CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

FUNDO

SOTERIOLOGIA E ORDO SALUTIS - Por Helbert Souza - AULA 1


SOTERIOLOGIA E ORDO SALUTIS
A DOUTRINA E A ORDEM SALVAÇÃO


A palavra é formada a partir de dois termos gregos Σοτεριος [Soterios], que significa "salvação" e λογος 
[logos], que significa "palavra", ou "princípio".


É a área da Teologia Sistemática que trata da doutrina da salvação humana. Estuda a aplicação da obra de redenção.

 A matéria deve ser estudada teológica (partindo de Deus), e não antropologicamente (partindo do homem). A obra de Deus, e não a do homem, é que deve estar em foco. 

Há duas possíveis formas de “fazer teologia”: partindo de Deus para o homem ou do homem para Deus. Estas posições distintas gera duas visões conflitantes quanto à Doutrina da Salvação. São elas:

A VISÃO ARMINIANA E A CALVINISTA:

ARMINIANISMO – TEOLOGIA POPULAR NO BRASIL:
Enfatiza a escolha do homem
Crê que Deus, em seu infinito amor e misericórdia, predestinou todos os homens que crerem em Cristo Jesus à salvação, cabendo ao homem aceitar mediante a fé o ato de sacrifício de Jesus na Cruz.
Segundo o Arminianismo o homem participa da sua salvação com sua escolha.
Também da mesma forma pode o homem escolher mediante seus atos decair da fé perdendo a salvação.
Todos foram escolhidos para serem salvos mas somente os que aceitam o chamado e perseveram até o final serão salvos.

CALVINISMO – TEOLOGIA REFORMADA
Enfatiza a soberania de Deus
Crê que Deus não destinou todos os homens à salvação, visto que é fato nem todos se salvarem. Neste caso Cristo morreu apenas pelos seus eleitos.
Estes ouvirão o chamado irresistível do Espírito Santo e se renderão a Cristo, sendo então justificados tão somente pela graça de Deus.
Em virtude do pecado de Adão a condição de pecador se estendeu a toda raça humana (depravação total).
Portanto, o Homem peca porque é pecador (tem a natureza do pecado) e não é pecador porque peca (ato do pecado).
Sendo assim a partir desse momento, o homem necessitava de um plano de salvação para que pudesse ser restaurado à imagem e semelhança de Deus. 

O Plano da Salvação, consistiu em Cristo morrer pelos eleitos, para que por sua graça, houvesse remissão dos pecados.

Não cabe ao Homem qualquer parte no plano de salvação, toda a iniciativa e realização é de Deus. É Ele quem muda a disposição de um coração morto e obstinado pelo pecado, transformando-o em um coração sensível à Sua voz. Nesta condição o Homem só pode dizer sim a chamada à salvação.
Uma vez "verdadeiramente salvo" o cristão não perde essa condição já que o próprio Deus sustenta o pecador regenerado. 

É digno de nota que essa doutrina não "afrouxa" a necessidade de uma vida santificada.
Um salvo deve viver como tal. 

Porém esse princípio enfatiza apenas o aspecto último da salvação, o momento final da vida de um homem, pois não são obras da vida do homem que salvam o homem, mas o perdão de Deus.

Uma pessoa que Deus perdoou têm uma vida digna de piedade aos olhos de Deus, não cabendo aos homens julgarem quem é salvo ou não, mas antes realizarem a vontade de Deus, que é viver de maneira misericordiosa, ou seja Deus encarnou na pessoa de Jesus para salvar os pecadores não os pecados.

ORDO SALUTIS:
Ordo Salutis é um termo em Latim que significa “Ordem da Salvação”

Berkhof a define da seguinte maneira:

Processo pelo qual a obra de salvação, realizada em Cristo, é concretizada subjetivamente nos corações e vidas dos pecadores. 

Busca descrever, em sua ordem lógica, os vários movimentos do Espírito Santo na aplicação da obra de redenção.

 A ênfase não recai no que o homem faz, ao apropriar-se da graça de Deus, mas no que Deus faz, ao aplicá-la. 

São os elementos da Ordo Salutis:

1. Eleição: Deus, em sua soberania e presciência, escolhe, antes da fundação do mundo, aqueles pecadores que seriam salvos pela graça.
2. Chamado: Deus, pela proclamação da Palavra, chama aqueles que Ele mesmo escolheu, e estes respondem com fé salvadora, que o próprio Deus gera no coração do homem.
3. Regeneração: Deus aplica o novo nascimento, ou seja, concede vida ao que foi chamado,  que outrora estava morto em seus delitos e pecados.
4. Conversão: Deus move nosso coração e mente para responder positivamente ao chamado do evangelho, arrependendo-nos dos pecados e colocando nossa fé em Cristo.
5.  Justificação: Deus nos declara justos, perdoando os nossos pecados e imputando a justiça de Cristo a nós.
6. Adoção: Deus nos adota como filhos, nos tornando membros de sua família. Agora não mais escravos de satanás, mas filhos de Deus.
7. Santificação: Deus, a cada dia vai nos tornando mais santos, conforme a imagem de Jesus Cristo, a medida que renunciamos o pecado. É um trabalho de Deus, mas que nós temos nossa responsabilidade também.
8. Perseverança: Deus é que vai nos sustentar durante nossa caminhada aqui na terra. Todos aqueles que foram regenerados e justificados por Deus, irão perseverar até o fim de suas vidas.
9. Glorificação: Deus finalmente vai remover todo vestígio e traços do pecado que ainda permanece em nós, e vai nos dar um corpo glorificado, ressurreto.

Conforme se pode observar, em cada um dos nove elementos acima, é Deus quem elege, chama, regenera, converte, justifica, adota, santifica, faz os eleitos perseverarem e, por fim, os glorificará.

Que obra resta ao homem na salvação?

Alguém poderá perguntar:
Pois que? Pecaremos porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça? De modo nenhum. (Rm6:15)

 Não estamos debaixo da lei (onde muitos buscavam ser salvos por seus próprios méritos como, por exemplo, o jovem rico). Mas debaixo da graça (onde Deus faz tudo por nós, que nada merecíamos).
Pecaremos por isto? De modo nenhum!

Ao contrário, o salvo (verdadeiramente) vai corresponder ao chamado.  Não fará nada para ser salvo, mas tudo fará porque é salvo.

Sabe que não é salvo pelas obras, todavia entende que suas obras evidenciam a sua salvação.


Helbert Souza
Soli Deo Gloria


REFERÊNCIAS:
  • HOEKEMA, Anthony. Salvos Pela Graça: A Doutrina Bíblica da Salvação, 2ª ed. Revisada, São Paulo: Cultura Cristã, 2002
  •   SPROUL, R. C. Salvo de quê?: compreendendo o significado da salvação. São Paulo: Ed. Vida, 2006
  •   Site: materiasdeteologia.com 


6 comentários :

  1. como eu gostei dessa materia ,DEUS abençoe sempre,eu creio sim em CRISTO JESUS ,e em minha salvação ou seja meu nome estar la

    ResponderExcluir
  2. estou amando esse estudo ,pois sou um servo q procuro aprofundar na palavra ,pois há muitas coisas erradas pregadas por ai

    ResponderExcluir
  3. Estou amando os estudos e quanto mais eu estudo mais quero estudar. Que Deus os Abençõe.

    ResponderExcluir
  4. Agradecemos o prestígio de vocês e ficamos felizes em ver como têm se empenhado. Qualquer coisa que precisarem, estamos à disposição. Deus os abençoe!

    ResponderExcluir
  5. Boa noite e que a paz de nosso Senhor seja convosco, comecei hoje minha inscrição no curso e estou gostando até aqui. Mas antes de me aprofundar nos ótimos estudos disponíveis pelo cursos tenho uma pergunta, por curiosidade. Essa ORDO SALUTIS (ORDEM DA SALVAÇÃO) defende a teoria de João Calvino? Aguardo.

    ResponderExcluir

OBSERVAÇÃO:
NEM TODAS AS POSTAGENS TRADUZEM, NECESSARIAMENTE, A OPINIÃO DO SITE MATÉRIAS DE TEOLOGIA

Soli Deo Gloria