina de salvação que não pode ser entendida e compreendida por nós mesmo.

     E é também a validação por que vêm 700 anos antes de Cristo, que cumpre as profecias do Servo tão assombrosamente ao cumprir até mesmo os detalhes de como o Servo sofreu e de como o Servo morreu e de como o Servo foi sepultado.

Mais Três Elementos Revelados.

     Hoje, a revelação e a validação continua através dos versículos 7, 8 e 9 do capítulo 53 do livro do profeta Isaías.

     Através de Is 53.7 – 9, é possível ver que Deus revelou ainda mais ao profeta Isaías do que o que temos visto até agora. E o que vemos é o seguinte:

1] O sofrimento do Servo e a resposta do Servo para o sofrimento:
    "Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca." (Is 53.7).

2] A morte  do Servo e a resposta da sua geração para a morte do Servo:
    "Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido." (Is 53.8).

3] E finalmente, o enterro do Servo  e a sua estranha e esperançosa reviravolta:
    "E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca." (Is 53. 9).

Por Quê Falar Sobre O Sofrimento Em Plena Primavera?

     Antes de olharmos mais atenciosamente para estes 3 versículos de Is 53.7–9, me permita refletir sobre algo mais com você.

     Nós já estamos à uma semana dentro da primavera [ 1 ]. O sol está começando a esquentar as coisas.

     Então, por que é que você iria querer ouvir sobre sofrimento, morte e sepultamento nesta manhã tão bonita de sol radiante?

     Ou talvez, vocês ainda estejam tomados pela excitação e pela emoção do Torneio Estadual de Basquete dos meninos, ou talvez vocês estejam apenas começando a sentir a adrenalina de todos os jogos da NCAA [ 2 ] que estão sobre vocês.

     Ou talvez vocês estejam ficando ansiosos sobre começarem a trabalhar no seu próprio jardim nesta primavera, ou o começo da temporada de softball, ou a secura do campo de golfe, ou as férias da primavera, ou o vento batendo suavemente em seu rosto enquanto você anda de bicicleta, caminha tranquilamente pela tarde, ou o novo bebê que está chegando, ou comer nos fundos do quintal...

     Há uma centena de razões para sentir novos sentimentos, novas sensações e novas expectativas na primavera. Este é o significado da primavera. Então por que é que eu deveria pensar sobre morte e sobre sofrimento e sobre sepultamento nesta manhã?

 Nós Precisamos Mais de Cristo Do Que Somente No Tempo Da Primavera. 

     A resposta requer um certo grau de maturidade para ser apreciada. Em geral, quanto mais velho você é, mais você vai sentir um sim crescendo no seu coração para esta resposta.

     A resposta é esta: a temporada de primavera não dura muito tempo, e se tudo o que você tem é Cristo somente no tempo da primavera, então você vai se sentir desamparado nas noites de sofrimento do inverno – e as noites de sofrimento do inverno podem acontecer amanhã mesmo, mesmo que estejamos no começo da primavera.

     Se eu apresentasse Jesus Cristo à você como alguém muito feliz que sempre está contente, como um amigo, como um camarada, como um companheiro, ou como alguém cujo trabalho fosse animar você  nas suas excitações nos tempos de primavera, isto seria apenas um pequeno pedaço da verdade. E isto talvez fizesse uma mensagem mais alegre e mais animadora neste domingo de manhã.

     Mas você sabe o quê? Eu acho que a grande maioria das publicidades de rádio e de televisão já está fazendo isto – encorajando você a ser uma pessoa mais feliz, mais cheio de esperança, mais alegre, mais bem sucedido, mais confortável, mais relaxado, mais esportivo, mais saudável, mais sorridente e mais divertido.

     E eu poderia me alegrar aí e dizer: 

"Olhe, de qualquer maneira, Jesus inventou todas as coisas boas que há no mundo, e Jesus sabe jogar bola, sabe andar de patins, e sabe andar de bicicleta, e sabe surfar, sabe cuidar do jardim e sabe arremessar bolas na cesta mais do que qualquer pessoa no Universo. Então, vamos ficar com Jesus para o nosso próprio bem."
    

     Eu poderia fazer um grande argumento para a recreação centrada em Deus. E eu tenho feito isto muitas vezes. Mas o fardo, a sobrecarga da minha vida não é aumentar o seu lazer na época da primavera. O meu fardo é ajudar você à sobreviver e crescer e se desenvolver no inverno da sua vida – para ajudar você a dizer assim: "Quanto tudo ao meu redor desmoronar, então Cristo é toda a minha ajuda e segurança."

     Na atual cultura, tanto da igreja quanto secular, não existem muitas pessoas que tenham este objetivo para a sua vida. Não existem muitas pessoas que vão dedicar as suas próprias vidas para isto.

O Inverno Vem Para Todas As Pessoas

     Uma das razões pelas quais eu faço isto é por que eu sei que o inverno chega para cada um de vocês. Há invernos na saúde, há invernos no casamento, há invernos na família, há invernos na vocação ministerial e há o inverno final que é a morte.

     Nestes invernos você não vai querer um Jesus amigo, camarada e companheiro. Nestes invernos você vai querer um Cristo que "é um homem de dores e experimentado nos sofrimentos"como diz o profeta Isaías. E nestes invernos você vai querer pastores que são melhores nas lágrimas do que nas gargalhadas.

     E nestes invernos você vai querer esperança – e não animação, sorriso e uma falsa esperança da televisão, mas uma sólida, inabalável e eterna esperança, garantida por Deus mesmo em face da escuridão absoluta.

     E a esperança está enraizada e embasada no sofrimento, na morte e no sepultamento do Servo do Senhor, Jesus Cristo.

     Então, veja através destes três versículos comigo:

1] O sofrimento do Servo e a sua resposta:
 
    "Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca." (Is 53.7).

2] A morte do Servo e a resposta das outras pessoas:

    "Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido." (Is 53.8).

3] O enterro do Servo e a estranha e esperançosa reviravolta:

    "E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca." (Is 53. 9).

( I ) O Sofrimento do Servo ( Is 53.7 ).

    "Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca." (Is 53.7).

Quatro Coisas Que Aconteceram Ao Servo.

     Vemos quatro coisas que aconteceram ao Servo e ouvimos três vezes como o Servo respondeu ao sofrimento.

1] Primeiro, o Servo foi "oprimido".

     A palavra "oprimido" é utilizada com muita frequência no Antigo Testamento para descrever o trabalho de feitores que tornavam a vida dos escravos uma vida miserável.
     Eles exigiam que os escravos fizessem tijolos sem dar palha aos escravos. Eles pressionavam duramente os escravos e traziam até os escravos um terrível senso de pressão, de carga, de estresse, de tensão e de opressão aos escravos.
     Jesus experimentou isto através das formas pelas quais os inimigos de Cristo o perseguiram continuamente e finalmente o capturaram e o atormentaram.

2] Segundo, o Servo foi"afligido".

     A palavra"afligido"implica humilhação, ser rebaixado, ser tratado com desprezo, com vergonha, com desonra, com menosprezo, com desdém, com gracejo, com zombaria, ser escarnecido, zombado e ridicularizado.
     Tudo isto foi apenas um gole do que Jesus bebeu durante todo o seu ministério tendo sido forçado goela abaixo na Semana da Paixão.

3] Terceiro, como cordeiro, o Servo foi levado ao matadouro.

     O abate não chega até os versículos 7 e 8:

    "Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.
     Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido." (Is 53.7 – 8).

     Aqui, o Servo apenas é levado ao matadouro. E isto é algo aterorizante e amedrontador.
     É uma coisa ser oprimido e afligido se você sabe que dentro de poucas horas há de sair da prisão para as brisas da primavera e para os raios de sol; e é outra coisa completamente diferente se você sabe que tudo na sua vida o está levando para o abate no matadouro.
     Jesus bem sabia isto. Para ele não haveria mais primaveras deste lado da ressurreição.

4] O Servo foi "cortado".

    "Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.
     Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido." (Is 53.7 – 8).
     Ele foi despojado de suas roupas, de seus amigos, de sua honra e até da proteção divina.
     Ninguém jamais esteve tão nú e desamparado como Jesus esteve na Sexta – Feira da Paixão no Monte do Gólgota. Ninguém jamais foi arrebatado de todas as coisas belas e agradáveis – exceto o amor.

Como o Servo Reage.

     O que nos leva à forma como o Servo reage à tudo isto.
     Em Isaías 53.7 por três vezes nos é dito que: Ele foi oprimido e Ele foi afligido, e ainda assim:

1] Ele não abriu a boca; e como um cordeiro é levado ao matadouro, e como uma ovelha que é muda perante os tosquiadores, assim, 

2] muda perante os tosquiadores, assim, 

3] Ele não abriu a boca.

     A reação do Servo foi um incrível e paciente silêncio de aceitação diante do sofrimento.

Jesus no Julgamento

     No julgamento simulado no meio da noite na casa de Caifás quando Jesus foi acusado por falsas testemunhas, o sumo – sacerdote disse: "Você não vai me dar resposta, acerca do que é que estes homens estão te acusando?"; e Jesus permaneceu em silêncio:

    "E, levantando – se o sumo sacerdote, disse-lhe: Não respondes coisa alguma ao que estes depõem contra ti?

     Jesus, porém, guardava silêncio. E, insistindo o sumo sacerdote, disse-lhe: Conjuro – te pelo Deus vivo que nos digas se tu és o Cristo, o Filho de Deus." (Mt 26.62 – 63).

     Então, mais tarde, no início da manhã, Pilatos disse a Jesus na Sede do Governo Romano:"Você não vai me responder? Vê quantas acusações eles trazem contra você?". Mas como Jesus não deu mais nenhuma resposta, Pilatos ficou maravilhado:

    "E os principais dos sacerdotes o acusavam de muitas coisas; porém ele nada respondia.
     E Pilatos o interrogou outra vez, dizendo: Nada respondes? Vê quantas coisas testificam contra ti.
     Mas Jesus nada mais respondeu, de maneira que Pilatos se maravilhava."  (Mc 15.3 – 5).

     Pilatos envia Jesus para Herodes, e o Evangelista Lucas nos conta que Herodes: "questionou a Jesus por algum tempo, mas Jesus não lhe deu resposta alguma.":

    "E interrogava – o com muitas palavras, mas ele nada lhe respondia." (Lc 23.9).
     
 Jesus bem sabia da profecia acerca de si próprio. Jesus sabia do seu chamado. Ele era o Servo do Senhor. Ele era o Messias. Ele era o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.
      
Por conseguinte, quando foi duramente criticado, Ele não revidou a crítica, e quando sofreu, Ele não ameaçou:

    "O qual, quando o injuriavam, não injuriava, e quando padecia não ameaçava, mas entregava – se àquele que julga justamente." (I Pe 2.23).

     Mas Ele não apenas sofreu e respondeu com uma obediência paciente e silenciosa. Ele também morreu.

( II ) A Morte do Servo ( Is 53.8 ).

    "Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido." (Is 53.8).

Abatido Como O Cordeiro Pascal.

    "Ele foi cortado da terra dos viventes."

Ele não foi apenas levado ao matadouro. Ele foi abatido. E como todos os outros cordeiros pascais ou sacrifícios pelo pecado da nação de Israel, Ele foi abatido não por suas próprias transgressões. Ele foi abatido pelas transgressões do seu povo. Nós é que merecíamos ser abatidos pelos nossos pecados, mas Ele foi abatido no nosso lugar.
     Este é o coração do Evangelho de Deus: Jesus, o Servo de Deus foi cortado da terra dos viventes não por suas próprias transgressões, mas pelas transgressões do seu povo.
     Isto percorre todo o capítulo 53 do livro do profeta Isaías. O Servo foi ferido pelas nossas transgressões. O Servo foi moído pelas nossas iniqüidades. O castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas Suas pisaduras nós fomos sarados.

     E agora, o versículo 8, torna isto tão claro como um cristal: o Servo morreu.

    "Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido."( Is 53.8 ).

     É por isto que I Coríntios capítulo 15 e versículo 3, resume o Evangelho com estas simples palavras:"Cristo morreu por nós de acordo com as Escrituras."

    "Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras."( I Co 15.3 ).

    "Cristo morreu."–"Ele foi tirado da terra dos viventes."

    "Por nós."–"pelas transgressões do meu povo."

    "De acordo com as Escrituras." – justamente como Isaías 53.8 disse, 700 anos atrás.

     E qual foi a resposta da sua geração quando Ele foi cortado da terra dos viventes?
     O profeta Isaías diz que:"Quem considerou isto?",
"Quanto à sua geração, quem considerou isto...".

     A palavra"considerou"não é uma palavra para"aviso"ou"percepção". É uma palavra se refletir, ou ponderar ou meditar. 

     O ponto aqui parece ser o seguinte: nós podemos ver o maior evento do mundo acontecendo, e ainda assim, não vê-lo. Nós escutar sem ouvir.

     Nós temos uma incrível capacidade para avaliar as coisas espirituais de modo errado.

     E uma das nossas maiores fraquezas – provavelmente ainda mais hoje do que  nunca – é que nós não meditamos nas grandes coisas.

     Nós não paramos e ponderamos sobre as coisas de Deus.

     Por isto vamos aprender com a acusação do profeta Isaías da geração de Jesus: considerar, refletir, meditar, estudar e contemplar as grandes coisas – e esta é a maior de todas as coisas: o Servo do Senhor foi tirado da terra dos viventes pela transgressão do seu povo.
 
    "Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido." (Is 53.8).


( III ) O Sepultamento do Servo ( Is 53.9 ).
    
     Finalmente, o versículo 9 fala do sepultamento do Servo:

    "E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca."( Is 53.9 ).

     O versículo 7 fala do sofrimento paciente do Servo:

    "Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca." ( Is 53.7 ).

     O versículo 8 fala da morte do Servo pelo Seu povo e fala da falta de consideração do povo para com a morte do Servo:

    "Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido."( Is 53.8 ).

     E agora, o Servo está sepultado:

    "E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca."( Is 53.9 ).

O Caminho da Esperança.

     Há como que um certo caminho aqui que mostra a esperança percorrendo todos estes versículos.
     No versículo 7 há esperança por que o Servo não está sofrendo como um pecador culpado, mas sim como um cordeiro portador do pecado.

     No versículo 8 há esperança por que o Servo não morre pelos seus próprios pecados, e sim pelas transgressões do seu povo.

     E no versículo 9 há esperança por que o Servo é misturado com homens ímpios que estão morrendo, mas ao contrário de todos os pecadores e criminosos comuns de seus dias, o Servo termina na tumba de um homem rico.

    "Ele estava com um homem rico em sua morte."

     O Evangelho Segundo São Mateus, capítulo 27, do versículo 57 ao versículo 60 nos conta sobre o enterro de Jesus:

    "E, vinda já a tarde, chegou um homem rico, de Arimatéia, por nome José, que também era discípulo de Jesus.
     Este foi ter com Pilatos, e pediu – lhe o corpo de Jesus. Então Pilatos mandou que o corpo lhe fosse dado.
     E José, tomando o corpo, envolveu – o num fino e limpo lençol.
     E o pôs no seu sepulcro novo, que havia aberto em rocha, e, rodando uma grande pedra para a porta do sepulcro, retirou-se." (Mt 27.57 – 60).

Por Que Isto É Importante?

     Agora, por que é isto é assim tão significativo? Por que é que Deus planejou isto desta maneira e profetizou 700 anos atrás que seria desta forma?

     Talvez a razão seja esta: quando Jesus morreu, a obra da redenção estava feita. E Jesus bradou:"Está consumado!".

     Ele havia sofrido, à Ele tinha sido assignado um lugar com os ímpios, morrendo como um criminoso entre dois ladrões, e a expectativa é que Ele teria a sua sepultura   ( caso houvesse alguma sepultura ) com os ímpios. Mas ele não teve.

     A obra da redenção estava terminada. E assim, já não havia mais necessidade de humilhação.
     Ao invés disto, Deus indicou a honra do Seu Servo Lhe concedendo um enterro honorável na sepultura de um homem rico, o discípulo, José de Arimatéia.

     Assim, até mesmo o enterro de Jesus foi revestido com esperança.
     
 A morte de Jesus pode ser vista por alguns como a morte de um criminoso pagando pelos próprios crimes. Mas Jesus não era um criminoso e não morreu como tal.
    Jesus é o Servo do Senhor. E quando a obra do sofrimento como um cordeiro sacrificial morrendo pelas transgressões do Seu povo estava pronta, Deus começou a honrar o Servo, e Deus honrou o Servo até mesmo na forma do Servo ser enterrado.
    Quando você passa através das estações de inverno da sua vida, e especialmente quando chega o último inverno, o inverno da morte, eu oro para que se lembre do Servo do Senhor – e o Seu sofrimento como o Cordeiro de Deus, Sua morte pelas suas transgressões, e seu enterro honroso com os ricos.
     Nós caminhamos em direção para o sol que brilha neste no dia de primavera, sabendo que mesmo que este sol venha a falhar – e um dia vai falhar – Deus não vai falhar.


Notas do Tradutor:
[ 1 ] Este sermão foi pregado pelo pastor John Piper no dia 28 de Março de 1983 na Igreja Batista nos Estados Unidos da América; e para todos os países do Hemisfério Norte, a chamada"Primavera Boreal"se inicia entre os dias 20 e 21 de Março e termina no dia 21 de Junho.
[ 2 ] NCAA é o Campeonato de Basquetebol Masculino da Divisão I, que consiste em um torneio de eliminação simples entre os 68 times universitário dos Estados Unidos da América. O torneio é organizado pela National Collegiate Athletic Association (NCAA).

0 comentários :

Postar um comentário

OBSERVAÇÃO:
NEM TODAS AS POSTAGENS TRADUZEM, NECESSARIAMENTE, A OPINIÃO DO SITE MATÉRIAS DE TEOLOGIA

Soli Deo Gloria