CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

FUNDO

OS PADRÕES DE UM HOMEM DE DEUS - LEONARDO DAMASO




TEXTO BASE: 2 Tm 2.1-7


INTRODUÇÃO


      A segunda carta de Paulo a Timóteo é uma continuação da sua primeira carta escrita ao seu amado e mais notável discípulo e filho na fé. No entanto, elas possuem as mesmas
características peculiares, no que se refere à mesma essência de conteúdo, ambas formam a tríade das cartas pastorais de Paulo, juntamente com a carta a Tito.

      Conforme vamos discorrendo por estas duas cartas, podemos observar que mesmo sendo de uma família cristã, e desde criança já lhe era ensinado às escrituras, foi através de Paulo em Listra (At 14.6-23) que Timóteo chegou ao seu limiar com Cristo (1.2,18; 1 Cor 4.17; 2 Tm 1.2). Onde ele começou a ter experiências preeminentes, juntamente com o processo de maturidade cristã que estava iniciando em sua vida.

      Não obstante, quando “Paulo voltou a Listra em sua segunda viagem missionária, ele escolheu Timóteo para que o acompanha-se (At 16.1-3). Embora Timóteo fosse um adolescente entrando na fase jovem, provavelmente tivesse uns 20 anos, sendo que 15 anos mais tarde Paulo se referiu a ele ainda como um jovem (1Tm 4.12)”. 1

      Além de ter sido um colaborador indizível de Paulo no ministério, tendo acompanhado ele em Bereia (At 17.14), Atenas (At 17.15), Corinto (At 18.5; 2 Cor 1.19) e em Jerusalém (At 20.4). “Esteve com Paulo também em sua primeira prisão em Roma e de lá foi para Filipos depois da libertação dele (Fp 2.19-23)”.2

      Logo após ser libertado da prisão (At 28.30), Paulo retornou novamente as várias cidades pelas quais ele havia passado pregando o evangelho e edificando igrejas junto com os seus cooperadores, incluindo a cidade de Éfeso, onde Paulo designou Timóteo a servir ali como pastor da igreja, para tratar de problemas que haviam surgido tais como:

 Falsa doutrina (1Tm 1.3-7; 4.1-3; 6.3-5), desordem na adoração (2.1-15), a necessidade de líderes qualificados (3.1-14) e o materialismo desenfreado por parte de alguns (6.6-19), daí Paulo segui para a macedônia, de onde escreveu a primeira carta a Timóteo, com o intuito de ajudá-lo a cumprir diligentemente a sua tarefa na igreja de Éfeso.

      Entretanto, na segunda carta de Paulo a Timóteo, a sua última carta escrita em 67 d.c. pouco antes de ser martirizado, vemos o apóstolo preso novamente em uma prisão romana (2 Tm 1.16; 2.9). Ao que tudo indica, a prisão foi por causa da perseguição do imperador Nero aos Cristãos.

      “Nesta carta, ciente de que o seu fim estava próximo, Paulo exorta e encoraja a Timóteo a permanecer fiel em seus deveres (1.6), manter-se apegado a sã doutrina (1.13-14), evitar o erro (2.15-18), aceitar a perseguição pela causa do evangelho (2.3-4; 3.10-12), depositar a sua confiança na escritura e pregá-la de maneira crível”.3

NOTAS:

1- Bíblia de estudo Macarthur, introdução a 1 e 2 Timóteo.
2- Ibid.
3- Ibid.


ESPLANAÇÃO


       Senão vejamos no texto alume os padrões que Paulo descreve acerca do homem de Deus e como ele deve nortear a sua vida cristã.

1- EXORTAÇÃO A FIRMEZA NA FÉ (vs.1-2).

a) Um chamado carinhoso (vs.1a).

ANALÍSE DO TEXTO

       Paulo começa este capítulo de uma série de conselhos práticos ao jovem pastor e mestre Timóteo chamando-o de filho meu, que no grego “faz referência a um aluno ou discípulo”.4 Conforme foi mencionado anteriormente a guisa de introdução, Timóteo era um filho espiritual de Paulo na fé. É desse modo carinhoso que o apóstolo o chama aqui e também no (1.2).

b) Um chamado à diligência (vs.1b).

ANALÍSE DO TEXTO

       Timóteo aqui é exortado a fortificar-se na graça de Cristo Jesus. O verbo “fortifica-te, do grego endynamoo, está no presente imperativo passivo, que significa capacitar-se, aumentar em força, ser continuamente fortalecido”.5

       Embora não haja uma indicação precisa no NT do motivo por que Paulo estivesse tão preocupado, a ponto de exortar a Timóteo a perseverança e firmeza. Todavia há evidências na própria carta que parecem indicar que o apóstolo está pedindo a Timóteo que domine e vença a sua aparente tendência a fraqueza espiritual.
      As passagens que fortalecem este argumento estão no (1.6), onde Paulo o exorta a reavivar o seu dom = “trazer de novo a memória; tornar ou retornar com maior intensidade a algo” 6 (voltar a dar importância a algo que, com o passar do tempo, não se dá mais como antes) “ênfase acrescentada por mim”.

       Vemos também no (1.7) Paulo dizendo a Timóteo para substituir o medo pelo poder, pelo amor e pela moderação, a não se envergonhar do próprio apóstolo e do Senhor, mas sofrer voluntariamente pelo o evangelho (1.8), e a manter-se apegado à verdade (1.13-14).

      Há um consenso entre a maioria dos estudiosos e comentaristas da bíblia que apóiam essa hipótese como verdadeira, alguns deles como John Stott e John Macarthur são inclinados a mesma opinião.

      Stott ressalta que: “É co­mo se Paulo lhe dissesse: Não te importes com o que outras pes­soas possam estar pensando, dizendo ou fazendo. Não te importes com a fraqueza e a timidez que talvez estejas sentindo. Quanto a ti, Timóteo, sê forte!”7

         Mediante a proposição exposta, a minha opinião acerca dessa pasagem é que pode ter havido sim, a possibilidade de Timóteo, por ser jovem, tímido e com pouca experência de vida e no ministério, ter passado por inúmeros momentos de fraqueza e desânimo, a ponto de até quase desistir de tudo.

Isso geralmente acontece com muitos obreiros jovens, mesmo capacitados teologicamente. Mas diante de todas estas batalhas ferrenhas, elas são pedagogicas, cada uma delas são degraus que subimos rumo ao topo do aperfeiçoamento ministerial, do crescimento em fé e da maturidade espiritual.

      Noutras palavras, Paulo está dizendo o seguinte: Timóteo, meu amado filho na fé, torne-se forte ou (seja fortalecido) “continuamente, dia após dia ênfase acrescentada por mim” por meio da ou (na) graça que é nossa por estarmos unidos com Cristo Jesus.

APLICAÇÃO

     Todo cristão passa por alguns momentos de fraqueza, desânimo, quedas e pecado na vida. Enquanto não chegamos à maturidade da fé, estamos propensos a todas estas coisas. Mas cabe a nós, através das intempéries, não desistirmos da obra de Deus por causa delas, e sim, aprender com elas e prosseguirmos firmes e constantes até superá-las.

Só iremos vencer e termos uma vida cristã feliz e saudável, em temor e obediência ao Senhor não pelos nossos próprios esforços, mas se “dependermos de toda a fonte de inspiração e força na graça que há em Cristo Jesus (Ef 6.10)”.8

       A melhor tradução do (vs.1b) seria "sê fortalecido na graça", com o verbo no passivo simples (Ellicot, pág 121), conquanto possa estar no imperativo reflexivo: "fortifica-te (interiormente)" como está na ERAB. O mesmo verbo ocor­re na voz passiva em (Ef 6.10) e na ativa em (Fp 4.13 e 2 Tm 4.17).


c) Um chamado ao serviço cristão (vs.2).

ANALÍSE DO TEXTO

      Durante os vários anos em que Timóteo esteve ao lado de Paulo participando do seu ministério em viagens sendo um exímio cooperador do apóstolo, nasceu uma grande amizade entre os dois que só a morte terminaria com ela.

Porém, foi através de Paulo que “Timóteo ouviu a verdade divina que Deus havia revelado por meio do apóstolo”, 9 ou seja, “ele recebeu a sã doutrina”10 “entre ou em meio”11 a muitas pessoas, provavelmente “Silas, Barnabé, Lucas e muitos outros que foram testemunhas e que poderiam atestar a autenticidade divina dos ensinos de Paulo (vs.2a)”.12

      Até então “Timóteo foi exortado a conservar a fé e a guardar o depósito (1.13- 14)”.13

Contudo, ele deveria fazer mais do que isso, Timóteo deveria apossar-se de tudo que  havia aprendido com Paulo e “transmitir (paratithenai); derivado da mesma raiz que depósito (paratheke)”14, ou seja, passar o seu depósito de fé adiante, a outros homens que fossem fiéis (vs.2b).

      “A palavra grega para fiel é pistos, e tem uma rica variedade de significados”. Pistos denota uma pessoa que crê, é leal, é de confiança e da qual se pode depender. Todos estes significados estão inseridos aqui”.15

      Entretanto, além da necessidade destes homens serem fiéis e aptos, de caráter espiritual aprovados (vs.2c), por conseguinte, eles deveriam depois de receberem a verdade de Deus, também anunciarem Cristo a outras pessoas, assim o evangelho se espalharia por todo o mundo e a gerações futuras alcançando a todos os eleitos do Senhor.

APLICAÇÃO

      É dever de todos os cristãos dedicar-se ao serviço da evangelização e os pastores/mestres dedicarem-se ao serviço também da evangelização e do discipulado. A soberania de Deus não anula a responsabilidade que cada um de nós tem para fazer estas coisas. O Senhor Jesus se utiliza destes meios para salvar os seus eleitos e edificá-los na doutrina e na igreja.

      Esta passagem nos constrange a refletirmos sobre como está o nosso serviço cristão em relação ao evangelismo e discipulado.

Podemos melhorar e fazer mais do que já estamos fazendo, e se não estamos fazendo nada ainda, chegou o momento de arregaçarmos a manga e trabalharmos para Cristo com toda a dedicação e temor a Ele (Mc 16.15; Mt 28.19-20a).


2- OS PADRÕES DE UM HOMEM DE DEUS (vs.3-6).

ANALÍSE DO TEXTO

      Paulo agora encoraja Timóteo a fidelidade a Cristo e ao ministério de pastor/mestre, dom que ele havia recebido de Deus através de “um grupo de presbíteros juntamente com Paulo, havia imposto as mãos sobre ele (provavelmente quando foi separado para o ministério)”.16

“Nessa ocasião, o jovem pastor recebeu um dom espiritual, junto com uma palavra profética, sendo ungido para o serviço (1Tm 1-18; 4.14)”.17

         Podemos observar que, além de Paulo admoestar a Timóteo, o apóstolo se usa como exemplo de fidelidade ao Senhor e ao ministério que lhe fora confiado, pois “o sofrimento é parte integrante da tarefa do ministro fiel (2.3,9,10,12)”18 e que Timóteo deveria pautar o mesmo exemplo de Paulo em sua vida e ministério (2.3).

      Como ilustração, Paulo vai usar 3 metáforas: “o soldado (vs.3), o atleta (vs.5) e o lavrador (vs.6), Todas falam de esforço e luta, e devem servir de estímulo e encorajamento para Timóteo”.19 Ambas sintetizam de forma clara e objetiva os padrões que devem tanger a vida de todo cristão.

a) O homem de Deus como um soldado (vs.3-5).

      “A experiência de Paulo como prisioneiro deram a ele ampla oportunidade de observar os soldados romanos e de meditar no paralelo existente entre o soldado e o cristão”.20 Em outras cartas como (2 Cor 6.7; Ef 6.10-20; Rm 6.13-14 e 1Tm 1.18, 4.7; 6. 12) vemos o apóstolo utilizando a metáfora do soldado romano e aplicando o exemplo do seu serviço na vida cristã prática.


      De acordo com o texto, o soldado cristão possui duas virtuosas qualidades de total importância para nós. Senão vejamos em:

 (1) Suporta as dificuldades (vs.3).

ANALÍSE DO TEXTO
      A metáfora do serviço militar não se refere à conquista, mas à prontidão para o serviço irrestrito. Certamente existe um sofrer corajoso de luta ativa”.21 O bom soldado de Cristo é  um homem que sabe que a vida cristã não é ainda o paraíso na terra, onde estaremos insentos das diversas tribulações e sofrimentos que nos assolam.

      A vida cristã é um campo de batalhas árduas, onde todos os dias precisamos estar em guarda (Mt 26.41); e lutar veementes para que a nossa perseverança, santidade, trabalho, dedicação, temor e fé não sejam abalados pelo exercíto inimigo de satanás, e assim, perdermos a guerra, (não a salvação), e viver uma vida inteira prostrada em fracasso.

APLICAÇÃO

      Não devemos esperar ter uma vida fácil. Ainda mais se formos fieis ao evan­gelho, certamente vamos experimentar dias difíceis, oposição e dificuldades (Jo 6.33; 2Tm 3.12). William Barclay salienta que: “A virtude suprema de um soldado é ser fiel até a morte. O cristão também deve ser fiel a Jesus Cristo, através de todas as oportunidades e mudanças da vida, até mesmo às portas da morte”.23

(2) Evita envolvimentos frívolos (vs.4).

ANALÍSE DO TEXTO

      Warren Wiersbe corrobora que: “o soldado cristão é totalmente comprometido com o seu comandante, aquele que o alistou para a guerra, em nosso caso Jesus Cristo”22, o nosso general. Todavia, não somente o pastor, mas também todos os que trabalham em prol do reino de Deus e cristãos em geral, devem evitar-se “embaraçar”(ARC, SBB), “se prender” (NBV) “em negócios da vida civil” (NVI, NTLH).

      O que Paulo está frisando é que, aquele que foi chamado por Deus em tempo integral para exercer o santo ministério, deve-se desligar de toda e qualquer distração secular que pode vir a comprometer e desviar o seu foco da esfera do serviço cristão, do ministério da palavra e da comunhão com o Senhor através das orações (At 6.1-4).

      No entanto, este conselho não se aplica a todos os cristãos a ponto de evadir-se de suas obrigações civis tais como largar o trabalho, parar de dedicar-se a esposa, filhos e ao lar.

Paulo não está dizendo que os negócios desta vida como trabalhar, namorar, casar e dedicar-se ao lar sejam em si pecado, mas o que é pecado é o cristão e, principalmente o pastor, no qual este conselho se aplica, não dedicar toda a sua atenção e esforço ao seu ministerio e a Cristo, dividindo-o assim com os negócios desta vida.

APLICAÇÃO

      O serviço cristão exige que o indivíduo cumpra o propósito de seu alistamento obedecendo unicamente e de todo coração ao seu general. “A lealdade e a devoção precisam ser dirigidas de forma preeminente somente a pessoa de Cristo.” 24 “Nosso objetivo é agradar ao Senhor, e não a nós mesmos (vs.4b)”. 25

b) O homem de Deus como um atleta (vs.5).

ANALÍSE DO TEXTO
       
       A vida cristã delineada pela figura do atletismo aqui e também em (Fp 2.12-16) nos ensina muitas coisas. “O verbo grego athleo expressa o esforço e a determinação necessária para se competir com êxito em uma competição esportiva”.26 Paulo tinha em mente aqui um atleta competindo nos jogos olímpicos da Grécia no mundo antigo.

       Ao preparar-se para as competições, os atletas “deveriam observar as regras para a competição e as vezes também para o treino preparatório”.27 “Cada prova tinha o seu prêmio, e os prêmios conferi­dos aos jogos gregos não eram medalhas de ouro ou troféus de prata, e sim coroas de ouro.

Contudo, nenhum atleta era coroa­do como vencedor se não tivesse competido de acordo com as regras, mesmo que o seu desempenho tivesse sido brilhante e ele até ganhasse, não receberia a coroa. Fora do regulamen­to não havia prêmio”.28

APLICAÇÃO

       “Se um homem que executa um serviço no reino de Deus e não observa as normas não receberá a coroa da justiça e de glória (William Hendriksen).”29 Todo o empenho e a disciplina de uma atlteta serão desperdiçados se ele não competir segundo as regras do jogo”.30

       Assim é na vida cristã, se um cristão não obedece a palavra de Deus e vive uma vida desregrada, ele não vai perder a salvação, se realmente for mesmo cristão, mesmo sendo carnal (1Cor 3.1-4,13-14), mas na corrida, ele não chegará vitorioso, mas exausto e nas ultímas posições.  

       A vida cristã é uma corrida, e a base para nós conseguirmos chegar até o final vitoriosos nas primeiras posições é a odediência a palavra de Deus (Dt 7.11; Js 22.5; 1Ts 4.4-5, 1Pe 1.15-16).

c)  O homem de Deus como um agricultor (vs.6).
      
ANALÍSE DO TEXTO   

      A expressão trabalhar arduamente ou pesado (NVI,NBV,NTLH), Kopiao descreve o lavrador que trabalha até o ponto de exaustão. “os antigos lavradores trabalhavam arduamente por longas horas sob todos os tipos de condição climática, com a esperança que o seu esforço fisíco fosse recompensado com uma boa e abundante colheita”.31

APLICAÇÃO

      O que Paulo está querendo dizer é que não devemos prestar o nosso serviço a Deus  de forma negligente, cumprindo assim nossas tarefas de qualquer maneira. O pastor seguindo o exemplo do agricultor, deve se afadigar no estudo da palavra de Deus, gastar tempo na preparação do sermão e nunca pregar, ensinar ou cuidar do seu rebanho tibiamente.

      Todo o trabalho para o Senhor Jesus nunca será inútil (1Cor 15.58) e tudo que semearmos numa vida espiritual disciplinada e com esforço iremos colher (Gl 6.7).

Enquanto estivermos nessa terra, santidade, que é o fruto ou a colheita do Espírito e almas convertidas e edificadas no Senhor, resultado ou colheita do nosso trabalho árduo na obra de Deus e, na glória, descanso, paz e felicidade eterna ao lado de Cristo Jesus para sempre.  


CONCLUSÃO
            

     “Essas três ilustrações reforçam diferentes aspectos do desafio a uma total devoção ao ministério do Evangelho”.32 Nestas três imagens há uma coisa em comum. O soldado vê-se sustentado pela crença na vitória final.

O atleta pela visão da coroa. O lavrador pela esperança da colheita. Cada um deles submete-se à disciplina e ao trabalho pela glória que obterão.

      O mesmo acontece com o cristão. A luta cristã não é uma luta sem fim; não é um esforço sem meta e recompensa. O cristão pode estar seguro de que depois do esforço da vida cristã, vem a alegria do céu; e quanto mais se luta maior será a alegria”.33 Estas foram as palavras de Paulo a Timóteo e são as palavras de Paulo aos cristãos e a igreja hodierna.






NOTAS:

4- Dicionário grego do Novo Testamento James  Strong, pág 2190.
5- Chave lingüística do Novo Testamento grego Fritz Rienecker e Cleon Rogeres, pág 260.
6- Dicionário Priberam da língua portuguesa.
7- John R. W. Stott, 2 Timóteo, pág 21.
8- Comentário bíblico NVI, pág 2067.
9- Bíblia de estudo Macarthur, notas de rodapé.
10- Comentário bíblico Africano, pág 1516.
11- William Hendriksen, 1, 2 Timóteo e Tito, pág 303.
12- Bíblia de estudo Macarthur, notas de rodapé.
13- John R. W. Stott, 2 Timóteo, pág 22.
14- Novo comentário da bíblia. 2 Timóteo, pág 13.
15-William Barclay. 2 Timóteo, pág 41.
16- Bíblia de estudo Genebra, notas de rodapé.
17- Ibid.
18- John Macarthur. Com vergonha do evangelho, pág 38.
19- Hans Burki. Comentário esperança de 2 Timóteo, pág 33.
20- John R. W. Stott, 2 Timóteo, pág 23.
21- Hans Burki. Comentário esperança de 2 Timóteo, pág 33.
22- Warren Wiersbe. Comentário bíblico expositivo, pág 318.
23- William Barclay. 2 Timóteo, pág 44.
24- Comentário bíblico NVI, pág 2067.
25- Warren Wiersbe. Comentário bíblico expositivo, pág 318.
26- Bíblia de estudo Macarthur, notas de rodapé.
27- John R. W. Stott, 2 Timóteo, pág 24.
28- Ibid.
29- William Hendriksen, 1, 2 Timóteo e Tito, pág 306.
30- Bíblia de estudo Macarthur, notas de rodapé.
31- Ibid.
32- Comentário da bíblia F. Davidson, pág 2244.
33- William Barclay. 2 Timóteo, pág 46-47.




VERSÕES BÍBLICAS UTILIZADAS:

Almeida revista e atualizada
Almeida revista e corrigida 4ª edição
Almeida revista corrigida fiel
Sociedade bíblica britânica
Versão católica
NTLH
NVI
Nova bíblia viva
Novo Testamento vivo
Novo testamento grego interlinear
        






0 comentários :

Postar um comentário

OBSERVAÇÃO:
NEM TODAS AS POSTAGENS TRADUZEM, NECESSARIAMENTE, A OPINIÃO DO SITE MATÉRIAS DE TEOLOGIA

Soli Deo Gloria