CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

FUNDO

A SOBERANIA DE DEUS E A MINHA FRUSTRAÇÃO - Por Helbert Souza (parte 1)

3 TIPOS DE REAÇÕES À SOBERANIA DE DEUS QUANDO NOS SENTIMOS FRUSTRADOS:

Todo indivíduo tem sonhos, projetos e expectativa de realizá-los.
Muitos lutam por um emprego melhor, crescimento profissional e salarial.
Outros buscam sucesso na vida sentimental, querem encontrar a “pessoa perfeita”.
No Brasil, existe muita gente cuja a meta é conquistar a casa e o carro próprios. Fato inclusive explorado exaustivamente pelas seitas neopenteconstais. 

Existem também, embora em número bem menor, cristãos evangélicos cujos desejos diferem da grande massa, o maior propósito destes é alcançar as almas que ainda não ouviram falar de Cristo; servir a Deus e aos irmãos com alegria e pureza de coração; nutrir uma vida de comunhão profunda com Deus, etc. Não se deixam seduzir por um céu aqui na terra. Os triunfalistas dizem que eles ainda não aprenderam como “tomar posse da bênção”.


Enfim, como eu disse, todos têm algum tipo de projeto de vida.
Independente do que seja o objetivo ao fazer seus projetos: glorificar a Deus  ou a si mesmo, como se diz, somente os mortos não sonham.

Mas eis a questão: e quando não conseguimos realizar os nossos sonhos?

Neste momento pode-se observar que existem normalmente três grupos de pessoas:

Aquelas que culpam os outros, o Estado, o meio no qual vivem, até mesmo Deus recebe acusações deste grupo. Buscam colocar Deus contra a parede, fazê-Lo constrangido diante da Sua Palavra. " O Senhor não menti, então tem que cumprir tudo o que eu determinar com fé"; "ou o Senhor me abençoa ou me mata", vociferam. Costumo dizer que Deus os mata, mas de raiva, pois não responde  a sua pressão.  

O segundo tipo é aquele que projeta toda a frustração sobre si mesmo, decepcionados consigo, ficam completamente desmotivados. Mas jamais ousam atribuir culpa a Deus ou questioná-Lo.

O terceiro entende o que é descansar na soberania de um Deus amoroso e providente, que não faz as coisas como queremos, mas que faz tudo segundo o beneplácito de Sua vontade, inclusive foi desta forma que nos elegeu, conforme o texto de Efésios 1:4-5. O versículo 6 nos mostrará que esta soberania está encharcada de amor. 

O primeiro grupo é completamente cego e egoísta, incapaz de ver suas próprias debilidades. Ao invés de enfrentar e mudar a sua realidade prefere o autoengano da culpa alheia.

O segundo está mais perto da realidade. Reconhece que precisa mudar. É um vaso quebrado, pronto para ser restaurado pelo oleiro. Está no caminho correto, desfazendo-se de toda artimanha do seu ego.
 Se alguém diz: “estou decepcionado contigo”, ele responde: “eu também estou”.

Temos diversos exemplos na bíblia, mas observemos Abraão.
Este homem não depositou a culpa - quando esperava vários anos por seu tão sonhado filho - em sua esposa, embora na época a mulher estéril fosse hostilizada. Ele jamais desconfiou na integridade de Deus. O patriarca creu contra a esperança (cf Rm 4:18), pois seu sonho parecia se desintegrar, tornando-se mero devaneio, simples utopia.
Já tinha quase cem anos. O tempo passou. Já não tinha mais idade para prognósticos quanto à sua própria vida. O velho Abraão já estava causticado pela demora desta realização. Ele e sua esposa já não tinham mais as mínimas condições físicas necessárias para se ter um filho.  
Abraão não se rebelou contra Deus, ele O amava por quem Deus é não pelo fato de Ele poder lhe dar Isaque. 

Conclusão, Abraão louvou a Deus, O glorificou. Seu prazer era maior no Deus da bênção do que na benção de Deus. 
Certamente, por vezes, não entedia a soberania do seu Deus, mas sabia que precisava descansar nela e não compreendê-la, aliás sua mente humana tão limitada jamais poderia fazê-lo.
Sua fé não esmoreceu por causa de uma crise pessoal, ao contrário ela se tornou mais forte e robusta conforme nos diz o texto de Romanos 4.20.
Louvado seja Deus porque todas as coisas contribuem para o bem dos seus, mesmo as providências de aparência carrancuda!

E você, como age diante das frustrações pessoais?
Culpa o seu próximo?
É marionete das circunstâncias?
Você fica revoltado com Deus só de pensar que Ele poderá não realizar nenhum de seus desejos?
Apela para a autoajuda ou espera a ajuda do alto?
Você entende que Deus, em sua soberania e amor, fará tudo para a Sua glória e consequentemente para o bem do Seus eleitos?

Soli Deo Gloria! 

0 comentários :

Postar um comentário

OBSERVAÇÃO:
NEM TODAS AS POSTAGENS TRADUZEM, NECESSARIAMENTE, A OPINIÃO DO SITE MATÉRIAS DE TEOLOGIA

Soli Deo Gloria