CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

FUNDO

VISÃO ESPIRITUAL - Por Leonardo Dâmaso




Texto base: Mc. 8-22 ao 26


Introdução



Existem duas características peculiares acerca da cidade de Betsaida que eu gostaria de ressaltá-las, que está no (Vs.22a).

A localização e um pouco da história da cidade.

A cura desse cego se deu na vila de Betsaida, isto é, Betsaida Júlia, na margem norte do mar da Galiléia e a leste do rio Jordão. Felipe o tetrarca, a aumentou e embelezou. Essa pequena vila agora se tornara uma cidade, tendo recebido o nome de Betsaida Júlia, filha do imperador Augustus.

O contexto da cidade.

Na verdade aquele povo de Betsaida já conhecia a Jesus, Ele já havia estado ali uma vez, mas eles não o receberam, viram os milagres que o Senhor tinha feito mais não creram nEle como o messias prometido que haveria de vir e veio. E isto está relatado em (Mt. 11-21).


Argumentação


No (vs.22b) é dito que alguns homens, não são mencionados quantos eram, trazem um homem cego até Jesus. A cegueira era uma das grandes maldições do oriente, havia um índice muito alto de cegueira naquela região. Ela era provocada pelo forte resplendor do sol e também pela falta de higiene da pessoa.

O interessante é que o texto não diz nada sobre aquele cego pedindo para ser levado até à Cristo, quem sabe, foi até por iniciativa daqueles homens que o cego foi a Jesus, por si só ele não conseguiria.
Eles não só o trazem, mas rogam, por ele, que no grego original é suplicam = pedir com instância e humildade, que Jesus o tocasse que o curasse e lhe restituísse a visão.
  
    Nós aprendemos aqui sobre a importância e o valor da intercessão, aqueles homens intercederam pelo cego, assim nós devemos orar intercedendo não somente pelos nossos irmãos em Cristo, mas principalmente pelos que ainda não foram alcançados pelo evangelho de Cristo, para que Deus possa curar essas pessoas e levá-las para a sua presença (Tg. 5-16b).

Aqui no (Vs.23) existem 3 lições importantes:

1º (Vs.23a) JESUS PROCURANDO PRIVACIDADE, PEGA O CEGO PELA MÃO E GUIA-O.

 A bíblia diz em (2Cor. 4-4) que: o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos para que não lhes resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus.

Ou seja, satanás cega os homens para a verdade de Deus por meio do sistema do mundo dominado por ele. Sem uma influência piedosa, o homem entregue a si mesmo seguirá esse sistema, o qual se denomina a depravação total dos incrédulos e quão profunda são as suas trevas morais.

        Por causa do pecado de Adão e Eva, todos pecaram conforme (Rm. 5-12) diz. Por essa razão, o ser humano que antes tinha e era para ter um relacionamento perfeito e intimo com Deus, através do pecado de nosso representante Adão, a humanidade se tornou caída, depravada, morta espiritualmente, cega e impossibilitada de se achegar a Deus por si só (Rm. 6-23) (Rm. 3-10).

         Adão e Eva que antes podiam enxergar e ver a Deus, depois do pecado não pôde mais vê-lo, se tornaram cegos. Você e eu somos este cego de Betsaida, cegos para as coisas espirituais, cegos para enxergar o caminho que nos leva até a Deus, e Jesus é o caminho, a verdade e a vida (Jo. 14-6), Isso é o que Ele fez com o cego e faz conosco (Is. 41-13).


2º (Vs.23b) CRISTO LEVA O HOMEM CEGO PARA FORA DA ALDEIA.

Os profetas do AT denunciaram muitas cidades e nações que se recusaram a aceitar os padrões de Deus. Israel e Judá não estavam imunes a essas denúncias (Am. 1-2). A denúncia de Jesus contra as cidades de Corazim, Betsaida e Carfanaum (Mt. 11-21), usam a mesma fórmula (Is. 14-12, 15). Os pecados pelos quais essas cidades foram condenadas são maiores que os de Tiro e Sidom e de Sodoma pelo pecado.


O que essas cidades fizeram para que Jesus as condenasse dessa forma? Em todos os lugares, o povo testemunhou o poder de Deus nos milagres realizados por Cristo, e mesmo assim não acreditaram. Essas cidades rejeitaram a prova que o Espírito Santo colocou diante de seus olhos. E Betsaida denota um lugar de incredulidade, de pecado, e tipifica o mundo.

         Um dia Jesus nos tirou desse mundo mal e perverso, cheio de iniquidade, e quem sabe quer tirar você, que ainda não teve um encontro real com Cristo na sua presença. Hoje é o dia para você que ainda se encontra fazendo coisas que pessoas desse mundo fazem e que desagrada a Deus, que é pecado, Jesus levou o cego para fora da aldeia, ele tirou o cego de um lugar que não era bom.


3º (Vs.23c) JESUS CUSPINDO-LHE NOS OLHOS, E IMPONDO-LHE AS MÃOS.

Geralmente quando Cristo curava uma pessoa, e ele a fazia liberando uma palavra, como no caso do paralítico de carfanaum (Mr.2), do jovem lunático (Mc.9-14), do servo do centurião de Carfanaum que estava doente (Lc.7-2), o filho da viúva de Naim, que estava morto e ressuscitou (Lc.7-11), a mulher que era possessa por um demônio que a deixou encurvada por 18 anos (Lc.13-11) e muitos outros.

Neste caso e também na cura do surdo e gago de (Mc. 7-32), Jesus usa uma forma inusitada para curar. Ele aplica a saliva, que era considerada na época um remédio para os olhos. O mundo antigo tinha uma curiosa crença no poder curativo da saliva.

Assim impedindo que a incredulidade entrasse em seu coração, e sentindo o toque de Cristo, primeiro nos seus olhos, e depois com a imposição de mãos, a fé daquele que era passiva, agora começava a se fortalecer e crescer.

  
      Este texto ensina algo muito importante acerca da soberania de Deus. Muitas vezes achamos que o Senhor vai agir na nossa vida da mesma forma que Ele fez na vida de outra pessoa, e até parece estranho o modo que Jesus está nos abençoando, quem sabe não é nem da maneira de como nós o pedimos em oração, mas o Senhor sabe com fazer as coisas e faz o que é da sua vontade e o melhor para nós (Is. 55-9).

EM SEGUIDA JESUS PERGUNTA AO CEGO SE ELE VIA ALGUMA COISA, SE HAVIA READIQUIRIDO A VISÃO.


No (vs.24) vemos uma características peculiar acerca do processo da cura:

 A cura foi parcial.

Temos algo diferente, incomum acerca dos milagres de Jesus, via de regra, o Senhor curava as pessoas de forma completa e imediata. Mas aqui temos uma cura que se processa de forma gradual, progressiva. O homem recobrou a vista em parte, o Senhor Jesus pergunta se ele vê alguma coisa, e ele recobrando a vista diz que vê os homens, porque como árvores os vejo andando.

Agora ele já não era mais cego, ele podia ver, mas a sua vista ainda era confusa, pois se uma pessoa ficasse parada de frente para ele, o tal não saberia discernir se era um homem ou uma árvore. Para saber a diferença, a pessoa tinha que andar, aí então ele a via andando, como árvore não anda, ele deduzia que podia ser um homem; mas olhando a pessoa parada, ele não fazia distinção, via apenas um vulto.

       E existe muita gente na igreja que está nessa primeira fase, ele já não é mais cego, entretanto não vê completamente, a pessoa está confusa sobre determinados valores morais, ela não sabe ver claramente o que é certo e errado, a pessoa não percebe com clareza a doutrina do evangelho e a suas implicações.


No (vs.25) DIZ QUE JESUS NOVAMENTE IMPÕE AS MÃOS NOS OLHOS DO HOMEM, E ELE AGORA PASSA A VER CLARAMENTE, FICOU RESTABELECIDO, E VÊ TUDO NITIDAMENTE.

3 lições podemos extrair do (vs.24) para a nossa vida.

1º Quando o Senhor Jesus nos leva para a sua presença, para a igreja, Ele cura a nossa cegueira espiritual, só que essa cura não é completa, é parcial, progressiva, onde então Jesus toca uma segunda vez os nossos olhos espirituais para entendermos e compreendermos melhor a Palavra de Deus, pois o conhecimento nos é dado gradualmente e nunca de uma vez só.

        Como no caso dos discípulos, após serem chamados por Jesus, já não eram mais cegos, enxergavam, mais não claramente, pois não conseguiam entender a Cristo, eles não compreendiam as coisas de Deus, que Jesus tinha que morrer e no terceiro dia ressuscitaria (Lc. 9-44,45) (Lc.18-31,34).

        E à medida que andavam com Cristo iam amadurecendo, e depois da ressurreição no dia de pentecostes, a luz brilhou completamente em seus olhos e eles passaram a ver totalmente, eles nasceram de novo, foram regenerados pelo Espírito Santo.


2º Cristo não está limitado a um único método de responder as nossas orações e agir na nossa vida. Aquelas pessoas pediram a Jesus que curasse o cego. Ele fez mais do que isso, o Senhor quis mostrar a sua soberania pelo qual Ele age nesse mundo.

        É dEle a glória, a honra e o poder, ele faz tudo o que Ele quiser (Sl. 115-3). Um cego Ele cura com a palavra e o outro Ele cura com a saliva, tudo isso para mostrar que nós podemos pedir a Deus pelas nossas necessidades, mas nós não podemos esperar que Deus, nos responda e faça exatamente o que nós pedimos em oração.

        Nós podemos dizer o seguinte: Senhor eis aqui um amigo cego, deixamos ele nas tuas mãos, que se o Senhor o cure conforme a sua vontade, se é através de uma palavra, se é através da saliva, se é do jeito que o Senhor quiser fazer.
  
      E muitas pessoas hoje na igreja estão totalmente equivocadas nessa questão. Acham que Deus é obrigado ou só cura através do método sobrenatural, que se a pessoa está doente, daí ela ora pedindo a cura, Deus não precisa de remédio, de médico para curar, pois assim estaria diminuindo o poder de Deus, Ele cura de maneira instantânea.
  
       E às vezes não é assim, Deus pode curar uma pessoa doente também pelo próprio medicamento, através de um tratamento, que normalmente levaria um mês para a pessoa estar totalmente recuperada; 

    Deus faz com que em 15 dias a pessoa esteja sã novamente, Ele adianta o processo de cura. E isso não diminui o Senhor, apenas Ele usou outro método, outra forma de curar.


3º Muito embora, frequentemente o Senhor Jesus curava as pessoas independentemente da fé que elas tinham. Existem vários casos relatados na bíblia. Por ex: o paralítico de Betsaida (Jo.5), (O cego de Jo.9), o coxo na porta do templo (At.3). Porém em outros casos o Senhor Jesus condicionou a cura através da fé. Ele disse: “tudo é possível ao que crê, vai, a tua fé te salvou”.

        Como vemos no caso de Jairo em (Mc. 5-22) que pediu ao Senhor que fosse curar sua filha que estava doente, e prestes a morrer. O caso do leproso purificado em (Mt.8). Talvez esse seja o caso geral, os outros são exceções, talvez Jesus quisesse repreender os que se achegavam a Ele duvidosos e vacilantes.

No (vs.26) aprendemos algo muito importante, onde o Senhor Jesus orienta, recomenda e exorta aquele homem em duas coisas:

1º ELE MANDA AQUELE HOMEM EMBORA PARA A SUA CASA.

Jesus aqui recomenda ao homem que vá para a sua casa. O melhor para aquele homem era ficar na sua casa, permanecer no lugar certo, a ordem do Senhor foi que ele saísse da aldeia e fosse para a sua casa.

2º QUE ELE NÃO ENTRE NA ALDEIA.

A principal exortação de Cristo aquele homem é que ele não entrasse na aldeia. Ele que antes esteve lá e convivia com aquelas pessoas, ouvia coisas que não eram boas aos ouvidos, às vezes era participante de atos pecaminosos com as pessoas daquele lugar.

Quem sabe ele era até vitima de preconceito, pois o cego, o deficiente físico daquela época era muito discriminado pela sociedade, não é como hoje, como ele não podia trabalhar para se sustentar, acabava tendo que mendigar para se sobreviver. O Senhor diz para aquele homem que não entre mais na aldeia.

        A aldeia representa o mundo incrédulo, a sociedade secular corrompida, perversa e longe de Deus, depois de Jesus ter nos curado da cegueira espiritual, Ele nos recomenda, não volte para as práticas pecaminosas que esse mundo adere, seja santo, separado do pecado,

       não se envolva em coisas erradas que não edificam a sua alma, não volte para a sua velha vida (2Cor. 5-17) (1Ts. 4-7) (Hb. 12-14).


Conclusão


Que lições a respeito da obra salvadora do Senhor Jesus esse texto nos ensina? Tem 3 coisas:

O pecado traz conseqüências graves.

O pecado traz a cegueira, da mesma forma que ele traz a lepra, a paralisia, a possessão demoníaca e outras doenças que as pessoas portavam na época de Jesus como conseqüência. Tudo isso eram símbolos da deformação que o pecado faz na raça humana. Mas a cegueira aponta para uma realidade ainda mais terrível do pecado.

A fé vem do entendimento (Rm. 10-17). Quando nós falamos cego espiritual, estamos dizendo que uma pessoa não tem um entendimento espiritual; ela não pode compreender as coisas de Deus. Esse é o estado em que a humanidade se encontra hoje, na mais completa escuridão em relação às coisas de Deus. Tem os seus deuses, suas religiões, avançam em determinada ciência, mas permanecem absolutamente cegos para Deus (1Cor. 2-14).

        Às vezes as pessoas podem estar na igreja e ainda sim estar completamente cegas para as coisas de Deus. Há varias evidências disso, como a falta entendimento acerca das escrituras, e eu não falo só do processo intelectual, mas principalmente do que envolve aceitação, que muda o comportamento e a vida do individuo.

        Onde é nesse estagio que a pessoa nasceu de novo, se converteu verdadeiramente a Cristo, mudou de vida totalmente e radicalmente. Mas às vezes a pessoa que está na igreja, envolvida até em algum cargo ministerial, essas verdades não penetram no coração delas, não mudam de vida, estão cegas dentro da igreja orando, jejuando e pregando. E isso é uma realidade terrível.


Cristo atende cura e abre os olhos de diferentes maneiras.

Por um lado vemos Saulo, um fariseu cego e preso na sua falsa religião, que Jesus o derruba do cavalo a caminho de Damasco (At.9); por outro nós vemos um Timoteo, que cresce num lar cristão e desde cedo conhece as escrituras que o podem fazer sábio para a salvação em Cristo Jesus. 2 modos diferentes, mas com o mesmo efeito: luz, compreensão e verdade.


A obra de salvação, no que tange a santificação, é progressiva.

Uma vez que os olhos foram abertos, nós não vemos claramente e totalmente, é um progresso, a cada dia nós vamos enxergando cada vez mais (2cor. 7-1). Até que finalmente, naquele grande dia glorioso, em que nos encontraremos com o Senhor nos ares, o veremos então face a face (1 Ts. 4-16,17).
  
      E você que já foi tocado por Cristo, que já não é mais cego, você entende a palavra de Deus, está caminhando na vida cristã, não se contente apenas com o primeiro toque, ore, peça a Jesus que o toque uma segunda vez nos olhos para que você possa sobressair, sobrepujar na vida espiritual, para que você possa crescer mais e mais num relacionamento profundo com Deus.




 
Notas:
AUGUSTUS NICODEMOS LOPES, sermões expositvos (série em Marcus).                                                                                                                    

HERNANDES DIAS LOPES, comentário bíblico expositivo de Marcus. Pág 381, 382.

JOHN CHARLES RYLE, Mark pág 118, 119, 120.

WILLIAM HENDRIKSEN, Marcus pág 408, 411, 413.

COMENTÁRIO DA BÍBLIA DE ESTUDO MACARTHUR.

WILLIAM LANE, gospel according to Mark Eerdmans, 1974: pág 285.

 LLOYD JONES, depressão espiritual pág 15, 16.




















OBSERVAÇÃO:
NEM TODAS AS POSTAGENS TRADUZEM, NECESSARIAMENTE, A OPINIÃO DO SITE MATÉRIAS DE TEOLOGIA

Soli Deo Gloria