CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

FUNDO

PARE DE TENTAR - SANDRO TEIXIERA


Se você é Arminiano, isto é aquele que acredita que o homem tem livre-arbítrio e que, através deste, pode “aceitar” ou “rejeitar” a salvação conquistada pelo Senhor Jesus Cristo, esta é a condição para você ser salvo. Ouça o que Deus disse a Caim:


“Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar (Gn.4:7)”.  E Tiago 2.10 completa:
Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos.” Vai encarar?

A salvação da alma é fruto da fé genuína na obra de Cristo. Deus disse a Caim que a ele cumpria dominar o pecado. Ao mesmo tempo, sendo avisado e tendo a oportunidade de escolha, ele se tornou o pai dos assassinos e homicidas, daqueles que não retém a sua mão de praticar os atos externos impulsionados pela tentação interior. Sendo internamente um assassino, como Caim poderia ter evitado cometer o assassinato de seu irmão, uma vez que, mesmo não agindo assim, ele tinha o câncer do pecado da inveja corroendo o seu coração, bem como uma dívida enorme para com Deus. Mas, por fim, ele destruiu a vida de alguém que Deus criou, a vida de seu próprio irmão de sangue!
O Senhor vê todas as coisas e nos adverte, antes de pecarmos. Ele fala em nossa consciência.
Mas o homem se tornou tão satânico quanto o próprio Satanás de modo que a única diferença entre ambos é a forma física. Satanás passou a agir na Terra, através do homem. Os principais instrumentos para isto são:
 
Mediunidade ou incorporação, todos os tipos de práticas pecamonosas, religião e obras mortas.

Mediunidade é a prática por meio da qual o homem recebe “espíritos de luz”, que na verdade são encostos ou demônios, entidades obsessoras que se apoderam da mente humana para disseminar a mentira e as falsas religiões.

Práticas pecaminosas são o ato de dar vazão a pensamentos e sentimentos enganosos e distorcidos, o que resulta na prática de ações destrutivas. Todo pecado causa destruição, miséria, escândalo e tropeço.


Religião: São todas as práticas consideradas sagradas, místicas ou religiosa, que não têm Cristo como seu ponto de origem e de destino. Não glorificam a Cristo como Deus, Senhor e Salvador.

Obras mortas: Todas as “boas ações” que não procedem da fé e comunhão genuínas devidas a Cristo.

Religião: Mitos, lendas, magia, ocultismo, esoterismo, bruxarias, feitiçarias, simpatias, horóscopo, sorte ou destino e toda espécie de relação com espíritos advinhadores.

Pecados espirituais: Orgulho, teomania, auto-adoração ou auto-exaltação, desobediência, obstinação, rebelião, incredulidade, medo da morte, obstinação, não confessar publicamente o Nome de Jesus. Esta classe de pecados não está ligada em 1º lugar a bens materiais ou posição social. Antes estão ligados à questão de domínio e poder, independência em relação ao seu Criador. 

Obras da carne (cobiça da carne) ou Pecados Sociais: Fama, reconhecimento, admiração, comparação, abstrações, simpatia ou antipatia, status, auto-afirmação, política, nostalgia, mágoa, ressentimento, inveja, ansiedade ou preocupação, inquietação, premeditação, introjeção, introspecção, afetação (não toques, não proves, não manuseies...) práticas de religião sem vida, acepção de pessoas, procrastinação, elogios, bajulações, desdém ou desprezo, etiqueta, moda (modismo), mexericos, calúnias, fofocas, más notícias, maldade, oportunismo, conveniências, paixão, ira desenfreada ou infundada, tirania ou despotismo, opressões, humilhações, sofismas, sensualidade, vaidade, ascetismo, apego, carências, carisma, atrevimento, provocação, agressão, auto-comiseração, emulação ou rivalidade, dissimulação ou fingimento, curiosidade, distração, rejeição, comodismo, fuga, ganância ou avareza, impureza ou imoralidade, luxúrua, lascívia, pornografia, novelas, etc...

Obras do corpo (cobiça dos olhos) ou Pecados Materiais: Todo desejo que ultrapassa a necessidade como, por exemplo a glutonaria e a embriaguês, uso de drogas, entorpecentes ou remédios em excesso, ter muitas posses, pornografia, fornicação, adultério, mentira, assassinato ou homicídio, furto ou roubo, violência, espancamento, apego às coisas materiais, exibicionismo, galanteio, vestir-se de modo a despertar sensualidade nos outros, etc...

Se através da “SUA” decisão de ser cristão, você vencer todos estes pecados pelo resto da sua vida aqui na Terra, digamos que Deus o deixaria entrar no Céu (o que não é verdade – há muito mais do que isto!), você encararia? Então, fique à vontade...

Caso contrário, depois que você desistir de tentar, se ainda sobrar algo de você, venha estar com aqueles que para nada prestam, mas que foram graciosamente perdoados, amparados e “obrigados a entrar no banquete do Grande Rei Jesus”. 
Eis um dos locais onde pode encontrar esta turma:


Rua Fonseca Hermes, 42 – Centro – Juíz de Fora – M.G.
Cultos: Sexta e Domingo às 19:30
           Terça às 20:00 hs – Seminário de Teologia

        Deus lhe mostre a Sua compaixão. Um abraço a todos
Sandro Teixeira


 

2 comentários :

  1. Bom, se alguém estivesse nadando para chegar a praia vivo, enquanto tivesse força não deveria desistir. Mas em se tratando de salvação, ou o homem pára de tentar se salvar e confia na suficiência de Cristo, ou vai morrer na praia, se ao menos chegar lá.

    ResponderExcluir
  2. Temos o livre arbítrio ou liberdade de escolha, eu prefiro usar o termo liberdade de escolha, para inúmeras outras coisas a parte das coisas espirituais, no caso em pauta: Se voltar ou não para Deus. O nosso livre arbítrio (escolha) foi "enterrado" juntamente com toda a humanidade, quando esta recebeu a herança do pecado do nosso representante Adão, ou seja,a morte espiritual como consequência. Somente Deus é que nos leva até a Cristo ressuscitando o nosso espírito morto em pecados nos chamando eficazmente a sua graça irresistível, onde Ele nos mantém perseverantes na sua presença até o fim. Soli Deo Glória!

    ResponderExcluir

OBSERVAÇÃO:
NEM TODAS AS POSTAGENS TRADUZEM, NECESSARIAMENTE, A OPINIÃO DO SITE MATÉRIAS DE TEOLOGIA

Soli Deo Gloria