CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

FUNDO

DEUTERONÔMIO 30.19 PROVA QUE O LIVRE ARBÍTRIO EXISTE? - por Denis Monteiro


Para a teologia arminiana, o livre arbítrio é a capacidade de escolha contrária e isenta (que não está sujeita a um dever ou obrigação). O dr. Olson diz que "o livre-arbítrio, destruído pela queda, é restaurado por Cristo e pelo Espírito de Deus que opera por meio da Palavra".1 Mas antes de entrar no texto que está no titulo do artigo, quero fazer algumas observações do significado de livre arbítrio descrito acima. 

"o livre arbítrio é a capacidade de escolha contrária e isenta..." A escolha Humana nunca será contrária a sua vontade. A vontade do Homem natural consiste em fazer a vontade de seu pai, como disse Jesus (João 8.42-44), e, assim, já não é isenta. Desse modo, a pessoa é obrigada a fazer a vontade daquele que lhe subjuga. Como descreve João 8.42-44 - que se eles fosse filhos de Deus amariam a Jesus e creriam nEle, mas como são filhos do diabo fazem aquilo que o diabo gosta! 

"O livre-arbítrio, destruído pela queda, é restaurado por Cristo e pelo Espírito de Deus que opera por meio da Palavra": Soa meio estranho para o que disse Jesus. João descreve em 12.37-40 que Jesus fazia sinais entre eles, mas, todavia, eles não criam em Jesus, uma vez que isso era para se cumprir o que disse Isaías: "Cegou os seus olhos e endureceu os seus corações, para que não vejam com os olhos nem entendam com o coração, nem se convertam, e eu os cure". João 12:40 (Atos 28.26). Segundo a explicação do tal dr., que com a pregação da Palavra o Homem tem de volta ( como diz o hino "eu quero de volta o que é meu... restitui) o seu livre arbítrio. Mas como provei acima que tal argumento é uma falácia. Observe outro exemplo que as Escritura nos mostra em Mateus 11.25-27. Aqui diz que Jesus fazia a maioria dos seus milagres (v.20 - NVI) entre três cidades e que nenhuma delas não cria em Jesus. Em vista disso, elas são condenadas, mas o texto mostra que Deus não quis se revelar a elas porque foi do agrado do pai (v.26), e Jesus complementa dizendo que o Filho se revela "aqueles a quem o Filho o quiser revelar." (v.27). 

Mas, voltando ao texto de Dt 30.19, mostrarei que tal versículo não apoia a doutrina do livre arbítrio. Antes de abordar uma doutrina em um único versículo, temos que ter a plena consciência de que o contexto aprova tal pensamento. 

O texto de Dt. 30.19 é um convite -"hoje invoco os céus e a terra como testemunhas contra vocês, de que coloquei diante de vocês a vida e a morte, a bênção e a maldição. Agora escolham a vida, para que vocês e os seus filhos vivam."Uma resposta positiva a este convite só poderia vir após uma regeneração (segundo a ordus salutis reformada). Como? Voltemos a alguns versículos antes do versículo 19. No capitulo 29.4, Moisés diz a razão do povo não entender o que o Senhor Deus fez no meio deles -"mas até hoje o Senhor não lhes deu mente que entenda, olhos que vejam, e ouvidos que ouçam." Já no capitulo 30.6 Moisés diz que o Senhor Deus fará algo neles para que amem ao Senhor; e "o SENHOR teu Deus circuncidará o teu coração, e o coração de tua descendência, para amares ao SENHOR teu Deus com todo o coração, e com toda a tua alma, para que vivas"

Observe, pelo menos, duas coisas contidas no verso 6. Deus circuncidará o coração daquele povo para o amarem e para que vivam. Porém, mesmo que não esteja na ordem da observação, os versículos 19 e 20 mostram justamente isso. O versículo 19 diz para eles escolherem "a vida, para que vocês e os seus filhos vivam", e no versículo 20 diz:"para que vocês amem o Senhor" Dt 30.20a. 

Portanto, Deus, aqui, está mostrando simplesmente que aqueles que escolherão a vida e que amarão ao Senhor são àqueles os quais Ele circuncidou [regenerou] o coração. 

Soli Deo Gloria.




Nota: 
                                                                      
1 Olson, História da teologia cristã, pg 433.


0 comentários :

Postar um comentário

OBSERVAÇÃO:
NEM TODAS AS POSTAGENS TRADUZEM, NECESSARIAMENTE, A OPINIÃO DO SITE MATÉRIAS DE TEOLOGIA

Soli Deo Gloria