CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

FUNDO

INTRODUÇÃO À 1 JOÃO - Por Helbert Souza



O AUTOR:

João era filho do casal Zebedeu e Salomé. Irmão de Tiago.
Sua mãe era irmã de Maria, mãe de Jesus.
João era galileu e provavelmente cresceu em Betsaida, às margens do mar da Galiléia e, a semelhança de seu pai (Zebedeu) era pescador.

Joao tornou-se discípulo de Joao Batista, mas deixou suas fileiras para seguir o carpinteiro de Nazaré, o rabino da Galileia.

Depois da morte de João Batista, João abandona até a pescaria para integrar de forma definitiva o grupo de Jesus e posteriormente se tornaria um dos apóstolos.


João tornou-se participante do círculo mais íntimo de Jesus.
Ele e juntamente com Pedro, e Tiago (seu irmão).
-Eles que estavam com Jesus no monte da transfiguração – Lc 9:28
-Na casa de Jairo – Lc8:51
-No jardim do Getsêmani – Mc 14:33

Destes 3 discípulos, João era o que reclinava a cabeça sobre o peito de Jesus - Jo 13:23

Quando Jesus foi preso, João o acompanhou.
Os outros discípulos fugiram, mas João - que era aparentado do sumo sacerdote - acompanhou o Seu julgamento. Jo 18:15-16

João também estava presente na crucificação de Jesus.
Jo19: 26-27
26 Ora, Jesus, vendo ali sua mãe, e ao lado dela o discípulo a quem ele amava, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho.
27 Então disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.

Jo 20:1-8 nos relata que:
Três dias após a morte de Jesus, Maria Madalena vai ao sepulcro e vê que a pedra havia sido removida.
Ela vai correndo falar com Pedro e João.
Os dois saem correndo, a Bíblia diz que João correu mais rápido do que Pedro e viu e creu. (v8)

João foi testemunha ocular da ressurreição de Jesus. Ele viu, ouviu e tocou o Cristo ressurreto.

Ele foi o único apóstolo que teve morte natural. Todos os outros apóstolos foram martirizados. 
João foi o último representante do colégio apostólico vivo.
Tiago - irmão de João - foi o primeiro apóstolo a morrer, enquanto João foi o último apóstolo a morrer.
Ele morreu por volta do ano 98 d.C. Irineu diz ele viveu até o “tempo de Trajano”.

Acredita-se que João tenha passado os últimos dias de sua vida em Éfeso - a capital da Ásia Menor - onde ele pastoreava a igreja e escreveu 1ª, 2ª e 3ª João.

A PRIMEIRA ESPÍSTOLA DE JOÃO:

A 3 ª epistola de João – visa alertar a igreja sobre o perigo dos falsos líderes.
A 2 ª epistola de João – visa alertar a igreja sobre o perigo dos falsos mestres.
O evangelho segundo João - foi escrito para que as pessoas cressem que “... Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome." João 20:31
A 1ª epístola - para que aqueles que creram   tivessem certeza da sua salvação.


João 1:12 diz:
“...aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus;”

Se você creu de verdade você pertence à família de Deus.
Se você é da família Deus, não tenha dúvidas, Deus não te deixará perecer.

- William MacDonald:
esta epístola é como um álbum de família.
Descreve as características daqueles que são membros da família de Deus.

O Evangelho segundo João e a Primeira espístola:

João escreve o evangelho para os incrédulos a fim de despertar-lhes a fé
João escreve a epístola para os crentes a fim de aprofundar-lhes a certeza da fé.

João escreve o evangelho para os incrédulos a fim de que pela fé recebessem a vida
João escreve a epístola para os crentes para que soubessem que eles já possuem a vida

João escreve o evangelho para os incrédulos a fim de que os sinas descritos evocassem a fé
João escreve a epístola para os crentes a fim de que as provas descritas julgassem a fé

No Evangelho:
Os inimigos da verdade são judeus. Criam na historicidade de Jesus (porque o viam e o ouviam), mas não criam que Jesus era o Cristo (o messias prometido)

Na epístola:
Os inimigos da verdade são os falsos crentes. Criam no Cristo (o messias prometido), mas não criam  no Jesus histórico.

Então o tema:
Do evangelho é: Jesus é o Cristo
Da epístola é: O cristo é Jesus

Alguns comentaristas dizem que a primeira carta ocupa o lugar mais elevado nos escritos inspirados:

João Wesley:
“1ª João é a parte mais profunda das Escrituras Sagradas.”

Esta epístola tem algumas características inusitadas. Em todas as missivas se encontravam:
nome do remetente
nome dos destinatários
lugar de origem         
lugar de destino
saudação e bênção

Mas 1ª João não tem nenhum destes itens.

É denominada carta. Ao ler esta epístola observa-se claramente seu caráter pessoal. Mas ela não começa nem termina como tal.

As cartas de Paulo começavam com a identificação do destinatário e terminavam com as suas saudações.
1ª João, não é assim.

Existem 21 cartas no NT e apenas 1ª João e Hebreus não trazem a apresentação do autor.

A epístola poderia ser chamada de “tratado teológico”.
João transmite verdades muito profundas, de forma extremamente simples.

Ele usa termos conhecidos, como também o fez no seu evangelho, e promove contrastes que prendem a nossa atenção:
Vida e morte
Luz e trevas
Verdade e mentira
Amor e ódio.

O apóstolo João submete todos os crentes a três testes distintos. 
Todos, até mesmo porque ela não foi endereçada para igreja de Éfeso ou alguma outra igreja específica da Ásia.
Claro que passou por elas primeiro elas, mas 1João foi uma espécie de encíclica, uma circular. Sua mensagem também é para nós.

Os três testes são: teológico, moral e social.

O TESTE  TEOLÓGICO:
1 JO 2:22
“Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo...?”
Se acreditavam que Jesus é o Filho de Deus. O Deus-Homem: Que “Jesus é o Cristo” e que “o Cristo é Jesus”.

O TESTE MORAL:
1 JO 2:6
“Aquele que diz que permanece Nele, esse deve também andar assim como Ele andou”
Se vivem de acordo com aquilo que o Senhor viveu. Se andam como Ele andou.

O TESTE SOCIAL:
1 JO 4:20
“Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, não pode amar a Deus, a quem não viu.”
Se amam uns aos outros.

- O apóstolo João tinha 2 propósitos ao escrever esta carta:

1º)EXPOR OS ERROS DOUTRINÁRIOS DOS FALSOS MESTRES
1Jo 2:26 - “Estas coisas vos escrevo a respeito daqueles que vos querem enganar.”

2º)CONFIRMAR OS VERDADEIROS CRENTES NA DOUTRINA DOS APÓSTOLOS

Portanto ela não apenas expõe os falsos mestres como também confirma a fé dos, verdadeiramente, salvos. Pois ainda que pequem, eles não permanecem no pecado, mas buscam andar como o seu Mestre.

VEJA COMO OS FALSOS MESTRES SERIAM REPROVADOS NOS TESTES:

1º. Teste teológico:
Os falsos mestres eram adeptos da forma embrionária do gnosticismo. Esta palavra de vem do termo grego “gnosis” = conhecimento.
Eles acreditavam que tinham um conhecimento que Deus não havia dado nem para os apóstolos.
A máxima do gnosticismo era: A matéria e essencialmente má e o espírito é essencialmente bom.
Se a matéria é má. O corpo (a carne) é matéria, então Jesus não teria vindo em carne. Ele veio só em espírito.
Daí surgiu também a heresia terrível chamada “Docetismo”, do gr. “Dokein” = parecer. Ou seja, Jesus só parecia ter um corpo, era uma espécie de holograma.
Por isto João escreve 1Jo 4:2-3:
2 Nisto conheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus;
3 e todo espírito que não confessa a Jesus não é de Deus; mas é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que havia de vir; e agora já está no mundo.

Dentro do “Docetismo” surge ainda uma variante, mais perigosa e sutil, liderada por “Cerinto” (contemporâneo e inimigo do Apóstolo João) ele dizia:
“Jesus e Cristo são diferentes. Jesus é homem, Cristo é Deus. Jesus morreu na cruz, mas Cristo não”

Por isto João escreve 1Jo 5:6
6 Este é aquele que veio por água e sangue, isto é, Jesus Cristo; não só pela água, mas pela água e pelo sangue.

Os gnósticos diziam que o Cristo havia vindo por meio de água (o batismo de Jesus), mas não por meio de sangue (a cruz).

2º. Teste moral:
Uma linha do gnosticimo acretiva que, já que a matéria era sem importância, Deus não se importaria com o pecado. Ele só estaria preocupado com o espírito. Com o corpo poderia-se pecar à vontade.
Seriam reprovados no teste moral.

3º. Teste social:
Uma outra linha do gnosticismo afirmava que o corpo precisava ser castigado para a libertação do espírito, que além de ocorrer por este meio, também se daria pelo conhecimento místico que apregoavam.
Desta forma não manifestavam o amor ao próximo, pois a fome, frio, nudez e todas as demais necessidades física dos irmãos não deveriam ser supridas, pois seria um meio de castigar a matéria – o corpo.
Seriam reprovados no teste do amor.’’
  




Baseado em
1, 2, 3 João - Hernandes D. Lopes 
Comentários Expositivos
Ed. Hagnos

OBSERVAÇÃO:
NEM TODAS AS POSTAGENS TRADUZEM, NECESSARIAMENTE, A OPINIÃO DO SITE MATÉRIAS DE TEOLOGIA

Soli Deo Gloria