COMO PREGAR A PALAVRA DE DEUS COM AUTORIDADE Neste artigo vou falar sobre autoridade na pregação da Palavra de Deus . Se você já prega ...

COMO PREGAR A PALAVRA DE DEUS COM AUTORIDADE

Neste artigo vou falar sobre autoridade na pregação da Palavra de Deus.
Se você já prega; se deseja pregar algum dia ou se apenas gostaria de saber se as mensagens que você anda ouvindo na internet ou na igreja são verdadeiramente bíblicas este artigo é imprescindível.

Neste post vou abordar 4 pontos acerca da autoridade na pregação:

  • Nos 3 primeiros, falo da importância da autoridade

1. O que realmente significa autoridade segundo a Bíblia?

2. Porque precisamos de autoridade para pregar a Palavra?
3. Os Profetas, Jesus e os Apóstolos pregavam com autoridade?

  • No último, falo sobre aspectos totalmente práticos

4. Como você também poderá pregar a Escritura com autoridade?


Fico muito feliz por você estar lendo este artigo, isso significa que você está em busca de crescimento.
Vivemos em uma geração que não dá mais valor para a leitura. Mas você, assim como eu, gosta de obter conhecimento, não é mesmo?
Por isso além deste post bastante completo sobre Como Pregar a Palavra de Deus com Autoridade, quero deixar para você também um link para baixar gratuitamente 375 Livros Digitais Cristãos, espero que goste ;)


Então vamos lá? 
Sem mais delongas, já vamos direto ao primeiro dos quatro pontos que listei acima. 

pregando com autoridade

1. ENTENDENDO O SENTIDO DA PALAVRA "AUTORIDADE"

 Eu praticamente cresci dentro da igreja. Eu pertencia há uma denominação pentecostal no bairro onde nasci e me lembro claramente de alguns irmãos que exclamavam uns para os outros:

"Como fulano prega com autoridade! Você viu?
Viu como ele bradou? Olhou sério para igreja...
apontou o dedo... fechou a sobrancelha e falou tudo o que Deus mandou...
e no final disse que Deus ia usar ele para revelar os pecados ocultos"

Bem... a palavra autoridade não tem a ver necessariamente com gritar, bradar, esbravejar, franzir a testa, fazer cara feia, muito menos ameaçar as pessoas com o olhar ou sair marchando na igreja enquanto se prega.

A Bíblia apresenta em vários textos este termo, veja alguns exemplos:


Gênesis 41:41
Disse mais Faraó a José: Vês que te faço autoridade sobre toda a terra do Egito.

Eclesiastes 8:4
Porque a palavra do rei tem autoridade suprema; e quem lhe dirá: Que fazes?

Mateus 9:8
Vendo isto, as multidões, possuídas de temor, glorificaram a Deus, que dera tal autoridade aos homens

Mateus 21:23
E, chegando ao templo, acercaram-se dele, estando já ensinando, os príncipes dos sacerdotes e os anciãos do povo, dizendo: Com que autoridade fazes isto? e quem te deu tal autoridade?


A palavra traduzida como "autoridade",  ou como "poder" no Novo Testamento tem o sentido de força, capacidade, domínio; não sendo diferente no Antigo Testamento.

Veja os texto acima que citei acima:

Gênesis 41:41 - Faraó fez José autoridade sobre a terra do Egito, ou seja, atribui poder a José no Egito.

Eclesiastes 8:4 fala do Rei como tendo "autoridade suprema". O poder dos reis simbolizam o poder de Deus, que é o Único que realmente tem máxima autoridade sobre tudo e sobre todos.

Mateus 9:8 - As multidões entendem que Deus dá autoridade aos homens.

Mateus 21:23 - Os sacerdotes e anciãos questionam a autoridade de Jesus, ou seja, querem saber quem conferiu a ele o poder ou o direito para fazer tudo o que ele fazia.

Portanto, fica claro que biblicamente, autoridade é era algo como um direito, um poder, conquistado ou atribuído a alguém.

2. PORQUE PRECISAMOS DE AUTORIDADE PARA PREGAR A PALAVRA DE DEUS?

pregando com uncao

Agora que você sabe o que realmente significa autoridade na bíblia e até de forma geral, então pense comigo...

O Presidente da República é alguém comum, mas por ocasião de sua vitória nas eleições, é concedido a esta pessoa - até então comum - poder para governar.

Ninguém nasce juiz, mas um cidadão normal decide estudar. Faz faculdade de direito. Se sacrifica muito, dedica todo o seu tempo livre a atividades intelectuais. Presta concurso público e depois de conseguir a aprovação, recebe poder para julgar.

Imagine se alguém se auto proclama juiz; se alguém se declara o novo Presidente da República por sua própria conta e risco.
Esta pessoa não teria autenticidade para exercer a função.
Não seria respeitada pelas outras pessoas.
Certamente, seria visto como um doido. Suas palavras não seriam ouvidas. Suas ordens seriam desprezadas, sua liderança não seria eficaz e por fim cairia no absoluto descrédito.

Isso está diretamente ligado à forma como pregar a Palavra, pois não é possível proclamar o Evangelho sem autoridade, sem o poder concedido por Deus para fazê-lo. Quando isso acontece, o que vemos é a ação do próprio Satanás, o qual se vale dessas pessoas para fazer cumprir o seu grande propósito: enganar, distorcer a Escritura e fazer a mentira se parecer com a verdade.
Pregar sem autoridade é como você falar em nome de alguém que nunca te autorizou a fazê-lo.
 
Pregar a Palavra de Deus sem autoridade só pode conduzir a um destes três caminhos:

1. Uma Fraude Descoberta
O indivíduo é considerado como alguém insano, louco, caindo no descrédito da igreja.
Em muitos casos são tão excêntricos, distorcem tão grosseiramente a verdade que logo sua desqualificação para o ministério é percebida.
Quem não se lembra de um homem que há algum tempo no Brasil se declarou o próprio Cristo, dizendo que Jesus teria se encarnado nele.

2. Uma Mentira Bem Contada
Ter uma falsa autoridade com a qual se engana as pessoas é a característica de todo falso profeta.
Todos eles dizem falar em nome de Deus. É óbvio que ninguém se declara um enganador.
E as pessoas são ludibriadas porque estão sempre olhando para o tamanho de suas igrejas, seu número de seguidores no Instagram, suas "operações de curas e milagres", sua oratória cativante e seu enorme carisma, através do qual arrastam multidões.
Lembremo-nos sempre: não se reconhece homens de Deus pelo carisma e sim pelo caráter.

3. Uma mensagem estéril
Como pregar a Bíblia é uma atividade que envolve a capacidade de se comunicar bem, qualquer pessoa que tenha uma boa oratória, como por exemplo, um advogado, um professor, um apresentador, um locutor,etc... mesmo não sendo convertido, pode se passar por um autêntico pregador do Bíblia, mas não produzirá frutos verdadeiros e permanentes.
Sua pregação será estéril. Por melhor que seja sua retórica, por mais engraçado que seja, por mais que emocione os ouvintes, jamais trará alimento as ovelhas, mas apenas entretenimento aos bodes.

3. OS PROFETAS, JESUS E OS APÓSTOLOS PREGAVAM COM AUTORIDADE?
doutrina dos apostolos

  • Os profetas pregavam a Palavra de Deus com autoridade:

Quando lemos o Antigo Testamento, vemos a figura marcante dos profetas.
Muitos deles eram ousados, falavam e faziam coisas que ninguém mais teria coragem de fazer.

Mas o que não poucos leitores da bíblia ainda não perceberam quando observam estas passagens é que eles não agiam assim porque eram cheios de si, cheios de vontade própria, não!
Os profetas tinham autoridade, ou seja, faziam em nome e por ordem de Deus e não segundo lhes dava na ideia.

Os profetas eram os pregadores do Antigo Testamento.
Deus os chamou, os capacitou e os autorizou a transmitir a sua mensagem. Profetizar, no Antigo Testamento, era como pregar, no Novo Testamento. Aliás profetizar no Novo Testamento também tem este sentido: pregar.

Eles não tinham autoridade para fazer absolutamente tudo o que quisessem, sua autoridade significava que haviam sido chamados por Deus para transmitir com fidelidade a sua Palavra, fazer conhecida a sua vontade.



  • Jesus pregava a Palavra de Deus com autoridade

Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas,nestes últimos dias a nós nos falou pelo Filho... 
(Hebreus 1:1,2)
 
Quanto ao nosso redentor, então, o que dizer sobre a sua singular autoridade ao pregar a Palavra de Deus?

Ele não apenas estava capacitado para exercer o ministério - o que implica em autoridade.
Ele não apenas estava autorizado a transmitir a mensagem de Deus - o que implica em autoridade.
Mas Ele mesmo é a mensagem: sim! Jesus é tanto o mensageiro (pregador) como Ele é a própria mensagem a ser pregada (a Palavra).

Jesus é o conteúdo da mensagem de todo pregador eficaz.

De acordo com o Evangelho de João, Jesus é o verbo, ou seja, Ele é a própria Palavra de Deus (João 1:1)

Talvez você pense: "Mas não é a bíblia  a Palavra de Deus"?

Sim! A bíblia é a Palavra Escrita de Deus, Jesus é a Palavra Viva!

Pregar a Bíblia com autoridade é pregar a Jesus. É isto que os profetas faziam.

E se você está se questionando: "mas Jesus ainda não havia se manifestado em carne no Antigo Testamento"

Pois é, embora Jesus vá se manifesta em forma humana apenas no Novo Testamento, no Antigo Testamento já havia a esperança de um Messias vindouro. O profeta Isaías por exemplo - em função de suas muitas profecias com relação a Cristo - é considerado o profeta messiânico.



  • Os Apóstolos pregavam a palavra de Deus com autoridade:

Sabe porque os Apóstolos tinham autoridade em sua pregação?
Porque além de serem separados pelo próprio Cristo para representá-lo e propagar o seu Evangelho, eles não apenas pregavam, mas pregavam com fidelidade, sem distorcer a mensagem. Por isso tinha autoridade: pela forma "como" pregavam a Palavra de Deus ( pregavam fielmente) e pelo "o que" pregavam.

O que pregavam?
Pregavam a Cristo!
Proclamavam a plenos pulmões que Ele é o Cristo de Deus. O Messias do qual os profetas falaram desde os tempos antigos.
Esta é a forma como se prega a palavra de Deus com autoridade.

Veja o sermão de Pedro no Pentecostes.
Abaixo você terá acesso ao esboço expositivo completo da pregação do Pastor Pedro (risos)

Atos 2:14-36
14. Então Pedro, pondo-se em pé com os onze, levantou a voz e disse-lhes: Varões judeus e todos os que habitais em Jerusalém, seja-vos isto notório, e escutai as minhas palavras.
15. Pois estes homens não estão embriagados, como vós pensais, visto que é apenas a terceira hora do dia.
16. Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel:
17. E acontecerá nos últimos dias, diz o Senhor, que derramarei do meu Espírito sobre toda a carne; e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos mancebos terão visões, os vossos anciãos terão sonhos;
18. e sobre os meus servos e sobre as minhas servas derramarei do meu Espírito naqueles dias, e eles profetizarão.
19. E mostrarei prodígios em cima no céu; e sinais embaixo na terra, sangue, fogo e vapor de fumaça.
20. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e glorioso dia do Senhor.
21. E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.
22. Varões israelitas, escutai estas palavras: A Jesus, o nazareno, varão aprovado por Deus entre vós com milagres, prodígios e sinais, que Deus por ele fez no meio de vós, como vós mesmos bem sabeis;
23. a este, que foi entregue pelo determinado conselho e presciência de Deus, vós matastes, crucificando-o pelas mãos de iníquos;
24. ao qual Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte, pois não era possível que fosse retido por ela.
25. Porque dele fala Davi: Sempre via diante de mim o Senhor, porque está à minha direita, para que eu não seja abalado;
26. por isso se alegrou o meu coração, e a minha língua exultou; e além disso a minha carne há de repousar em esperança;
27. pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja a corrupção;
28.fizeste-me conhecer os caminhos da vida; encher-me-ás de alegria na tua presença.
29. Irmãos, seja-me permitido dizer-vos livremente acerca do patriarca Davi, que ele morreu e foi sepultado, e entre nós está até hoje a sua sepultura.
30. Sendo, pois, ele profeta, e sabendo que Deus lhe havia prometido com juramento que faria sentar sobre o seu trono um dos seus descendentes,
31. prevendo isto, Davi falou da ressurreição de Cristo, que a sua alma não foi deixada no inferno, nem a sua carne viu a corrupção.
32. Ora, a este Jesus, Deus ressuscitou, do que todos nós somos testemunhas.
33. De sorte que, exaltado pela destra de Deus, e tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vós agora vedes e ouvis.
34. Porque Davi não subiu aos céus, mas ele próprio declara: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita,
35. até que eu ponha os teus inimigos por escabelo de teus pés.
36. Saiba pois com certeza toda a casa de Israel que a esse mesmo Jesus, a quem vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo.


4. COMO VOCÊ TAMBÉM PODERÁ PREGAR A PALAVRA DE DEUS COM AUTORIDADE?
homiletica

Separei este tópico para falar apenas de aspectos práticos que irão te ajudar bastante a aplicar tudo o que falei até aqui.
Também quero te apresentar 2 coisas que vão te ajudar bastante
A primeira são alguns esboços de mensagens expositivas que selecionei aqui no Site Matérias de Teologia para você.
A segunda é um vídeo que gravei de aproximadamente 10 minutos sobre como pregar a Palavra de Deus:





Existe uma  espécie de "autoridade suprema".
Somente Deus a tem. Ele possui toda autoridade.
Deus não precisa de receber autoridade de alguém, ele a tem por si só, por causa do que ele é: Ele é Deus.

Existem algo que poderíamos chamar de "autoridade concedida".
E de certa forma toda autoridade genuína é concedida por Deus.
O poder dos grandes reis, presidentes, governadores, etc. todos são estabelecidos por Deus (Rm 13:1)

Aos crentes também Deus concede, autoridade, veja:

R.C.Sproul afirma:
Àqueles que receberam a Cristo, Deus 'deu-lhes o poder [a autoridade, o privilégio] de serem feitos filhos de Deus (João 1:12). Somente então é que Deus chama os homens de 'filhos'. A palavra grega 'exousia' traduzida por 'direito de tornarem-se' denota a liberdade de agir e a autoridade por essa ação.

Livro Discípulos Hoje - Ed. Cultura Cristã - p. 95

Esse comentário do grande teólogo, citado acima, Doutor Robert Sproul, nos permite observar algo muito importante.
É o primeiro ponto que eu desejo listar aqui para responder a questão: como pregar a Palavra de Deus com autoridade?


1. Seja Crente, isto é, para pregar o Evangelho e ter autoridade é indispensável que o pregador seja convertido, regenerado, nascido de novo, filho de Deus, nascido do alto, nascido do Espírito (João 3).

Todo crente tem esta autoridade.
Recebemos o poder, a autoridade, o privilégio de sermos feitos filhos de Deus.
Só os salvos são filhos de Deus. Quem nunca experimentou o poder do Evangelho de ser feito uma nova criatura, não está autorizado por Deus a pregar o Evangelho. Não se pode falar de algo que não se experimentou.

Muitos se encantam quando veem artistas ímpios cantarem louvores evangélicos, falarem de Jesus...
Mas não adianta ser simpático a Jesus, se emocionar com louvores gospel, gostar dos evangélicos e viver uma vida que Deus reprova.

Jesus não chamou ninguém apenas para pregar, mas sem o compromisso de viver de forma semelhante a Ele.   

Em se tratando de pregar o Evangelho, não serve a famosa frase:
"faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço".

O pregador precisa ser íntegro. Necessita viver o que prega e pregar o que vive.
Necessita saber que a pregação mais eloquente que podemos fazer não é em cima do púlpito, mas é com o testemunho da vida.
Nosso testemunho fala mais alto do que nossas Palavras.
As pessoas não leem a bíblia, elas leem a nossa vida e por isso nosso viver precisa ser irrepreensível.


2. Seja reconhecido pela igreja como fiel pregador da palavra de Deus

Já vi muitos pregadores distribuírem seus cartões de visita cheios de pompa:

"poderoso pregador avivalista eloquente e conferencista internacional dos quatro continentes da terra.. fulano de tal"

Como pregar a Palavra de Deus para estes indivíduos é apenas uma forma de autopromoção, frequentemente estão negociando agendas, implorando oportunidades para se mostrar, gabando-se, falando bem de si mesmo. Tentando marcar viagens para o exterior, mas raramente são vistos na sua própria congregação. As vezes nem mesmo são conhecidos lá.

Isso não significa que você não possa pregar fora, mas comece pregando para a sua igreja.
Pregar na própria igreja sempre é um desafio maior, por 3 motivos:

Primeiro, porque as pessoas te conhecem:
não dá para passar uma impressão diferente daquilo que realmente você é. Não dá para parecer mais espiritual, mais santo, mais ungido;

Segundo, porque você conhece as pessoas:
sabe das suas falhas e não deve usar o púlpito para mandar indiretas, mas para pregar o Evangelho. Se você prega o Evangelho puro e simples, neste caso, se alguém se ofender não se ofendeu contigo, mas com a própria Bíblia.

Terceiro, porque você já pregou a sua melhor mensagem:
quando você prega fora pode usar a sua melhor mensagem, aquela mais elaborada, aquela que mais flui... mas na própria congregação, você precisa estar sempre se renovando, estudando muito para não se tornar repetitivo e trazer novas aplicações, ilustrações, abordagens e temas.

Pregue para 5 pessoas, se for o caso. Não se preocupe em se aparecer.

Prepare sempre o melhor conteúdo com o intuito de instruir, exortar e confortar os seus irmãos. Ame-os de todo o coração

Pregar para os irmãos de sua igreja deve ser visto como pregar a Palavra de Deus para as pessoas mais importantes de todo o mundo, pois foram elas que Deus colocou diante de você para ouvir o Evangelho naquele momento.

Leve-os a se encantarem com o Evangelho, a aumentarem o seu amor por Cristo, a se apaixonarem pela Escritura. Mas para isso, você mesmo precisa ser fascinado pela Palavra de Deus. Amá-la mais do que tudo nessa vida.

Paulo, Pedro, Apólo e todos os demais pregadores do primeiro século eram reconhecidos pela igreja primitiva com fiéis pregadores do Evangelho. Homens que conheciam perfeitamente a Escritura Sagrada e por isso estavam prontos para instruir a igreja de Cristo.

Se você realmente foi chamado por Deus para o ministério da pregação e fizer isso que disse acima, a igreja vai reconhecer você como um verdadeiro pregador do Evangelho
Como pregar a Palavra de Deus sem este reconhecimento?
Não há como!! Essa é uma das principais evidências que você foi chamado para pregar o Evangelho. Sem isso é impossível pregar a Palavra com autoridade.


3. Tenha uma vida ativa de oração

Não é raro vermos profissionais do púlpito. Pessoas com um ótima retórica, uma oratória extremamente convincente - a oratória, a retórica, a eloquência tem considerável importância, mas não é tudo que você precisa para pregar a palavra de Deus com autoridade

Os profissionais do púlpito, os animadores de auditório, os promotores de auto-ajuda amam falar no microfone, mas não se dedicam a oração. Podem saber orar em público como verdadeiros gigantes, mas no secreto são como anões na oração. Não se desenvolveram. São franzinos na fé.
Na pregação falamos "de" Deus, mas na oração falamos "com" Deus.

Quem não se  coloca de joelhos diante de Deus, não está pronto para se colocar de pé diante dos homens.

A oração nos fará fervorosos.

Quer saber como pregar a Palavra de Deus com unção? Ore!
Seu sonho é pregar a Palavra com sabedoria, ousadia, e graça? Então, ore, ore e ore mais!

O fervor, o poder, a graça e a unção de Deus não se encontram na altura nem no timbre de voz grave do pregador, mas são derramados sobre a sua vida, à medida que ele se aprofunda na prática diária da oração.

Como a pregação da Escritura é um ministério que é sustentado pela oração, quando o pregador não ora, seu sermão torna-se glacial.

Pregadores frios não são aqueles que pregam devagar, falam baixo, e se movimentam pouco no púlpito, não!! 
Pregador frio é aquele que não ama a Deus a ponto de gastar tempo com Ele em oração.
Seus sermões serão frios e não tocarão ninguém, porque nem ele próprio foi tocado pelo que disse.

É muito pertinente a colocação de E. M. Bounds: 
"Homens mortos tiram de si sermões mortos e sermões mortos matam"

Homens mortos tiram de si sermões mortos e sermões mortos matam.A pregação mais penetrante e forte do pregador deveria ser feita a si mesmo.Sua obra mais difícil, delicada, laboriosa e radical deve ser consigo.Os pregadores não são produtores de sermões, mas formadores de homens e santos, e só quem fez de si mesmo um homem e um santo está bem instruído para essa obra.Não é de grandes talentos, de grandes estudos ou de grandes pregadores que Deus necessita, mas de homens grandes em santidade, grandes em fé, grandes em amor, grandes em fidelidade, grandes para Deus:homens que pregam por meio de sermões santos no púlpito e por meio de vidas santas fora do púlpito. Esses podem moldar uma geração para Deus.O sermão real é feito no recinto secreto. O homem — o homem de Deus — é formado no recinto secretoSua vida e suas mais profundas convicções nascem da sua comunhão secreta com DeusSuas mensagens mais ricas e doces são alcançadas quando está a sós com Deus. A oração faz o homem; a oração faz o pregador; a oração faz o pastor.

E. M. Bounds - O poder através da oração, São Paulo, Batista Regular, 1997, p. 5-9.

Veja o que disseram alguns dos maiores pregadores do mundo e entenda como pregar a Bíblia com paixão é essencial

Martyn Lloid-Jones, grande expoente da Teologia Reformada, exímio pregador do Século vinte, disse:


O sermão é lógica em fogo, que deve vir de um homem que está inflamado pelo poder do Espírito Santo.

John Wesley, famoso pregador do Século dezoito, certa feita afirmou:
Ponha fogo no seu sermão ou ponha o seu sermão no fogo.

Jonathan Edwards, conhecido por seu famoso sermão: Pecadores nas Mãos de um Deus Irado, assim se expressou:
O pregador precisa ter luz na mente e fogo no coração.

Tendo falado sobre a importância de se ter fervor (fogo no coração), vamos observar também a necessidade de se ter conhecimento (luz na mente).
Este é o 4º ponto necessário para se Pregar a Palavra de Deus com Autoridade:


4. Não tenha preguiça de estudar:

Sei que pode parecer duro o que digo, mas isso é um fato:

muitos pregadores, pastores, professores de Escola Bíblica Dominical tem um conhecimento bíblico extremamente superficial porque têm preguiça de estudarNada pode ser mais contraditório. 

Todo pastor deve ter um conhecimento profundo da Palavra de Deus.
Todo pregador precisa conhecer solidamente a Escritura.
Todos os que pregam e ensinam a Bíblia necessitam gastar tempo com ela e os livros que sobre ela ensinam.


O chamado para o ensino exige que você se afadigue na Palavra (1 Tm 5:17) .
Estudar a bíblia é um trabalho, às vezes árduo, mas a recompensa dos que o fazem é gloriosa.

É como saber que em algum lugar tem um baú de ouro enterrado. Cavar até encontrá-lo não será fácil, exige esforço, produz cansaço, requer suor. Mas cada minuto debaixo do sol escaldante, valerá a pena depois.

Infelizmente há quem associe o estudo bíblico e teológico como coisa de quem não tem o que fazer. 
Já cheguei a ouvir: "ao invés de ficar estudando, vai evangelizar". Como se estudar a Palavra de Deus fosse menos importante do que pregá-la. Como podemos transmiti-la com fidelidade se não a conhecermos com profundidade?

Todo cristão deve se envolver urgentemente com este incomparável trabalho: estudar a Escritura.

Certo pastor morava em frente à sua igreja e constantemente os irmãos daquela congregação passavam por ali e quando o viam capinando ao redor da sua casa e dizia:

"Oh pastor, o senhor está trabalhando?"
Ele respondia: "não, eu estou descansado."
Alguém o via na varanda de sua casa, sentado na rede, lendo a bíblia e indagava: "Oh pastor, o senhor está descansado?"
Ao que o pastor dizia: "não, eu estou trabalhando."

Para este pastor capinar era uma forma de se exercitar o corpo e descansar a mente; estudar a Palavra de Deus e preparar sermões era um trabalho sério e de grande importância.

Você pode orar 24 horas por dia, mas se não estudar a Palavra de Deus, sua mensagem não terá autoridade.
O púlpito não é brincadeira. As pessoas podem receber vida o saírem mortas em função do que ouvem.

O estudo teológico é necessário para não se pregar heresias, doutrinas de homens.

O maior instrumento de Satanás é um pregador herege no púlpito.
O conhecimento da Palavra de Deus não vai cair do alto.
Não vai vir de madrugada, enquanto se dorme. Nem mesmo se você for ao monte e fizer uma campanha de 1 mês de oração.
Você só poderá ser um obreiro aprovado que maneja bem a Palavra da Verdade se a estudar. (2 Timóteo 2:15)

Aqueles que negligenciam o estudo teológico não só correm o risco de difundir ensinos errados para a igreja, como também não terão autoridade na pregação da Palavra, pois pregar com autoridade requer que se observe as 5 primeiras letras desta palavra: "[autor]idade".

Tanto “autor” quanto “autoridade” se originam do Latim "Auctus"

Além da relação etimológica, ou seja são termos que têm a mesma origem, há uma profunda relação entre: pregar com autoridade e a autoria da bíblia.

Que relação seria esta?

Pregar com autoridade quer dizer pregar conforme o autor.

O autor da Bíblia é Deus e sua mensagem é muito clara nas Escrituras. Quando o pregador escolhe uma passagem para pregar e não busca entender o sentido deste trecho da Escritura...

Quando o pregador ignora o que Deus realmente desejava dizer ali naquele texto...

e começa a emitir a sua própria opinião, cria teorias, dá lugar à imaginação, sua mensagem não tem autoridade.

Quer saber como pregar a Palavra de Deus com o máximo de autoridade possível? Vou te dizer:

Estude profundamente a bíblia e transmita a sua mensagem com toda a fidelidade, sem desviar uma vírgula. Deste modo não tenha dúvida, você estará cheio de autoridade!

Bem... se você quer adquirir mais conhecimento da Palavra de Deus, existe um ótimo Curso de Teologia a Distância que vai te auxiliar muito ↓


 Se você quer aprender o passo a passo de como preparar uma pregação sem complicação, além de saber tudo sobre como se comportar no púlpito, então confira abaixo ↓




CURSO LIVRE: BACHAREL EM TEOLOGIA, TOTALMENTE GRATUITO! Um grande sonho... Olá meus irmãos, paz e graça! Se o seu sonho é ter mais c...

CURSO LIVRE: BACHAREL EM TEOLOGIA, TOTALMENTE GRATUITO!

teologia gratis

Um grande sonho...

Olá meus irmãos, paz e graça!

Se o seu sonho é ter mais conhecimento da Palavra de Deus para aprofundar mais a sua comunhão com Ele; para evangelizar todos os tipos de pessoas; para pregar a Palavra de Deus com poder do Espírito Santo, tendo sabedoria e conhecimento exegético para preparar esboços de sermões cristocêntricos, tenho uma ótima notícia para te dar:

O  Curso Teológico Sagradas Letras oferece o Bacharel em Teologia Grátis na Cidade de Juiz de Fora [confira aqui]

Deus por imensurável graça e providência me permitiu colocar em prática este projeto. Pessoalmente não conheço nenhum outro curso aqui, ou na região, que seja gratuito. Até hoje, todos os lugares onde dei aula de teologia eram pagos. Não que isso seja errado, afinal de contas necessitam, ao menos, arcar com os gatos de aluguel e professores. 

Bacharel em Teologia Livre à distância Olá pessoal! Em função das perguntas que tenho recebido, do tipo: " vale a pena ...


Bacharel em Teologia Livre à distância


curso teologia a distancia

Olá pessoal!

Em função das perguntas que tenho recebido, do tipo: "vale a pena fazer bacharel livre em teologia online?" decidi escrever este artigo para ajudá-los.

Vou falar abaixo com mais detalhes sobre o assunto, mas se você apenas quer uma resposta objetiva, minha opinião é: sim! Vale a pena, mas precisa ser um bom curso. Indico para você o seguinte ↓




Bem... agora vamos aos detalhes, vou listar para você 18 benefícios de se fazer o Curso de Bacharel em Teologia Livre à Distância

Primeiro vou falar sobre 3 benefícios gerais e em seguida sobre 15 benefícios espirituais.


E para quem ler tudo, tenho uma surpresa no final deste artigo ;)

Vamos lá... eu separei aqui para você algumas razões que, sinceramente, espero que te ajudem muito e te motivem a se dedicar a esta tarefa tão nobre. Existem muito mais, são inúmeras, mas separei e vou citar apenas as principais e acredito que serão suficientes para você começar o quanto antes o seu estudo teológico e desfrutar maior comunhão com Deus por meio de sua Palavra.

  • Benefícios Gerais

Estes se devem ao fato do Bacharelado ser EAD, ou seja, Ensino à Distância:

DANDO RAZÃO DA NOSSA FÉ ESBOÇO DE PREGAÇÃO SOBRE FÉ Referência: Romanos 1.20 Por Hernandes Dias Lopes INTRODUÇÃO 1. A que...

DANDO RAZÃO DA NOSSA FÉ

ESBOÇO DE PREGAÇÃO SOBRE FÉ



esboco sobre fe
Referência: Romanos 1.20
Por Hernandes Dias Lopes
INTRODUÇÃO

1. A questão da existência de Deus

a) Os ateístas – Negam que Deus existe;
b) Os materialistas – Acham que a matéria inerte e impessoal é eterna;
c) Os evolucionistas – Tudo surgiu por acaso, portanto não há Deus.
A teoria do Big Bang – Onde uma explosão produziu a ordem. Poderia uma explosão cósmica produzir ordem? Pode o caos produzir o cosmo?
A teoria de Charles Darwin – A evolução das espécies e a sobrevivência do mais forte.
A teoria da evolução é ensinada nas escolas como um fato científico incontroverso – A Bíblia fala de mutação das espécies e não de transmutação (Gn 1.11,12,21,24,28).
d) A teoria da morte de Deus – Nietzche afirmou: “Deus morreu”. Ele criou a tese do super-homem. Isso desembocou no antropocentrismo idolátrico.
e) A teoria do materialismo dialético – Karl Marx diz: “O homem é o seu próprio deus e a idéia de Deus é uma projeção da mente humana”, ou seja, o homem criou Deus em vez de Deus criar o homem.
f) A teoria existencialista – A vida é o aqui e o agora. Não há Deus. Não há eternidade. Não há esperança. A vida está reduzida ao desespero. Jean Paul Sartre, o grande patrono do Existencialismo diz que a vida é uma piada sem graça. Julian Huxley diz: “A ciência reduziu Deus simplesmente a um evanescente sorriso do gato no conto Alice no país das maravilhas.

A DOUTRINA DIVIDE? Por R. C. Sproul   Tradução: Thiago Mancini      Jeremias 6.1-15      E curam superficialmente a ...



A DOUTRINA DIVIDE?

doutrina divide a igreja

Por R. C. Sproul 

Tradução: Thiago Mancini


     Jeremias 6.1-15

     E curam superficialmente a ferida da filha do meu povo, dizendo: Paz, paz; quando não há paz. 
(Jr 6.14)

     Ao longo da História têm aparecido homens que se tornaram famosos por buscar a paz a qualquer preço.

     Talvez o maior exemplo de tal figura no Século XX seja o Primeiro Ministro Britânico Neville Chamberlain que em 1938 proclamou haver alcançado “a paz no seu tempo” com Adolf Hitler, mesmo quando Hitler estava preparado para desencadear sua blitzkrieg¹ na Europa.

A Cremação para os Evangélicos é uma prática permitida? Os Cristãos Devem Cremar Os Seus Entes Queridos?      A minha pr...


A Cremação para os Evangélicos é uma prática permitida?


cremação evangelicos

Os Cristãos Devem Cremar Os Seus Entes Queridos?


     A minha proposta neste artigo é que as Igrejas Cristãs estejam dispostas a ajudarem financeiramente as famílias com um simples enterros e funerais aonde Cristo seja exaltado, para que nenhum cristão seja atraído a cremar os seus entes queridos apenas por que é mais barato.

CURSO DE TEOLOGIA GRÁTIS: ONLINE OU PRESENCIAL COMO ME INSCREVER NO CURSO DE TEOLOGIA GRATUITO? → A sua matrícula é feita aqui ...

CURSO DE TEOLOGIA GRÁTIS: ONLINE OU PRESENCIAL

estudos bíblicos

COMO ME INSCREVER NO CURSO DE TEOLOGIA GRATUITO?

→ A sua matrícula é feita aqui no próprio site e em apenas UM PASSOBasta você preencher  a ficha de inscrição do CTO, no botão abaixo 
teologia online
 Tenha bastante atenção ao campo "email" na sua ficha de inscrição, pois se você preenchê-lo errado não será adicionado à nossa lista de alunos.

O QUE É TEOLOGIA? Definição de Teologia O termo “teologia”, etimologicamente, é um vocábulo composto de duas palavras gregas – T...

O QUE É TEOLOGIA?


o que é teologia

Definição de Teologia

O termo “teologia”, etimologicamente, é um vocábulo composto de duas palavras gregas – Theós, ‘Deus’, e logos, ‘discurso’ ou ‘expressão’, ‘palavra’.

 Tanto Cristo, a Palavra Viva, quanto a Bíblia, a Palavra Escrita, são Logos de Deus. Eles são para Deus o que a expressão é para o pensamento e o que o discurso é para a razão. O que é Teologia? Teologia é o discurso sobre um assunto específico, a saber, Deus. Deus é o "objeto" supremo de estudo da teologia.

Embora não encontrada[1] nas Escrituras Sagradas, a palavra teologia, o composto de duas palavras bíblicas familiares, é escriturística no seu caráter.

POSSO FAZER TATUAGEM MESMO SENDO CRISTÃO? POR THIAGO MANCINI O cristão pode fazer tatuagem ? Tatuagem é pecado ? É certo ou erra...

POSSO FAZER TATUAGEM MESMO SENDO CRISTÃO?


fazer tatuagem é pecado
POR THIAGO MANCINI

O cristão pode fazer tatuagem? Tatuagem é pecado?

É certo ou errado fazer tatuagem? O cristão que marca o corpo com tatuagem está condenado ao inferno?

O cristão que faz tatuagem “perde” a salvação?

Fazer tatuagem significa fazer uma espécie de “pacto de sangue” com o diabo?

Existem tatuagens que são permitidas e outras tatuagens que são proibidas?

Se a Bíblia permite que o cristão faça tatuagem, quais circunstâncias devem ser consideradas antes de que o cristão marque o corpo com uma tatuagem?
 

O que é que a Bíblia diz sobre a questão da tatuagem?

Deus proíbe que o cristão faça tatuagem?


Jesus diz alguma coisa sobre a questão da tatuagem?


A BÍBLIA FALA CONTRA A TATUAGEM?

Embora no estatuto e no regimento interno de algumas denominações evangélicas, seja proibido que o membro marque o corpo sob pena de exclusão da comunhão da igreja e ameaça de herdar o inferno por marcar o corpo; é necessário afirmar que a Bíblia não contém nenhuma proibição sobre a questão da tatuagem; ou seja, o fato é que a Bíblia não proíbe que o cristão faça tatuagem.
 

A Lei do Antigo Testamento ordena aos israelitas não fazerem marca alguma sobre o corpo:

“Pelos mortos não dareis golpes na vossa carne; nem fareis marca alguma sobre vós. Eu sou o Senhor.” (Lv 19.28)–(ACF).
 

“Não façam cortes no corpo por causa dos mortos, nem tatuagens em si mesmos. Eu sou o Senhor.”
(Lv 19.28)–(NVI).

Todavia, a referência aqui é uma referência às tatuagens religiosas que os pagãos faziam no culto à falsos deuses e que identificam o pagão como adorador de um determinado deus.

Por exemplo, o adorador de Baal tinha como que uma marca ou uma tatuagem que o identificava como adorador de Baal; e assim por diante, cada adorador de determinado deus, era identificado como adorador deste deus através de uma marca ou através de uma tatuagem característica e específica.

Então, esta ordem aqui de Levítico 19.28 para o judeu não marcar o corpo ou não se tatuar é uma proibição de natureza religiosa para que o judeu não faça tatuagem marcando o corpo com nenhum símbolo de alguma divindade do paganismo; o que seria o mesmo que dizer aos judeus para não adorarem a outros deuses.

Portanto, em Lv 19.28 não existe nada indicando que um cristão não possa fazer tatuagens, pois Lv 19.28 consiste de uma ordenança divina para que os judeus não imitem os costumes das nações pagãs que feriam e marcavam o corpo em adoração aos mortos. E assim sendo, desta forma, Lv 19.28 não pode se r utilizado para proibir o uso de tatuagem.
 

 Uma tatuagem pode ser de muitas coisas, pode ser a tatuagem de algum animal como uma borboleta ou um pássaro, pode ser a tatuagem de uma flor, pode ser algum símbolo, pode ser o nome de Deus ou o nome de Jesus, pode ser o nome de alguém da família...
 

 À vista disto, não possuindo nenhuma conotação pagã, não tenho nenhuma conotação de paganismo, não marcando o cristão como adorador de outro Deus, não identificando o cristão como participante de alguma prática pagã, talvez não existam maiores dificuldades com a tatuagem...


ENTÃO, POSSO ME TATUAR?

Sem embargo, antes que se decida pela tatuagem, antes de marcar o corpo de forma permanente, existem pelo menos duas considerações a serem feitas pelo cristão que está pensando em marcar o corpo com a tatuagem.

A verdade é que não existe na Bíblia nenhuma passagem que proíba ou que autorize a prática da tatuagem, mas antes de se decidir pela tatuagem, são necessárias algumas ponderações para que esta decisão não venha a se transformar em um problema, e para que, principalmente, não venha a desagradar a Deus.



ALGUMAS PERGUNTAS A SE FAZER:

 A primeira consideração a ser feita por um cristão que pensa em fazer uma tatuagem é a glória de Deus.

Absolutamente tudo o que o cristão faz, deve ser feito para a glória de Deus:

“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus.”
(I Co 10.31).
 

 O princípio da glória de Deus deve ser aplicado em absolutamente todas as áreas da vida do cristão. O princípio da glória de Deus deve ser aplicado em todas as ações da vida do cristão, o que inclui a tatuagem.

Portanto, a primeira consideração a ser feita por um cristão que pensa em fazer uma tatuagem é a glória de Deus.
 

Será que esta tatuagem vai glorificar a Deus?

Será que marcar o meu corpo com um símbolo vai render glória a Deus?

Será que homenagear alguém ou dar uma prova de amor tatuando o nome de alguma pessoa vai glorificar a Deus?

São perguntas que devem ser respondidas pelo cristão antes de se decidir pela tatuagem, pois caso alguma prática da vida do cristão não seja para a glória de Deus, então o cristão deve se abster desta prática por que se constitui em pecado.

Caso a tatuagem seja apenas por vaidade ou caso a tatuagem seja como que um ato de rebeldia contra algo ou contra alguém, por exemplo, a tatuagem não deveria ser feita, pois neste caso a tatuagem não seria feita para a glória de Deus, e assim se constituiria em pecado...
 

A segunda consideração a ser feita por um cristão que pensa em marcar o corpo com a tatuagem é que existem determinados ambientes nos quais há pessoas que se incomodam profundamente com a tatuagem e que discordam completamente de ser marcar o corpo de forma permanente e definitiva.

Assim, o jovem cristão ou qualquer outra pessoa que é cristã e que está pensando em fazer uma tatuagem, deveria levar em consideração esta questão: que a tatuagem não representa absolutamente nada; mas que para muitas pessoas a tatuagem é ofensiva e escandalosa; e então, por amor a estas pessoas, o cristão, talvez, deveria se abster de fazer a tatuagem para não causar escândalo no outro irmão e não ser motivo de tropeço para o seu irmão em Cristo por quem Cristo morreu.

Assim, uma pergunta a ser feita por um cristão que pensa em se tatuar seria a seguinte pergunta:

“A minha tatuagem vai escandalizar?”

A questão do escândalo é uma questão muito subjetiva, haja vista que aquilo que pode escandalizar uma pessoa pode ser completamente normal para outra pessoa.

O apóstolo Paulo, na carta à igreja de Corinto trata de modo detalhado sobre este assunto ao falar acerca da liberdade cristã, especialmente em relação às pessoas mais fracas na fé: (I Co 8.13).
 

 E aqui em I Co 8.13, existem ao menos duas considerações importantes a serem feitas pelo cristão que está pensando em fazer tatuagem:
 

 “Mas vede que essa liberdade não seja de alguma maneira escândalo para os fracos.” (I Co 8.9).

“Por isso, se a comida escandalizar a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que meu irmão não se escandalize.” (I Co 8.13).

Ou seja, o apóstolo Paulo está ensinando aqui que o Reino de Deus é formado por uma família de muitos membros, de modo que o cristão não pode e não deve pensar de forma egoísta...

Assim sendo, caso você esteja pensando em fazer uma tatuagem, avalie e pondere muito bem se essa sua decisão de marcar o corpo irá trazer mais problemas do que bênçãos na sua vida.

A terceira consideração a ser feita por um cristão que pensa em marcar o corpo com a tatuagem é a questão da motivação.

Assim, para o jovem cristão ou para qualquer pessoa que é cristã e que está pensando em fazer uma tatuagem eu faria também a seguinte pergunta:
 

Qual é a sua motivação em fazer esta tatuagem?”,

Por que é que você quer fazer uma tatuagem?”,

Por qual motivo você quer fazer uma tatuagem?”, 


Qual é a razão de você marcar o seu corpo com um determinado símbolo?”

Muitos cristãos não prestam atenção no tipo de tatuagem a ser feito; e a verdade é que existem muitos desenhos que carregam fortes simbologias oriundas até mesmo do mundo espiritual das trevas.

Assim que antes de marcar o corpo com um símbolo, o cristão deve procurar se informar muito bem acerca da origem do desenho a ser feito a fim de não fazer nada precipitadamente como uma jovem que tatuou um kanji (caracteres da língua japonesa) para homenagear o marido, mas que depois de pronta a tatuagem foi advertida por uma professora de japonês na Universidade que o significado do kanji era este: "meu marido é um cabeça vazia e eu me casei com um idiota..." 

Então, em tese, o cristão pode sim se tatuar, desde que seja respeitada a liberdade do próximo, desde que seja respeitado o conteúdo da tatuagem (ou seja, desde que a tatuagem não possua nenhuma conotação com o paganismo), e desde que seja respeitada a motivação do cristão.
 

 Caso você esteja com o desejo de fazer uma tatuagem, porém está com o coração mais cheio de dúvidas do que de certeza, ouça o que diz a Palavra de Deus:

“E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações...”
(Cl 3.15).

Árbitro é justamente aquele que tem capacidade de julgar e de apontar a direção certa sobre alguma coisa. Ou seja, aqui em Cl 3.15 o apóstolo Paulo coloca a paz de Deus como uma forma de guiar o cristão na tomada de uma decisão importante.

Geralmente a dúvida tira a paz do coração, de modo que caso a dúvida seja maior do que a certeza em relação a marcar o corpo com a tatuagem, talvez seja melhor não fazer...


E se você quer ter conhecimento da Palavra de Deus, recomendo dois excelentes Cursos:

BACHAREL EM TEOLOGIA - EAD

BÍBLIA DE GÊNESIS A APOCALIPSE

PORQUE IR À IGREJA NÃO FAZ DE VOCÊ UM CRISTÃO? Por John Piper  Tradução: Thiago Mancini      Eu não sou cristão a...



PORQUE IR À IGREJA NÃO FAZ DE VOCÊ UM CRISTÃO?



Por John Piper 
Tradução: Thiago Mancini
   
 Eu não sou cristão apenas porque vou à igreja aos domingos. E tão pouco você. E tão pouco o pastor John Piper. Esta foi a descoberta que John Piper fez nas páginas iniciais de um livro de C. S. Lewis.



     Na providência de Deus, um pequeno e fino livro de capa azul com o título “The Weight of Glory” (O Peso de Glória)[1] encontrou o seu caminho na vida de Piper aos 23 anos. E aqui está como ele contou a história em um sermão no ano de 2015.


OBSERVAÇÃO:
NEM TODAS AS POSTAGENS TRADUZEM, NECESSARIAMENTE, A OPINIÃO DO SITE MATÉRIAS DE TEOLOGIA