CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

FUNDO

O NOVO CÉU E A NOVA TERRA - Pr. Irio Ferreira


O novo céu e a nova terra
(Ap 21.1-8)

A História já fechou suas cortinas. O juízo final já aconteceu. Os inimigos de Cordeiro foram lançados no lago de fogo. Os remidos já estão na festa das bodas do Cordeiro.
Este texto é a apoteose da revelação. O paraíso perdido é agora o paraíso reconquistado. O homem caído é agora o homem glorificado. O projeto de Deus triunfou. O tempo cósmico se converteu em eternidade.
Winston Churchill disse que a decadência moral da Inglaterra era devido ao fato que os pregadores tinham deixado de pregar sobre o céu e o inferno
Hoje em dia a pregação sobre o céu e o inferno foi substituída por uma pregação antropocêntrica que ensina uma felicidade na terra.

Assim como Winston Churchill percebeu que a causa da decadência moral da Inglaterra era devido ao fato de os pregadores não estarem mais pregando sobre o céu, creio que essa sem sombra de duvidas também é a causa da decadência teológica da igreja evangélica no Brasil.
Creio que não é novidade para ninguém que a igreja evangélica no Brasil precisa urgentemente de uma reforma em sua doutrina.
A igreja evangélica no Brasil precisa urgentemente deixar de pensar nas coisas que são da terra para contemplar as bênçãos maiores do novo céu e da nova terra que o Senhor tem preparado para os seus eleitos.
A pregação sobre o céu traz profundas lições morais para igreja hoje:
Em primeiro lugar: Jesus nos alerta a não ajuntarmos tesouros na terra, mas ajuntarmos tesouros no céu
 Não ajunteis para vós tesouros na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões minam e roubam; mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam.   Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração. (Mt. 6. 19-21)
Em segundo lugar: Por que Paulo nos exorta a pensarmos nas coisas do alto e não nas coisas que são da terra.
Se, pois, fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; porque morrestes, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória. (CL 3.1-4)
Em terceiro lugar: Porque o Senhor Jesus nos ensinou a orar: venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu (Mt 6.10)
O senhor Jesus esta nos exortando a intercedermos para que a vontade de Deus seja obedecida na terra entre os homens, assim como ele é obedecida entre os anjos no céu.
Dessa forma expressamos a realidade do reino dos céus aqui na terra como igreja
Em quarto lugar: Porque o céu nos estimula a santidade
 Aguardando, e desejando ardentemente a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se dissolverão, e os elementos, ardendo, se fundirão?  Nós, porém, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e uma nova terra, nos quais habita a justiça.   Pelo que, amados, como estais aguardando estas coisas, procurai diligentemente que por ele sejais achados imaculados e irrepreensível em paz (2Pe 3.12-14)   
De modo nenhum porque sabemos que não perdemos a nossa salvação, iremos por causa da promessa negligenciar a vida santa; Pelo contrario, sabedores de que o senhor nos guardará de tropeçar, e de que sua palavra por certo irá se cumprir, viveremos dedicados ainda mais a uma vida irrepreensível diante Dele em amor.
 Em quinto lugar: O céu nos ajuda a enfrentar o sofrimento permanecendo fieis e firmes aguardando a bendita esperança.
O Espírito mesmo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus; e, se filhos, também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo; se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados. Pois tenho para mim que as aflições deste tempo presente não se podem comparar com a glória que em nós há de ser revelada. Porque a criação aguarda com ardente expectativa a revelação dos filhos de Deus. (Rm 8.16-19)  

Em sexto lugar: O céu nos ensina a renunciarmos agora em favor da herança futura
porque esperava a cidade que tem os fundamentos, da qual o arquiteto e edificador é Deus..... escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus do que ter por algum tempo o gozo do pecado, tendo por maiores riquezas o opróbrio de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa. (Hb 11.10,26)  
O autor aos Hebreus faz uso do testemunho de fé dos nossos primeiros Pais para nos incentivar a renunciar o temporal em favor do eterno.
Toda felicidade que esse mundo tem a nos oferecer não é nada comparado ao reino dos céus que o senhor nos preparou antes da fundação do mundo.
Em sétimo lugar: O céu nos livra do medo da morte
 segundo a minha ardente expectativa e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a ousadia, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte. Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro. Mas, se o viver na carne resultar para mim em fruto do meu trabalho, não sei então o que hei de escolher. Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor; (Fp. 1.20-23)
Creio que a mensagem sobre a vitória de Cristo unida com a realidade do céu é a única resposta para o sentido da vida, principalmente para os que não gozam de prosperidade e saúde nessa terra. 
O medo da morte é o terror de todos os homens.
Se Deus não existe então a vida não faz sentido e a morte é uma realidade horrível que devemos evitar a todo custo.
Mas se o Deus que é revelado na escritura realmente existe para nós os que cremos no seu filho, a morte não é o fim mas o começo da verdadeira vida, a saber, a vida eterna. 
W.A.Criswell, um dos maiores pregadores batistas do século XX, disse:
O céu é um lugar preparado para aqueles que foram preparados para ele. Não há dor na terra que o céu não possa curar.
O que são o novo céu e a nova terra?
E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já se foram o primeiro céu e a primeira terra, e o mar já não existe.( Ap 21.1)
Observamos através do verso primeiro que a redenção alcançará não só a igreja, mas todo o cosmos.
Porque a criação aguarda com ardente expectativa a revelação dos filhos de Deus.   
 Porquanto a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa daquele que a sujeitou,  na esperança de que também a própria criação há de ser liberta do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação, conjuntamente, geme e está com dores de parto até agora; (Rm 8.20-21) 

Hoje a natureza está escravizada pelo pecado, gemendo aguardando a redenção do seu cativeiro.
Deus não vai criar novo céu e nova terra, mas vai fazer do velho um novo. O novo céu e a nova terra não são um novo que não existia, mas um novo a partir do que já existia. Não vai mai existir separação entre o céu e a terra. Toda terra se encherá do conhecimento do Senhor.


Quem não vai estar no novo céu e na nova terra?
Mas, quanto aos medrosos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos adúlteros, e aos feiticeiros, e aos idólatras, e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago ardente de fogo e enxofre, que é a segunda morte. (Ap 21.8)
Em primeiro lugar: ficarão de fora os covardes
Estes são aqueles que fogem das conseqüências de confessar o nome de Jesus.
Quando João escreveu o livro do apocalipse a igreja na terra sofria muitas perseguições. Aceitar Jesus e confessá-lo como Senhor era correr risco de vida. Muitos perderam seus empregos, suas casas e até mesmo sua família por causa de sua conversão ao evangelho.
Os medrosos são esses que não estão dispostos a tomar a cruz para seguir ao senhor.  
Em segundo lugar: ficarão de fora os incrédulos
O incrédulo é aquele que não crê no evangelho. A pessoa que pode até ter uma religião, pode até acreditar em Jesus, mas não pratica; e a falta de pratica revela sua incredulidade.
Muitos são os que são evangelizados, mas não crêem no evangelho. Muitos são os que se dizem Ateus. Para esses está reservado aquele grande dia. 
Em terceiro lugar: ficarão de fora os que vivem uma vida moralmente corrompida.
Homicidas e adúlteros no contexto representam todos aqueles que vivem na pratica do pecado.
Em quarto lugar: ficarão de fora os feiticeiros, idólatras e mentirosos
Os feiticeiros idólatras e mentirosos representam todos aqueles que praticam uma religião que é contraria a palavra de Deus.
O destino eterno dos ímpios será o inferno, ou seja, o lago de fogo e enxofre.
O que não vai entrar no novo céu e na nova terra?
Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas. (AP 21.4)
No novo céu e na nova terra não haverá dor. A dor é conseqüência do pecado. A dor física moral, emocional e espiritual não vão entrar no céu. Não haverá enfermidade, não haverá defeito físico, cansaço, depressão e decepção. Não haverá choro nas ruas da nova Jerusalém.
Não haverá mais morte porque a morte de Jesus venceu a morte. Como disse Jhon Owen, foi a morte da morte na morte de Cristo.


Quem vai estar no novo céu e na nova terra?
E vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que descia do céu da parte de Deus, adereçada como uma noiva ataviada para o seu noivo.  (Ap.21.2)
A noiva adornada para o seu esposo, a igreja glorificada é quem vai habitar no novo céu e na nova terra.
A igreja glorificada composta de todos os remidos, e de todos os lugares, de todos os tempos, comprada pelo sangue do cordeiro, amada pelo Pai, selada pelo Espírito Santo é a cidade Santa, a nova Jerusalém em contraste com a Babilônia, a cidade do pecado.
Porque a noiva vai morar no novo céu e na nova terra?
Disse-me ainda: está cumprido: Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim. A quem tiver sede, de graça lhe darei a beber da fonte da água da vida. Aquele que vencer herdará estas coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho. (Ap 21.6-7)   

A igreja, a noiva fiel e verdadeira estará no novo céu e na nova terna por causa da graça de Deus.
A graça de Deus é a causa da nossa salvação. A salvação é pela graça mediante a fé. O que diferencia o cristianismo de todas as outras religiões é a doutrina da justificação.
Todas as outras religiões ensinam a salvação pelas obras.  O cristianismo ensina que o nosso deus nos salvou não pelos nossos méritos, mas pelos méritos de Cristo que nos amou sendo nós ainda pecadores.
Aquele que vencer na verdade só vence porque o Espírito do cristo vencedor, o Alfa e o Omega, capacita a permanecer fiel até o fim.    



OBSERVAÇÃO:
NEM TODAS AS POSTAGENS TRADUZEM, NECESSARIAMENTE, A OPINIÃO DO SITE MATÉRIAS DE TEOLOGIA

Soli Deo Gloria