CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

CTO - CURSO GRATUITO DE TEOLOGIA ONLINE

FUNDO

Acautelai-vos dos fermentos dos fariseus - R.C.SPROUL


Acautelai-vos dos fermentos dos fariseus, que é a hipocrisia.” (Lc 12.1)



“Acautelai”. Este é um aviso agourento. É o aviso que César ouviu e que fez seus ossos tremerem: “César! Acautelai-vos com os Idos de Março!” Foi o aviso que o marinheiro Ismael ouviu do profeta antes de se alistar na tripulação do “Pequod” para unir-se ao capitão Acabe em sua busca por Moby Dick.


O simples sinal de “Cuidado com o cachorro!” é suficiente para fazer o ladrão parar. A palavra cuidado estabelece um aviso que nos faz parar em nossa trajetória, uma advertência que evoca visões de uma ameaça que pode nos destruir rapidamente ou no ferir.


Foi esta a palavra que Jesus usou para despertar seus seguidores para a vigilância contra um perigo mortal. “Acautelai-vos dos fermentos dos fariseus” (Lc 12.1). Jesus erigiu placa sinalizadora para igreja, um chamado divino para levar em consideração a ameaça de um veneno que pode ser engolido pelo confiante. Ele avisou sobre lobos em trajes de cordeiros, sobre assassinos ávidos que se disfarçam debaixo da capa de uma espiritualidade amável.
 

O perigo é aquele que mata em pequenas doses. É injetado em qualidades também inofensivas, mas é potente em seu impacto total. “Um pouco de levedo fermenta a massa toda”, ele disse (1 Co 5.6).


As palavras de Jesus são avisos contra permitir um elemento infeccioso que pode arruinar toda a vida cristã. É algo que surge de um pequeno começo. O aviso está ligado a outra advertência assustadora. Jesus disse: “Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder em muito a dos escribas e fariseus, jamais entrareis no reino dos céus” ( Mt 5.20).
 

Se falharmos em prestar atenção a um sinal “Cuidado com o cachorro”, podemos ser mordidos na perna e ter nossas roupas rasgadas. Mas este aviso de Jesus envolve muito mais que uma perda de algum sangue ou pedaços de nossas roupas. Significa a perda do reino de Deus.


O que é este fermento terrível dos fariseus? Em uma palavra, é o fermento da hipocrisia (Lc 12.1, Mt 16.11). É o fermento de um falso tipo de justiça. É o fermento do engano, uma máscara de justiça que é um substituto para algo real.
“Se a justiça exceder...” A palavra “se” introduz uma condição necessária para algo mais que segue. Aqui Jesus avisa que nossa justiça absolutamente deve superar a justiça dos escribas e dos fariseus ou então perdermos o reino.


Este aviso é um dos mais negligenciados de todos os que Jesus já pronunciou. É ligeiramente rejeitado pelo cristão moderno que não vê uma ameaça real nist5o. Afinal de contas, com o que devemos nos preocupar? Vemos os fariseus como o grupo traiçoeiro, corrupto, de homens sem principio que realmente conspiraram para o assassinato de Cristo. O que poderia ser mais diabólico que isto? Certamente é algo muito fácil para qualquer um que ama a Cristo superar os inimigos mais hostis de Jesus em justiça. Os fariseus têm se tornado o símbolo da corrupção para nós. À  primeira vista poderia parecer que aé o cristão mais fraco não deva ter problemas em exceder os fariseus em justiça.


Podemos oferecer uma resposta fácil para o aviso de Jesus. Podemos perguntar: “Como o que devemos nos preocupar?” Como cristãos somos justificados pela fé. Pela fé recebemos a justificação do próprio Cristo. Certamente a justiça de Cristo supera a justiça dos fariseus. “Se tivermos a justiça de Cristo, com que precisamos nos preocupar?”


A resposta fácil não é nada! Confirmando, se verdadeiramente temos fé em Cristo possuímos sua justiça. Somos declarados justificados por Deus. O reino é nosso. Nada pode ser mais certo que o fato que todos aqueles que possuem a justiça de Cristo certamente irão herdar o reino de Deus. 


Nada mais é exigido que a justiça de Cristo. Nenhuma justiça pode exceder a justiça com a qual o cristão e protegido pela fé. Neste sentido o escritor do hino estava certo: “Ele é tudo que eu preciso.”


Esta é a resposta mais fácil. Contudo, a pergunta mais profunda ainda permanece. Como eu sei se tenho a justiça salvadora de Cristo? Não posso estar me iludindo, pensado que possuo a coisa rela quando na verdade minha é fraudulenta?


Apenas porque uma pessoa afirma crer em Cristo não garante que tenha uma fé que salva. É por meio de nossos frutos que demonstramos a realidade da nossa fé. Sabemos que Deus se agrada com aqueles que verdadeiramente honram a Cristo. Temos certeza de que ele não se agrada quando os homens alegremente usam o nome mas evitam qualquer compromisso com ele que afeta a vida real. 


Esta é a parte assustadora do aviso de Cristo.












Fonte: 
Livro Como Viver e Agradar a Deus, 
Autor R.C. Sproul, 
Ed. Cultura Cristã.

0 comentários :

Postar um comentário

OBSERVAÇÃO:
NEM TODAS AS POSTAGENS TRADUZEM, NECESSARIAMENTE, A OPINIÃO DO SITE MATÉRIAS DE TEOLOGIA

Soli Deo Gloria