CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

FUNDO

JESUS E A VIAGEM PARA A FELICIDADE (parte 2)



Jesus e a Viagem para a Felicidade

john piper alegria filipenses

Exposição em Filipenses 1.20 – 23


por John Piper

Tradução: Thiago Mancini 



     Segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a confiança, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte.
     Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho. Mas, se o viver na carne me der fruto da minha obra, não sei então o que deva escolher.
     Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor.” (Fp. 1.20 – 23 )

Parte II – O Que é o Hedonismo Cristão?

     Ao longo dos anos o nome que eu tenho dado ao meu entendimento do grande papel que a alegria desempenha não só na vida cristã, mas também em toda a Criação e em todos os propósitos de Deus é Hedonismo Cristão.
     E a mais curta definição de Hedonismo Cristão é que Deus é mais glorificado em nós quando nós estamos mais satisfeitos em Deus.
     A minha trajetória para o entendimento do papel da alegria na vida cristã, na Criação de Deus e em todos os propósitos de Deus, ao longo dos últimos 30 anos ou mais, é afetada principalmente por Jonathan Edwards, C. S. Lewis e pelo apóstolo Paulo; mas chega de volta ao meu pai.
     Provavelmente, o meu pai foi o homem mais feliz que eu já conheci, e ainda assim meu pai estava cheio da glória de Deus e era consumido pela glória de Deus. Então, houve isto que ambos, eu e a vida do meu pai, tínhamos que ter uma resolução ou alguma explicação algum dia.
     A alegria abundante e o comprometimento total com a glória de Deus, de alguma forma tinham que caminhar juntos.

A mais curta definição de Hedonismo Cristão é que Deus é mais glorificado em nós quando nós estamos mais satisfeitos em Deus.
 
Pequenos Desejos Para Coisas Grandes.
     Depois do meu pai, C. S. Lewis entrou em cena com esta declaração assombrosa de que o nosso grande problema como seres humanos não é que os nossos desejos são muito fortes; mas que o nosso grande problema como seres humanos é que os nossos desejos são demasiado fracos.
     Eu pensei que os meus desejos fossem o problema.
     C. S. Lewis disse: “Não, os seus desejos não são o problema! A fraqueza dos seus desejos é que é o problema. Você é como uma criança brincando de fazer tortas de lama na favela de costas para o mar, por que você não pode imaginar o que é um feriado no mar e como é um feriado no mar.”
     Em outras palavras os seus desejos para as grandes coisas que Deus está lhe oferecendo é pequeno demais. Seu problema não é grandes desejos, seu problema é pequenos desejos para coisas muito grandes.
     Jonathan Edwards foi a maior de todas as influências na minha vida.
     Jonathan Edwards diz que o Deus o Deus todo – poderoso em sua forma trinitariana é Deus Pai tendo uma ideia de si mesmo que permanece diante de Deus Filho, e tendo deleite em si mesmo, que permanece diante do Deus Espírito Santo, avançando para frente e para trás como uma pessoa entre o Pai e o Filho.
     Então, quando Deus cria os seres humanos, os seres humanos são a imagem de Deus, e então, os seres humanos glorificam a Deus tendo a correta ideia acerca de Deus – a verdadeira doutrina – e tendo emoções ardentes e apropriadas acerca de Deus.
     Então, eu tenho estas duas grandes faculdades avançando em mim: a faculdade do pensamento que glorifica a Deus pelo pensamento correto acerca de Deus e a faculdade do sentimento que glorifica a Deus sentindo as emoções corretas acerca de Deus.
     E sob tudo isto estava a Bíblia, que nos diz uma e outra vez para glorificar a Deus e que também nos diz de novo e de novo para nos deleitarmos e nos alegrarmos em Deus.
     Então, como é que estes dois mandamentos correm juntos?
     Esta questão me levou ao Catecismo de Westminster, e a primeira questão do Catecismo de Westminster é: “Qual é o fim principal da vida do homem?” e a resposta é que: “O fim principal da vida do homem é glorificar a Deus e se alegrar em Deus para sempre”.
     E eu reflito sobre a primeira pergunta do Catecismo de Westminster: É isto?... e o que é que o “e” significa?
     “O fim principal da vida do homem é glorificar a Deus e se alegrar em Deus para sempre.”
     Não é o fim principal do homem glorificar a Deus se alegrando em Deus para sempre? É o que disse Jonathan Edwards. É o que sugere C. S. Lewis. É o que parecia estar surgindo na vida do meu pai.
     Mas isto é bíblico?
Por que a Morte é Lucro?
     Isto nos leva à carta do apóstolo Paulo aos Filipenses.
     Filipenses 1.20 – 21 foi o texto chave que se instalou em mim para entender que Deus é mais glorificado em nós – ou que Cristo é mais engrandecido em nós – quando nós estamos mais satisfeitos em Deus.
     “Minha mais ansiosa expectativa é que Cristo vai ser engrandecido no meu corpo, seja pela vida sou pela morte, para...” e a pequena palavra “e” se torna muito importante.
     “... para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro”. Com esta pequena palavra o apóstolo Paulo garante a certeza da expectativa que Cristo vai ser engrandecido no seu corpo quer ele viva quer ele morra.
     E porquê? Por que para o apóstolo Paulo o viver é Cristo e o morrer é lucro.
     Como é que isto funciona? Como é que é a lógica trabalhar aqui? Se tornou muito claro para mim quando eu me retirei do plano da vida e foquei minha atenção no plano da morte.
     Vamos dizer isto da seguinte forma: A minha mais ardente expectativa e esperança é que eu não vou ser envergonhado; mas que Cristo vai ser engrandecido no meu corpo através da minha morte, por que para mim o morrer é ganho.
     Será que isto faz algum sentido?
     A confiança de que Cristo que vai ser engrandecido quando eu morrer é baseada no fato de que para mim, o morrer é ganho. Se Cristo é o ganho na minha morte, então Cristo vai olhar de modo magnífico para a minha morte.
     Mas ainda há uma peça faltando para o argumento.
    
     Filipenses 1.23: “Eu quero ir e estar com Cristo, o que é muito melhor.” Então, o ganho que o apóstolo Paulo está falando em Fp. 1.21 é Cristo. Se eu for para estar com Cristo, se eu morrer e for para estar com Cristo, isto é muito melhor. Este é o meu ganho.
     Então, vamos voltar agora e ver se a lógica faz sentido. A minha ardente expectativa é que Cristo vai ser engrandecido na minha morte por que eu estou indo para a experiência da morte como ganho – com mais satisfação do que qualquer outra coisa que esta vida poderia oferecer, e este ganho é Jesus Cristo.
     Vamos ver se nós conseguimos colocar todos estes argumentos juntos.
     Eu estou confiante de que Cristo vai ser engrandecido na minha morte, e a base da minha expectativa é que Cristo vai ser revelado para ser engrandecido na minha morte que eu vou experimentar a minha morte como ganho; a saber, com Cristo sendo mais satisfatório para mim do que absolutamente tudo o que esta vida tem para me oferecer.
     Eu apostaria a minha crença no Hedonismo Cristão na lógica de Fp 1.20 – 23.
Uma Ilustração do Matrimônio
     Então, como uma ilustração de casamento para ilustrar o Hedonismo Cristão    deixem – me relatar o seguinte caso: É meu aniversário, e eu digo à minha esposa Noel, “Noel, eu vou te levar para sair hoje a noite por que é o nosso quadragésimo sétimo aniversário de casamento, e passar a noite com você me faria muito feliz.”
     Nenhuma esposa jamais disse isto, nem mesmo a minha esposa Noel jamais disse isto: “Você é tão egoísta. Tudo o que você pensa, você pensa sobre você mesmo. Te fazer feliz me levando para sair e passando a noite comigo.”
     Nenhuma esposa jamais se queixa que a levar para sair e passar a noite com ela é um ato egoísta. E por quê? Por que se eu dedicar a minha completa satisfação na minha esposa, então ela é honrada.
     Assim é com Deus.
     Se nós somos atraídos à Deus por que queremos passar tempo com Deus, se Deus é o nosso tesouro e a nossa satisfação, então Deus é honrado.
     Esta verdade – Deus é mais glorificado em nós, ou Cristo é mais engrandecido em nós, quando nós estamos mais satisfeitos em Deus – não é uma verdade periférica ou secundária.

     Não é periférico ou secundário para a vida cristã e não é periférico ou secundário para o livro de Filipenses.
     Este é justamente o coração do que é que significa ser um crente, o que é que significa pertencer à Jesus Cristo, o que é que significa valorizar a Jesus Cristo e confiar em Jesus Cristo.
     Esta é a cereja do bolo do cristianismo. Isto é o coração do Cristianismo.

Esta mensagem é a segunda mensagem, de uma série de seis mensagens sobre o tema da alegria no livro de Filipenses. John Piper, vai nos guiar através de um pequeno estudo sobe como entender a alegria, e nos dedicar à alegria, e então aplicar a alegria em toda a nossa vida.



Fonte: Desiring God Foundation | Autor: John Piper | Tradutor: Thiago Mancini

0 comentários :

Postar um comentário

OBSERVAÇÃO:
NEM TODAS AS POSTAGENS TRADUZEM, NECESSARIAMENTE, A OPINIÃO DO SITE MATÉRIAS DE TEOLOGIA

Soli Deo Gloria