CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

FUNDO

JESUS E A VIAGEM PARA A FELICIDADE (parte 1)


JESUS E A VIAGEM PARA A FELICIDADE

viagem para felicidade jesusExposição em Filipenses 3.1, por John Piper 

Tradução: Thiago Mancini

     Resta, irmãos meus, que vos regozijeis no Senhor. Não me aborreço de escrever – vos as mesmas coisas, e é segurança para vós. ” (Fp 3.1)

Parte I – Como você define a Alegria?

     À medida em que começamos esta série de exposições sobre a alegria na carta do apóstolo Paulo aos Filipenses, parece-me que provavelmente nós deveríamos começar com uma definição de alegria.
     As definições são simples descrições da maneira como as pessoas usam as palavras. As palavras não possuem definições intrínsecas. As palavras recebem definições através das maneiras pelas quais são usadas pelas pessoas.



     Quando eu digo que eu desejo definir a alegria para vocês, eu estou perguntando, a respeito de qual alegria nós estamos falando ou sobre qual  uso da palavra nós estamos falando?
     Eu quero dizer alegria, assim como o apóstolo Paulo utiliza a palavra alegria nas cartas paulinas, e particularmente no livro de Filipenses. Eu não estou apenas perguntando sobre o significado da palavra alegria em geral.
     Eu estou falando sobre a alegria cristã, assim como o apóstolo Paulo a descreve.
     Então, deixem-me dar a vocês a minha definição de alegria, e depois separá-la e tomar uma parte de cada vez:


A alegria cristã é um bom sentimento na alma,
 produzido pelo Espírito Santo,
como o Espírito Santo nos faz ver a beleza de Cristo
 na Palavra e no mundo. 

Um Bom Sentimento
     A alegria cristã é um bom sentimento. Por dizer que a alegria cristã é um bom sentimento eu quero dizer que a alegria cristã não é uma ideia. Não é uma convicção. Não é uma persuasão ou uma decisão. É um sentimento. Ou – eu utilizo as palavras alternadamente aqui – uma emoção.
    
     Uma das marcas da diferença entre uma ideia e uma emoção ou sentimento é que diferente das ideias você não tem controle imediato sobre os seus sentimentos ou sobre as suas emoções. Você não pode, por exemplo, estalar o seu dedo e decidir sentir alguma coisa.
     Por exemplo, digamos que você vai acampar. Você acorda, e há uma silhueta gigante de um urso fora da sua tenda, um urso pardo. O urso parece faminto. Você não vai dizer: “Agora, me deixe pensar sobre isto. Há um urso. Os ursos são grandes. Os ursos são perigosos. Conclusão: Eu deveria sentir medo aqui, então agora eu vou decidir ter medo.”
     As emoções não funcionam desta forma. O pensamento funciona assim, mas o sentimento não. Isto acontece com você, o que significa que a Bíblia está cheia de mandamentos para fazermos coisas que estão imediatamente fora do nosso controle fazer – mandamentos para se alegrar, sentir medo, ser grato, ser compassivo.
     Uma das razões pelas quais eu sou o tipo de cristão que eu sou, com a teologia que eu tenho, é que eu sei que a Bíblia requer de mim certas coisas que, de mim mesmo eu não posso produzir imediatamente pelo meu próprio poder. Eu estou caído. Eu sou pecador. E ainda assim eu sei que deveria estar sentindo as emoções que a Bíblia espera que eu sinta. Eu sei que eu sou culpado.
     Santo Agostinho disse: “Pai, concede – me o que ordenas e ordena – me o que queres.” Santo Agostinho sabia que Deus o ordenou sentir certas emoções, que ele não poderia fazer acontecer por si próprio. Então ele orou, Oh Deus, se o Senhor vai me mandar estas coisas, me conceda que o Senhor me daria quando me mandar.
     Então, a primeira parte desta definição é que a alegria é um bom sentimento.

Na Alma
     A segunda parte da minha definição é que a alegria é um bom sentimento na alma. E por isto, eu estou chamando a atenção para o fato de a alegria não estar no corpo.
     A alma, a parte imaterial da minha personalidade, experimenta alegria. E o corpo pode sentir os efeitos disto. Eu posso sentir borboletas no meu estômago¹. Eu posso ter uma mola no meu passo². Pode haver lágrimas de alegria rolando pela minha face. Todavia, nenhum destes efeitos no meu corpo é a própria alegria. Eles são todos distintos da alegria verdadeira.
     O corpo é um produto químico composto de músculos e de nervos. É feito de elétrons, átomos e moléculas. E quando estas moléculas se movem, o movimento das moléculas não é um evento moral. O corpo não tem certo e errado.

     Eu posso movimentar o meu braço para frente e para trás sem nenhum significado moral, até que pelo meu próprio desejo ou pela minha própria emoção eu diga ao meu braço para bater em alguém. Então, a ação que não tinha nenhum significado moral, passa a ser uma ação ruim. Ou então eu posso dizer aos meus braços para abraçarem alguém em necessidade. E então, a ação de movimentar o meu braço para frente e para trás que não tinha nenhum significado moral, passa a ser uma ação boa. A minha alma comunica virtudes, certas ou erradas, para as partes físicas da minha vida.
     E claramente a Bíblia diz que é um direito do homem se alegrar em Deus. Ou, que é errado estar ansioso, à respeito de uma situação. Há certo e errado nestas emoções, e estas emoções precedem os movimentos corporais que seguem. Os sentimentos são movimentos da alma.
Produzido Pelo Espírito
     
 A terceira parte da definição é que estes movimentos da alma são produzidos pelo Espírito Santo, o que é muito claro por que eu não posso fazer estas coisas acontecerem.
     Elas são chamadas de fruto do Espírito Santo. O fruto do Espírito Santo é amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, fidelidade, mansidão e domínio próprio (Gl 5.22 – 23).
     Portanto, a alegria da minha alma transbordante em Deus, vem do trabalho do Espírito Santo.

A Visão de Jesus
     A quarta parte da definição é que o Espírito Santo realiza este trabalho, não de modo mágico sem que a minha mente esteja envolvida, mas me fazendo ver a glória e a beleza de Jesus Cristo.
     Em Filipenses 3.1 está escrito, “Alegrai – vos no Senhor”. Como é que você se alegra no Senhor, se você não sabe nada sobre o Senhor? Como é que você se alegra no Senhor se você não está vendo coisas sobre o Senhor que causam alegria no seu coração? Este é o trabalho do Espírito Santo.
     O Espírito Santo não apenas vira a chave, e você se alegra de qualquer forma, sem nenhum conteúdo mental.
     O Espírito Santo é dado, de acordo com Jo 16.14 para glorificar a Jesus Cristo, o que significa que o Espírito Santo abre os olhos do meu coração para ver a beleza de Cristo.
     Quando eu vejo a Cristo em tudo o que Cristo está fazendo, e em tudo o que Cristo é, então o meu coração transborda de alegria nEle.
     O Espírito Santo gera o fruto da alegria nos fazendo ver a beleza de Cristo.

Na Palavra e no Mundo
     A última parte da definição é que nós vemos a Cristo na Palavra e no mundo. É óbvio que o lugar mais autoritário e claro aonde nós podemos ver a beleza de Cristo na Palavra, é na Bíblia.
     E é por isto que o Espírito Santo inspirou a Palavra, para que nós pudéssemos ler a Palavra, e conhecer a Cristo. O Espírito Santo nos concede olhos para ver as belezas de Jesus que se chamam a alegria do coração.
     Não é apenas na Palavra que nós vemos a Cristo. Nós vemos a Cristo em seus dons e nas pessoas. Nós vemos a Cristo em seus dons da natureza. Nós vemos a Cristo em seus dons de alimento e em todas as coisas boas que o nosso Pai que está nos céus nos concede.
     Cada dom de Cristo para nós está destinado a ser a comunicação de alguma coisa do próprio Cristo. Então, nós não somente vemos a Cristo – nós não apenas provamos a Cristo – em sua Palavra, mas também em suas obras.
     Como nós vamos nos ocupar com a alegria nas próximas cinco mensagens no livro de Filipenses, a definição com a qual eu estou trabalhando é que a alegria é um bom sentimento na alma, produzida pelo Espírito Santo, como o Espírito Santo nos faz ver a beleza de Cristo na Palavra e no mundo.
    
     Esta mensagem é a primeira mensagem, de uma série de seis mensagens sobre o tema da alegria no livro de Filipenses. John Piper, vai nos guiar através de um pequeno  estudo sobe como entender a alegria, e nos dedicar à alegria, e então aplicar a alegria em toda a nossa vida.



 
Fonte: Desiring God Foundation | Autor: John Piper | Tradutor: Thiago Mancini

Nota do tradutor:
1] “ sentir borboletas no estômago ” é a sensação física no ser humano de uma sensação "oscilante" no estômago , causada por uma redução do fluxo de sangue, o que como resultado produz a liberação de adrenalina, o que provoca aumento da freqüência cardíaca e da pressão arterial, e consequentemente, o envio de mais sangue para os músculos. 
2] “ ter uma mola no passo ” seria a tradução aproximada da expressão “  have a spring in my step ”, que de acordo com o Cambridge Dictionarie é uma expressão para indicar alguém que anda energicamente de uma forma a mostrar que se está confidente e que esta se sentindo alegre.

0 comentários :

Postar um comentário

OBSERVAÇÃO:
NEM TODAS AS POSTAGENS TRADUZEM, NECESSARIAMENTE, A OPINIÃO DO SITE MATÉRIAS DE TEOLOGIA

Soli Deo Gloria